Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Tenório contra o Cruzeiro: Gol regular ou irregular?

September 18th, 2012 por | Categorias: Cruzeiro, Observatório, Vasco.

Por André Bona

Ontem, depois de algum tempo, sentei na frente da TV e falei: estou com saco pra ficar navegando entre Bem amigos e Linha de Passe.

E assim fiquei, vendo o emocionado-abobado-mor Luis Roberto se emocionar com corrida de tartaruga. Que idiota. E aí entrou a discussão da conversa do gol do Vasco. TODOS disseram que o lance era irregular e o juiz acertou. Menos LUXA. Tava lá, naquela babaquice e disse categoricamente: O VASCO FOI PREJUDICADO. Encerrado o bobo-bloco, mudei de canal e qual era a discussão no Linha de passe? O gol do Tenório. TODOS disseram que o lance era regular e deveria ter sido marcado o gol.

E assim fiquei, olhando os dois programas, sem saulear, mas sim vendo fragmentos de bobagem. Nao deu pra entender porra nenhuma. Mas nao daria mesmo, já que ambos conseguem ser idiota no extremo da concepção da palavra. Se o termo idiota tivesse a abrangência de uma galáxia, esses dois programas estariam ali, no limite.

Juca é insano mesmo. Ele faz comentários patéticos e faz caras e bocas de intelectual… é muito problemático, sem dúvida. MCP tem curto-circuito cerebral. Aí as vezes o curto é mais intenso e ele começa a falar… PVC, realmente, com sua tiração de onda de enciclopédia só pode ostentar tal posição em um programa: o “Loucos por futebol”. Infelizmente, virou horroroso tb, sob minha concepção.

Marcio Guedes e Calazans, chegam a ser engraçados. Tipo, dois velhinhos rabugentos falando merda… meio aquela coisa de velho “no meu tempo…”

Depois de ver esse filme de terror duplo, tava eu pensando: no meu pacote, pago 9,90 a mais para ter os ESPN + FOX + sei lá o que. Na verdade, hoje, vejo que o que segura esses 9,90 na minha conta, não é nada do SPORTV nem tampouco da ESPN. Mas sim o Fox Sports (Nascar + alguns jogos lá de fora) e o Canal Off HD.

Se tirassem da minha grade os SPORTV e ESPN, talvez eu sentiria o incomodo pela falta de capacidade de cornetar. Mas o FOX e o Canal OFF são inegociáveis.

Inscreva seu e-mail e confirme pelo link eviado para receber novos artigos do Blá blá Gol.

31 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

31 Comentários para “Tenório contra o Cruzeiro: Gol regular ou irregular?”

  1. Bender
    18/09/12 - 15:03

    Transferindo do Open Bar…

    ****
    Assinamos a “TV à cabo” no final da década de 90. Achei muito foda tal novidade, ficava assistindo a porra toda, até a CNN sem entender xongas. Amarradão.

    Acho que assisti o 1º Linha de Passe que foi ao ar. Era às segundas a noite depois da novela (lembro pois algumas mesas de domingo depois da rodada eu não conseguia assistir pois a coroa queria assistir qq outra coisa que não fosse mesa redonda).

    Milton Leite apresentava, Trajano sempre ao seu lado esquerdo. No programa conheci o Antero Greco (achava ele meio bobão) e Paulo Calçade (esse não gostava). Quem completava a mesa era o PC Vasconcelos ou o Calazans, ou mesmo esse vovô que falava de F1 Ferrari e Fiorentina. Ia revezando.

    Gostava pois mostravam mais lances nos melhores momentos. O programa era longo. Nêgo não se importava muito com o tempo (a grade devia ser vazia hahahaha). Mas a parada era maneira, talvez pelo Trajano brigando e falando mal de um monte de gente (era engraçado), talvez pelo resumão mais completo, ou talvez pela simples novidade mesmo.

    Cancelamos a “TV à cabo” pouco depois e nada mais vi. Mas chegou a internet. E caras bons dos jornais e programas de TV, como os já citados PVC e JK, foram ficando. Imagino como o Linha de Passe deve estar ruim, assim como esses programas da Spotv que vcs falam que nunca acompanhei.

    Hoje, depois de casado (1 ano ontem), continuo sem TV por assinatura e, na boa, não faz nenhuma falta.

    Responda a este comentário

    André

    Eu sempre entendi xongas.

    Responda a este comentário

    Bender

    Sim, claro… ainda hoje entendo xongas.

    Responda a este comentário

  2. Matheus
    18/09/12 - 16:47

    Cara, esse lance foi muito estranho.

    Eu não consigo definir se o lance foi legal ou não com base no que dita a regra, mas eu teria validado o gol.

    Agora, entenda-se também que neste caso específico eu não vejo erro do bandeira.

    Pode ser contraditório o que tô falando, mas o lance foi muito confuso.

    Responda a este comentário

    André

    O lance foi bizarro realmente. De livro. Eu daria gol sem duvida nenhuma.

    Compararam com um lance que um jogador tava na condição de impedimento (milan e barça, acho) e que o sujeito dominou mal, o atacante pegou a bola e sofreu o penalti.

    Pra mim, a jogada do Dedé é uma. A jogada do Tinga é outra. A jogada do outro zagueiro, está inserida na do Tinga.

    Responda a este comentário

    saulo

    Esse lance mostrou como os árbitros brasileiros são muito mal preparados em situações polêmicas. Lembro de um outro jogo do Cruzeiro x Vasco no qual o goleiro Thiago praticou a defesa, amorteceu como se fosse repor a bola e a novamente agarrou. Dividiu a opinião dos comentaristas de arbitragens e gerou reclamações durante muito tempo.

    Responda a este comentário

    André

    Eu estava no Mineirão nesse jogo aí. Ninguém entendeu nada.

    Responda a este comentário

  3. Yuri
    18/09/12 - 16:59

    Eu achei o lance bem didático e ainda não tenho opinião sobre ele.

    Teve um gol do Grêmio contra o Corinthians no Pacaembu quase assim. Jogador adiantado, a bola não vai para ele, mas toca em outro gremista e cai no anteriormente adiantado. Geral disse que foi legal, mas respeitei o comentarista que foi contra.

    Mas esse do Tenório teve um fator, tocou no cara do CRUZEIRO. Para mim, tocou no adversário, CANCELA TUDO. Relutante, marcaria legal.

    Mas ainda não vi especialistas explicando direito essa porra.

    Responda a este comentário

    Victor

    Eu nem digo que se tocou anula tudo, mas nesse caso, o Cruzeiro já tinha dominado a jogada.

    Se fosse no BOBINHO, o Vasco estaria no “bobo” a partir do momento que o Tinga interceptou e a bola foi macia na direção do zagueiro burro do Cruzeiro.

    Daí Tenório pegou a bola e o zagueiro burro foi para o “bobo”.

    Responda a este comentário

    Fernando

    Também achei didático. A Fifa tinha q passar o vídeo desse gol no treinamento pré-copa do mundo e dizer se é válido ou não.
    A parada foi simples: o passe não era pra ele, mas ele estava em posição de impedimento quando aconteceu. Dois jogadores do time adversário tentaram cortar e acabaram chutando pra trás. O cara pode ou não pegar a bola?

    Na minha opinião, não há impedimento. Do contrário, alguém tem que me dizer em qual momento o Tenório poderia voltar a participar da jogada. Quanto tempo ele tem que ficar no limbo, sem participar? Quantos chutes tortos pra trás precisariam ser dados?

    E se o chute torto fosse pra frente e o Tenório voltasse, buscasse a bola a fizesse o gol, valeria? Poderiam dizer que aí ele não tirou proveito da posição da banheira, mas a regra caga pra isso. Até passe pra trás é tido como impedimento se o cara estava a frente e teve que voltar pra buscar a bola (coisa com que não concordo).

    Então acho que o bandeira queria ali que ele só se envolvesse na jogada depois que algum cruzeirense desse um passe certo ou algo assim.

    Responda a este comentário

    André

    Concordo com tudo, menos com:

    A Fifa tinha q passar o vídeo desse gol no treinamento pré-copa do mundo e dizer se é válido ou não.

    Desnecessário. Pq nao vai ocorrer de novo tão cedo.

    Responda a este comentário

  4. Victor
    18/09/12 - 17:07

    O toque do Dedé foi nitidamente em outra direção, até aquele amigo do Bona que está aprendendo matemática vetorial sabe.

    O Tenório foi sumariamente retirado da jogada de ataque pelo Dedé. O Tinga corta com a maior tranquilidade para o companheiro dele de zaga que dá a PIXOTADA e aí os cruzeirenses entregam para o vascaíno que nem estava mais aí para o lance.

    Impedimento inexistente.

    O cabelo do Tinga é a PROVA INEQUÍVOCA que ele fez o corte consciente que seu companheiro de zaga se safaria. Tanto que Tinga relaxou e só voltou ao lance depois da pixotada.
    Tenório não se aproveitou da jogada do Dedé. Aproveitou-se da burrice do zagueiro do Cruzeiro em lance que já estava de domínio do Cruzeiro.

    O Tenório nem mesmo foi lá forçar o erro do Cruzeiro.

    Responda a este comentário

    Yuri

    Bom ponto. Uma roubada de bola/pressionada tornaria o lance ainda mais polêmico. Mas ele nem roubou, só aproveitou a INÉRCIA.

    Responda a este comentário

    Fernando

    Sou da opinião que o cara em impedimento pode roubar a bola. O cara não tá se aproveitando da posição de banheira, tá voltando e dando combate no zagueiro. A regra não foi feita pra coibir isso. Mas é lógico que não é assim que interpretam. Qualquer coisa é impedimento. A lendária orientação de “na dúvida, pró-ataque” é inaplicável, pelo menos por aqui.

    Responda a este comentário

    Yuri

    A regra fala em “se aproveitar”… para mim, se o suposto cara impedido pressiona e rouba a bola, ele se aproveitou. Raramente ocorre pois geralmente há o chutão, não dá tempo do cara roubar. Mas é uma definição vaga, não tem um LIMITE DE PARTICIPAÇÃO a cumprir.

    Quanto tempo ele tem que ficar no limbo, sem participar?

    Aí é que tá… não tem isso, então o cara dá o que bem entender.

    Essa de “dúvida pró ataque” é uma recomendação que deram há um tempo e a evolução tratou de matar, nenhum bandeira faz isso, ainda bem. Lembra daquela recomendação (que o tempo também matou) de o bandeira só dar o impedimento quando o cara ENCOSTASSE na bola? Daí o impedido ia lá, ficavam esperando, e só quando o cara encostava, levantava-se a bandeira. Ficou pouco tempo em uso, ainda bem também.

    Responda a este comentário

    Victor

    Várias paradas são filosóficas.

    Eu acho, por exemplo, quando o cara dá aquela clássica “abandonada” no lance (a bola vai na direção dele mas o cara finge que nem está ali) e vem outro correndo que nem um maluco, ele participa da jogada. Não deixa de ser um drible porque em essência, os adversários SABEM que ele está em posição de impedimento, só não sabem que ele vai abandonar o lance.
    Sendo futebol um jogo que UM GOL tem um peso enorme diante dos lances errados, um time atacante pode tentar essa jogada usando a vantagem do conhecimento a seus jogadores que vem de trás (e deixarão os surpresos zagueiros na corrida). No caso da infração ser marcada, o time tem muito pouco a perder (uma jogada de ataque desperdiçada). Se o juíz não marcar infração, o saldo é muito positivo.

    Acho até estranho que times façam tão pouco essa jogada, especialmente em jogos decisivos. Creio que quando acontece vem mais de percepção momentânea dos jogadores que por treino.

    Responda a este comentário

    Yuri

    O foda são os comentaristas elogiando quando “o impedido PUXOU A ZAGA pro outro cara em posição legal chegar e fazer o gol”.

    Porra, se ele ARRASTOU A ZAGA, enganando-a, então ele não TIROU VANTAGEM do negócio, caralho???

    Responda a este comentário

    Victor

    É a paradinha do Impedimento.

    Responda a este comentário

    Fernando

    Concordo com vocês de que o jogador acaba por participar, pois já fez a zaga toda parar. Impedimento. Mas acho que a zaga não tem que parar na esperança do impedimento também não.
    Pra mim tem que haver uma interpretação teleológica da regra do impedimento. A regra foi criada pra manter os esquemas táticos e impedir o banheirista de travar a zaga em cima do goleiro, coisa e tal. Por que diabos um passe pra trás, em que o cara impedido tem que correr pra trás pra pegar a bola, é considerado impedimento? Não faz sentido. Há um desvirtuamento da regra.
    Ex.: volante do time X recua a bola pra sua zaga, que fica perdida perto da linha de fundo, com total desinteresse dos demais jogadores. O atacante do time X, que na hora do recuo estava impedido, volta lááá do ataque e busca essa bola. Impedimento.
    Resumo da minha ópera: passe pra trás não deveria ser impedimento nunca!

    Outro desvirtuamento: meia do time X tenta um passe pra seu atacante, que está impedido, na pequena área. O zagueiro do time Y corta na linha da grande área, domina e sai com a bola. Primeiro que pra mim não tem que marcar nada, segue o jogo. Aí me volta o atacante pra dar o combate e… não pode! Tava impedido na hora do passe.
    Porra, nem que os dois estivessem na linha da grande área, quase juntos, com o atacante impedido. Não tá tirando proveito de nada, proveitoso seria ele estar de frente pro zagueiro, não atrás dele. Pra mim não tem nada a se marcar.

    Interpretando teleologicamente o lance do Vasco, não tem que ter impedimento do Tenório. Não se beneficiou de sua própria torpeza (banheira), mas da incompetência cruzeirense. Acho que encostou no cara do cruzeiro, tem que zerar mesmo, como Yuri falou. Senão é sempre benefício pra defesa, pode prejudicar o passe que ia pro outro atacante vascaíno e não sofrer o ônus de cortar mal, em direção a seu gol.

    Responda a este comentário

    André

    Aí me volta o atacante pra dar o combate e… não pode! Tava impedido na hora do passe.

    Engraçado. O impedimento é marcado na hora do passe. E essas situações são marcadas numa outra hora qualquer que nao se relaciona com nada.

    Responda a este comentário

    saulo

    O jogador mais a frente pode roubar a bola do defensor em qualquer situação, o problema do impedimento é o posicionamento na hora do passe ou lançamento.

    Responda a este comentário

  5. Victor
    18/09/12 - 17:29

    Responda a este comentário

  6. Serginho Valente
    18/09/12 - 17:35

    Futebol é assim mesmo, o bandeirinha poderia ter dado qualquer coisa.

    Foda é o gol que o CA perdeu, que o próprio Tenório perdeu, e que o Dedé perdeu. Se um deles fizessem, o lance seria muito menos polêmico.

    Em tempo, não estava impedido. A bola não bateu no jogador do Cruzeiro e sobrou pro Tenório. O jogador do Cruzeiro deu um passe pro zagueiro do Cruzeiro, esse zagueiro furou, e então a bola sobrou pro vascaíno. Se quem deu o passe, foi o jogador do Cruzeiro, não há impedimento.

    Responda a este comentário

  7. André
    19/09/12 - 14:57

    Tá aqui um parecer, meio que conclusivo.

    Presidente da Comissão de Arbitragem da CBF diz que gol de Tenorio contra o Cruzeiro deveria ter sido validado

    http://www.netvasco.com.br/n/116478/presidente-da-comissao-de-arbitragem-da-cbf-diz-que-gol-de-tenorio-contra-o-cruzeiro-deveria-ter-sido-validado

    Responda a este comentário

  8. Victor
    24/09/12 - 13:56

    Parei.

    Responda a este comentário

    Alexandre N.

    Eu também achei que não tinha sentido o juiz marcar impedimento. Porém, no momento em que Kid Assunção ia bater a falta, o narrador do jogo falou que o Valdívia estava lá dentro da área sozinho. E logo então eu já achei que o juiz ia marcar impedimento, qualquer fosse a trajetória que a bola tomasse.

    Me fez lembrar de uma das semifinais do estadual de 2010, onde o juiz legitimou um gol do Botafogo em que o Cai-Caio estava fazendo algo parecido com o que o Valdívia fez.

    Responda a este comentário

    André

    Nardoni, seu raciocínio tb tem lógica. Mas entao, outra coisa doida nessa regra.

    1) Se o lance é marcado na hora do lançamento, realmente não tem como saber pra onde a bola vai. Entao todos os lances serão impedimentos, mesmo que jogador nao participe da jogada. Menos o do Tenório, que nao se enquadra em nnehuma regra ou interpretação possível de impedimento.

    2) Pra mim, esse gol aí… cara, isso foi anulado mesmo? Cara, acabou. Não existe mais futebol. Melhor fazer igual pelada, sem juiz.

    Responda a este comentário

    Alexandre N.

    1) Eu achei que o juiz ia marcar o impedimento mais pra poder se livrar da responsabilidade, entende? Então, na cabeça dele é melhor anular o possível gol que saia do que, de repente, ter de passar por um julgamento da comissão dos árbitros. Não que eu ache que o juiz acertou em fazer isto. Mas foi o que me veio na cabeça logo quando o juiz anulou o gol.

    2) Creia, o juiz anulou.

    Responda a este comentário

    André

    DUvido que foi anulado.

    Responda a este comentário

Deixe seu comentário