Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Posts Tagged ‘Fluminense’

No meio do caminho havia uma Barriga

June 28th, 2015 | 4 Comments | Filed in Campeonato Carioca 1995, Fluminense

Há 20 anos o Fluminense campeonava o badalado Carioca de 1995 contra o Flamengo de Romário, Branco e Luxemburgo, o Botafogo de Túlio e, vá lá, o Tricampeão Vasco de Valdir Bigode.

Botafogo e Flamengo rivalizavam as atenções não apenas nos dois turnos iniciais como no 1º turno do Octogonal. Por bonificações, Flamengo e Botafogo entraram com pontos extras, Vasco não lembro e Fluminense e os demais sem nada.

De cara o Fluminense perdeu um jogo para o Botafogo talvez e empatou outro com o América ficando na 2ª rodada OITO pontos atrás do Botafogo com nove pontos. Daí o Botafogo vacilou contra o América e um outro pequeno e o Fluminense saiu papando os clássicos ficando ali na cola de Fla e Bota que lideravam.

A tabela era planejada rodada a rodada. Pois sim, o octogonal NÃO tinha tabela definida no turno de volta e entenderam que Botafogo x Flamengo deveria ser antes da última rodada apesar dos dois estarem à frente na tabela. O jogo não definia a sorte do Fluminense como um todo, mas o confronto direto com o Botafogo não mais ocorreria. A excepcional partida do goleiro Roger que viria a ser reserva de Rogério Ceni no São Paulo manteve o Flamengo na disputa e o manteve com vantagem sobre o adversário direto na última rodada, o ultra azarão Fluminense. Não houve final naquele campeonato, mas uma última rodada de Pontos Corridos com os postulantes se enfrentando.

Ainda que o campeonato tenha se bipolarizado entre Botafogo e Flamengo com Túlio e Romário brigando pela artilharia e título simbólico de Rei do Rio, a má campanha Tricolor levava um gás nos Fla x Flu. Renato Gaúcho desacreditado vindo de um bizarro Galo de 94 nem jogara muito o campeonato. Poucos gols fez, mas os fez justamente contra o Flamengo. O azarão Fluminense empatou em 0x0 na estréia de Romário com Lima parando o melhor do Mundo e depois só deu Flu. 3×1 no returno com Renato marcando e um prenúncio épico no turno do octogonal com um 4×3 com mais gol de Renato e virada após entrada do carrasco Ézio, o Super Ézio.

A pedra no sapato rubro-negro não era, apesar de uma campanha coadjuvante e precisando da vitória, azarão na “final” porque se tinha um time que batia aquele Flamengo era o Flu do decadente Renato. Romário nunca marcara gol no Fluminense e a Tricoloriedade não temia que marcasse.

A farra e a festa foi imensa na chuva do 1º tempo do Maraca com os 2×0 consagradores selando a 3ª vitória seguida, feito inédito para qualquer um dos times em 100 anos do clássico. Assim seria até o apito final não fosse o expatriado do outro lado, Branco, cobrar uma falta do meio da rua no travessão. Aquele chute empurrou o Flamengo aos seus dois gols e o resto é história que eu me recuso a completar.
A apresentação do plantel campeão após 9 anos de fila deixo por conta dos MC’s de contenção, MC Cadu e MC Marcio Costa.

Saudações Tricolores

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Fred cirúrgico

August 24th, 2014 | 1 Comment | Filed in Campeonato Brasileiro 2014, Fluminense, Torcidas Organizadas

Fred é cirúrgico em escolher seu inimigo na mitologia futebolera. Organizadas são o que de mais pernicioso existe no futebol e são nessas que Fred, com toda razão, aponta sozinho suas armas.

Os caras são tão imbecis que conseguem a proeza de esvaziar a plausível corneta torcidal que inegavelmente ocorreria dentro do estádio pelos simples resultados recentes do time. Escória, e escória burra.

Bom dia, pessoal! Em nome de todo o grupo de jogadores, estou aqui para pedir um grande favor a vocês: apoiem o nosso time durante os 90 minutos hoje contra o Sport. Esse tipo de pressão que vem sendo feita não ajuda em nada a nossa equipe. Pelo contrário! Só atrapalha e muito. O nosso pedido é dedicado ao verdadeiro torcedor do Fluzão; aquele que comemora os títulos conquistados, mas também dá força nos momentos difíceis. E agora, mais do que nunca, estamos precisando dos gritos de incentivo vindos das “arquibancadas”. O jogo nada mais é do que a prática dos treinamentos realizados durante a semana. Então, como poderemos superar nossos adversários se não estamos tendo tranquilidade para realizar um trabalho bem-feito no dia a dia? Pensem nisso. A história demonstra que juntos somos muito mais fortes: 2009, 2010 e 2012 estão aí para confirmar o que digo. Cheguei aqui há pouco mais de cinco anos e, ao lado dos meus companheiros, contribuí para a fuga épica do rebaixamento, em 2009, além da conquista de dois títulos brasileiros, feitos que não ocorriam há quase 30 anos no clube. Por isso, acredito ter conquistado o carinho e o respeito de quase toda a nação tricolor. Digo quase toda a nação, porque sei que o respeito dos membros de algumas torcidas organizadas do clube nunca mais terei, tendo em vista que fui o maior responsável pelo corte dos subsídios (dinheiro e ingressos) repassados a essas facções. Contudo, o respeito dessas pessoas que utilizam a violência como forma de manifestação também não me interessa. Prefiro canalizar todo o meu carinho para o torcedor do bem, que, para mim, é o verdadeiro tricolor de coração. Venham pro Maraca de coração aberto, pois nosso Time de Guerreiros estará pronto para encarar mais uma batalha ao lado de vocês. Um abraço do Capitão!

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Fred pós-Copa

August 18th, 2014 | 17 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2014, Fluminense

O principal Barbosa de 2014 tirou uns dias para beber seus caipisaquês após a Copa e foi finalmente escalado no banco na partida do Fluminense contra o Flamengo Esmeraldino. Com o time jogando bem e ganhando por 2×0, Fred entrou para ir pegando ritmo de jogo e ser recebido bem por quem finalmente torceria por ele nos estádios brasileiros. Bobagem das bobagens, alardearam que o Barbosa de 2014 estaria no Fluminense na condição de reserva. JORNAS que ganham para confundir ao invés de elucidar.

Viajando para Natal, o “reserva” Fred começa entre os 11 poupando o “titular” Sóbis e traz um 3×0 de vantagem na bagagem para o Rio de Janeiro encaminhando a classificação para as oitavas da Copa do Brasil.

Sentado no banco contra o Flamengo Celso Rothiano no Maracanã, mas com a garantia pública de Cristóvão que entraria no decorrer do jogo, Fred viu tanto a fratura de Gum levar seu técnico errar a contagem de substituições quanto o empate em 1×1 sem ter ele tido qualquer participação naquela partida.

Novamente no escrete inicial, Fred termina o 1º tempo da partida de volta da Copa do Brasil com uma pancada na coxa, mas vitória parcial de 2×1 e um agregado de 5×1. Fred deixa o confronto tendo jogado 3 dos 4 tempos com uma vantagem de pelo menos 3 gols. O time sem Fred leva 4 em 45 minutos.

Finalmente, Fred deixa de ganhar uma partida no clássico contra o Flamengo Que Quase Disse Adeus, perdendo por 2×0 e batendo um pênalti bizonhamente. O clima mesaredondista pós-jogo é tão somente que Fred deve mudar de ares e que o Fluminense está passando dificuldades para adaptar o esquema para um centroavante como Fred.

A contagem é simples:

  • Com Fred: 3×0 e 2×1 contra o América-RN e 0x2 contra um Flamengo em Brasília.
  • Sem Fred: 0x4 em 45′ contra o América-RN e 1×1 contra um Flamengo no Maracanã.

JORNAS, procurem outro bode expiatório para a crise Tricolor. O cone que é centroavante do Fluminense segue sendo melhor que os demais centroavantes dos 19 Flamengos do Campeonato e os reservas de fato do próprio time. Se o Flu está ruim com Fred, pior estará sem ele.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

A murcha chacota Tricolor

August 14th, 2014 | 4 Comments | Filed in América-RN, Copa do Brasil 2014, Fluminense

A falta total de lógica mata-mateira que é um time eliminado de uma competição jogar outra eventualmente melhor fez com que eu não pudesse vivenciar na PLENITUDE a sapatada que o Flu levou ontem.

A egrégora de torcedores tricolores dividiu-se na desconfiança e pouco reagiu.

Só a eliminação do Santos hoje ressarciria um pouco o direito inequívoco à chacota, mas ainda assim com perda de carga.

Mata-Mata de Mosaico.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Depressão Pós-Copa

July 17th, 2014 | 14 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2014, Criciúma, Fluminense


Tricoloriedade aficionada me fez lembrar via Whatsapp que o Fluminense jogaria, Mais do que isso, fizeram-me lembrar que havia Campeonato Brasileiro e mais até, que havia futebol no País off-Copa.

Malditos.

Eu sabia que não aconteceria uma partida bem jogada, não tinha essa ilusão, mas esperava contudo ver ao menos a emulação do comportamento Copal. Porra nenhuma. Transcorreu-se um jogo com faltas de ataque em escanteio, jogador simulando um cai-cai de meio-campo a todo o instante, catimbas pseudo-intimidadoras, um gordo no ataque de um time e um velho no de outro trançando as pernas e conseguindo pênalti.

Dormi forte no intervalo, abri o olho quando estava 3×0 para um dos times e vi que acabou 3×2. Foi até bom o 2º tempo. Agora é esperar as alternativas que as outras depressões pós-Copas mostraram existir:

  1. Anestesiar-se e aos poucos ir assimilando essa bosta tal qual convivemos com Skol, Antartica, Heineken, Brahma e Itaipava depois de conhecer cerveja boa.
  2. Ir catar os campeonatos da Europa naqueles horários em que não se deve estar em casa.
  3. Copa América vem aí.

Besta que sou, penso que tenho opção. Em breve estarei eu vendo a merda do Brasileiro, uma vez que é necessário como mínima base de relacionamento familiar, social e profissional. Futebol é pior que religião. PQP. Achar que me livrarei do futebol zeropontista por conta de um faniquito previsível é acreditar que não terei de encarar Pilsens brasileiras nos diversos churrascos que virão.

Urso da Copa da Rússia

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

O ídolo próximo

July 6th, 2014 | 6 Comments | Filed in Fluminense

A galera na arquibancada vai sentir falta daquele ídolo tão presente na vida do clube, mas o Fluminense Celestial está fortíssimo com o Casal 20 novamente junto. Telê vai dar um jeito de encaixar a dupla com Super Ézio no ataque.

Casal 20

Por Marcelão, no Facebook

O Assis era o ídolo mais próximo da galera que já vi. Cansei de encontrar no maraca… um dos poucos que me fez passar pelo papel de “tiete”.

Voltando dos EUA logo depois que o Flu ganhou do Palmeiras em 2012, encontrei o Carrasco no aeroporto e gritei la do outro lado do saguão:

“ASSISSSSS , É TETRA CARALHOOOO”

Ele sempre simpático olhou pro maluco que gritava o nome dele e acenou.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Show. Consegui meu ingresso para estreia da Copa.

June 8th, 2014 | 12 Comments | Filed in Copa 2014, Fluminense

Fluminense x Itália

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

6ª FFC do BR14: São Cristóvão é em Laranjeiras

May 22nd, 2014 | 42 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2014, Fluminense, São Paulo

Uma troca de jogadores no intervalo que altere significativamente o futebol de uma equipe para melhor na partida sempre poderá carregar a maledicência que a boa alteração teria sido desnecessária se a escalação não tivesse sido errada.

Com ausência de Fred e sem encaixar no 1º tempo o futebol com que campeonou o Brasileiro já na 2ª rodada no Pacaembu, o Fluminense agradecia ir para o intervalo empatando quando nos derradeiros instantes Pato deixou o Flamengo da vez na vantagem. Se com tudo igual no placar alterações no time pareciam iminentes, perdendo então…

Eis que Cristóvão volta do intervalo com o mesmo time, time que martelou por ininterruptos 8 minutos até empatar, depois virar e obrigar Muricy a escangalhar sua equipe e tomar mais 2, quando o técnico voltou a se fechar para não perder de 7. Cristóvão, o GÊNIO, ajeitou o time sem dar oportunidade para as cornetas, impossibilitando qualquer menção de ter escalado mal. Ajustes só no papo.

Deitando e rolando no Brasileirão

Como é técnico esse gordo

A toada da equipe no 2º tempo é aquela que se verificou nas duas rodadas anteriores no passeio da 4ª rodada sobre o Flamengo com maior número de adeptos flamenguistas entre os 19 e na derrota da 5ª que Marcelo Grohe infligiu.

Saudações Tricolores (deitando e rolando no Brasileirão)

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

3ª FFC do BR14: Somos Todos Gado

May 3rd, 2014 | 11 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2014, Estrutura, Fluminense, Vitória

Ingresso comprado pela internet.

Exigências eram que o mesmo deveria ser retirado na bilheteria do estádio apresentando-se cartão de crédito com que foi comprado, identidade do comprador e uma merda de um papel impresso e assinado pelo próprio. Em 2014 no Rio de Janeiro.

Chegando com mais de 1 hora de antecedência, uma fila cavalar para retirada de ingressos, e outra para ingressos vendendo na hora do jogo.

Fiquei na minha fila até o momento em que já tinha dados o suficiente para mensurar que só entraria no intervalo, mesmo tendo comprado o ingresso (com taxa de conveniência) alguns dias antes, e estando em 2014 quando qualquer catraca escrota lê a merda de um cartão de crédito.

Dei uma volta ouvindo os preços dos cambistas, que só pelo fato de existirem quando a bilheteria ainda tem ingressos disponíveis já mostra o non-sense da coisa, e piquei a mula de volta para casa.

Ainda deu tempo de ver o serviço pago da Sky pelo iPad não funcionar, mas ligar pelos subterrâneos piratas da internet e ver o Vitória fazer seu segundo gol e um impedido Wagner diminuir para o Fluminense.

O Fluminense perdeu hoje para o Flamengo porque sou rancoroso e roguei praga para que perdesse mesmo. Na próxima rodada, contudo, acatarei a vocação para gado que tem o Brasileiro e o Torcedor de time de futebol por aqui permitindo que o time de Cristóvão volte a sua programação de vitórias sobre os Flamengos até a confirmação do título de campeão brasileiro de 2014, que ocorreu há uma rodada atrás com o futebol esplendoroso jogado contra o Flamengo Italiano no Pacaembu.

Saudações Tricolores (quem não gostar que entre na fila e aguarde para reclamar)

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

1ª do BR14: Fluminense derruba o primeiro Flamengo

April 21st, 2014 | 10 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2014, Figueirense, Fluminense

Saboreando a sola de sapato que Bender chamou de churrasco vi que o Fluminense venceu seu primeiro Flamengo, o de Florianópolis por 3×0. Melhor dizendo, vi nada porque eu fiquei de longe na piscina e somente me chamou a atenção foi ver todo o espaço usual da torcida do Fluminense preenchido, além da lateral inferior e algo atrás do outro gol (no lado que o Vasco costuma ficar). Trocando em miúdos, direção e torcida se acertaram para esse primeiro jogo.

Nos meandros torcidais de sócios e torcedores tricolores, existe a percepção que o time de 2013 foi o 17º em desempenho. E o argumento recorrente aos dirigentes atuais é a manutenção de um elenco rebaixado, colocando um tanto de pressão nesses jogadores. Pressão necessária, ressalte-se. Como o elenco do Fluminense está muito longe de ser péssimo e não parece demonstrar grandes problemas comportamentais, a impressão é que a falha do rebaixamento não sacramentado esteja no modelo como um todo, e quando oposicionistas acreditam piamente que zagueiros resolveriam algo que parece bem mais complexo, é sinal que oposicionistas são também parte do problema.

A galera aplaudindo de pé as tabelas

A galera aplaudindo de pé as tabelas

Não sendo diagnosticado problema tão crucial no elenco, é imperativo que o administrador não caia na tentação de enxugar gelo e  faça somente alterações graduais no time para recolocá-lo no eixo enquanto resolve o verdadeiro problema estrutural, seja ele qual for. Algo me diz que o Presidente do Fluminense tem essa percepção de não haver maiores entraves nos jogadores em si e está correto.

Tendo a torcida comprou o barulho do time contra o primeiro dos 19 Flamengos, comprará também contra os outros 18 caso diretoria e time não roam a corda. Eu e Peter entendemos que o time não é de roê-la, então, resumindo, basta mesmo que os dirigentes não peidem na farofa, paguem as merdas dos salários e ajustem preços dos ingressos de acordo com a capacidade de sua torcida encher o Maracanã que teremos temporada de brigadeiro.

Saudações Tricolores (quem não gostar que recorra ao STJD)

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.