Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Posts Tagged ‘Campeonato Paulista 2009’

Portuguesa 2009: Dois quintos lugares e cinco treinadores

December 29th, 2009 | 32 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2009, Portuguesa

Preguiçosos que só, pedimos a alguns torcedores para escreverem sobre o ano de seus times e uma pincelada para 2010. Michele atendeu-nos ao que diz respeito a Portuguesa (que segundo a mesma, varia de Lusa a Associação Portuguesa de Desportos de acordo com o humor). As fotos enviadas para ilustrar o melhor da torcida rubro-verde na visão da autora ficaram presas no filtro anti-spam, por isso tivemos que fazer nós mesmos a seleção de imagens.

A retrospectiva está também no Boteco da Lusa com a edição de imagens da autora.

Por Michele Abilio – Boteco da Lusa

Na numerologia o nove representa o fogo e para a Portuguesa o ano de 2009 foi marcado por uma chama intensa de emoção, turbulência, escândalo e os 5ºs lugares no Campeonato Paulista e Brasileiro série B.

Foi um ano complicado dentro e fora dos campos, poucas vitórias convincentes, mas muitos momentos de euforia. Em 2009 passaram pela Portuguesa cinco treinadores, muitos jogadores e também aconteceram muitas contusões e confusões que marcaram a história da Lusa no tão conturbado 2009.

Portuguesa caiu em 2008

Portuguesa caindo em 2008

No comando de Estevam Soares, o ano de 2008 acabou com o amargo rebaixamento no Brasileirão, mesmo assim ele foi mantido no cargo, realizou a pré-temporada e organizou o time para o Paulistão. Após a primeira rodada do Estadual, e a derrota por 1 a 0 contra o Guarani, o treinador foi mandado embora sem uma explicação convincente.

No lugar do Estevam, a Lusa contratou o Mário Sérgio. Aí começou meu pesado e de boa parte da torcida rubro-verde. Os jogos da Lusa pareciam uma tortura e um a zero era goleada. Foi com Mário Sérgio que a Portuguesa foi eliminada na primeira rodada da Copa do Brasil pelo Icasa, dentro do Canindé. No dia seguinte da eliminação, 05 de março, o treinador foi mandado embora. Mário Sérgio comandou a equipe por 12 jogos (5 vitórias, 5 empates e 2 derrotas).

A fila andou e a diretoria foi atrás de Felipe Scolari e trouxe Paulo Bonamigo, que deu um “meio up” a Portuguesa. O time não melhorou 100%, Bonamigo se perdia nos esquemas táticos, mas por diversas vezes fez com que a Lusa ficasse no G4, em algumas rodadas no Paulista e também da série B. Na última rodada do Paulistão a equipe disputava vaga para a semifinal com o Santos. A rubro-verde precisa vencer o Santo André e torcer pela derrota do time da baixada, que enfrentaria a Ponte Preta. Conclusão: ficamos de fora do quadrangular final.

Quinto dos infernos

Quinto dos infernos

O último jogo da Lusa no campeonato Paulista foi o momento de maior intensidade do ano. Um turbilhão de emoções, momentos de alegria e o choro da tristeza no final. Parece até que o torcedor da Lusa está acostumado com isso. Do céu ao inferno em 90 minutos, senti o gostinho de ir para uma semifinal e minutos depois toda a decepção da eliminação. E esse momento resume o ano, porque em diversas vezes o torcedor confiou que o time lusitano chegaria em algum lugar, mas acabou em lugar nenhum. Aliás, acabou em quinto.

Essa rodada gerou os boatos sobre a “mala-preta” e o caso Jean, da Ponte Preta. Mas o presidente da Portuguesa, Manoel Da Lupa, não conseguiu provar nada. Apenas ganhou alguns segundos de destaque no Jornal Nacional.

Com o fim do Paulistão, a Lusa perdeu jogares importantes como Athirson e não houve nenhuma contratação para fortalecer a base da equipe. Outros jogadores, como Christian, Ediglê e Guigov passaram boa parte do campeonato no Departamento Médico e outros revezavam entre o DM e as suspensões de cartões que dificultava para o treinador montar o mesmo time todo jogo.

Ano negro

Ano negro

Com o elenco desfalcado, Bonamigo conseguiu manter, aos trancos e barrancos, o time entre os primeiros no Campeonato Brasileiro. Mas foi mandado embora, dia 05 de agosto, após a derrota contra o Juventude, no Canindé.

A derrota para o time gaúcho foi o ponto inicial para a decadência da Portuguesa no Brasileirão. Demorou uma semana para o clube anunciar um novo treinador, falaram em Leão, Jorginho, Mancini, mas anunciaram Renê Simões, que foi responsável pela pior fase da Portuguesa na série B e manchetes em todos os jornais e a segunda aparição do ano no Jornal Nacional.

Simões comandou a equipe por 13 dias e em seu currículo colecionou duas derrotas e um empate. O treinador também foi um dos principais envolvidos no caso, um dos mais sujos e tristes da história da Portuguesa, envolvendo conselheiros armados no vestiário. Com isso a Portuguesa ganhou a interdição do Canindé e a saída do treinador.

Na 21°rodada do Brasileirão, na nona colocação e após seis partidas sem vencer, Vagner Benazzi assumiu o time no lugar de Renê Simões, com uma vitória diante do Fortaleza por 1 a 0. Benazzi  chegou com a missão de recuperar o time desgastado devido ao escândalo do vestiário e correr atrás do tempo e pontos perdidos.

Com Benazzi no comando, a torcida lusitana acreditou que o time retornaria a elite do Brasileirão. A equipe disputou a última vaga até quase a última rodada, mas sem os mandos de jogos no Canindé, e os pontos bobos perdidos ao longo do Campeonato a missão não foi concluída com sucesso. Faltando quatro rodadas para o fim e a obrigação de vencer todos os jogos, a Portuguesa foi derrotada pelo Juventude, em Caxias, e perdeu a possibilidade do retorno a série A.

A Lusa terminou o Campeonato em 5°, posição que não vale nada. Só valeria se a Lusa tivesse mais peso diante da CBF para ganhar o processo contra o Guarani, que escalou irregularmente o jogador Bruno Cazarine. Mas não deu em nada e a Lusa fechou o ano com: cinco treinadores, duas vezes 5ª colocada, a eliminação na primeira rodada da Copa do Brasil e duas aparições no Jornal Nacional. Resultados naturais para um time que não tem planejamento e muito menos uma diretoria que entenda de futebol.

O que esperar de 2010?

A numerologia diz que o 10 está relacionado com a Terra, então será o ano dos “pés no chão”, bola em campo e vitórias Lusa. Ano que espero mais sucesso para a Portuguesa, o retorno para a Série A e motivos bons para abrir muitas cervejas após os jogos lusitanos, o Boteco da Lusa está louco para comandar a festa da vitória, e se for para aparecer no Jornal Nacional, que seja para mostrar o troféu de Campeã…

A torcida da Lusa e o que ela tem de melhor

A torcida da Lusa e o que ela tem de melhor

Demais Balanços de 2009:

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Corinthians 2009: Arrumando a casa para 2010

December 22nd, 2009 | 22 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2009, Corinthians, Musas

Preguiçosos que só, pedimos a alguns torcedores para escreverem sobre o ano de seus times e uma pincelada para 2010. Nicolau, corinthiano e futepoquense  atendeu-nos ao que diz respeito ao Corinthians, ainda que nos delegasse poderes na edição de imagem da torcida corinthiana, mandou o caminho das pedras.

Por Nicolau – Futepoca

Corinthians 2010: Controle emocional

Acabou mais um ano futebolístico brasileiro e os corintianos estão ainda meio que decepcionados com o desempenho do time. Dizem que dava pra ganhar o Brasileiro, que foi fácil, que o desmanche prejudicou, que a diretoria jogou a toalha cedo demais… Tudo isso pode ser verdade em relação ao Nacional, mas devo dizer que não estou nada insatisfeito com 2009.

Chora Colorado

Chora Colorado

Questão de expectativa, talvez. Em 2008, lembro de gente reclamando da quinta colocação no Paulista alcançada pelo time do então estreante técnico Mano Menezes e do vice da Copa do Brasil. Ora, em 2007, o Timão tinha feito papel muito pior no campeonato estadual, terminando numa vexatória nona colocação. E sobre a Copa do Brasil, quem diabos imaginava que o time pudesse sequer chegar na final? O que eu queria de 2008 era voltar para a Série A e resgatar um pouco da auto-estima destroçada. Disputar uma final foi bônus.

Em 2009, o time estava montado, mas sofria a desconfiança de ter jogado apenas a Segundona. A contratação de Ronaldo foi uma bomba, mas poucos eram os que botavam fé que o cara fosse fazer a diferença que fez. Eu esperava o seguinte desse ano que ora acaba: ganhar um campeonato (podia ser o Paulista) e conquistar a vaga para a Libertadores. Se tivéssemos feito só isso eu estaria satisfeito. Levamos logo dois títulos na bagagem, um invicto e outro ganhando do Inter, então aclamado melhor time do Brasil.

E o time do centenário?

O elenco que está sendo montado parece ser bom, entre os melhores do Brasil. Percebam que eu disse elenco, não time, já que os onze titulares ainda precisam ser definidos. Ou seja, se vai dar certo em campo, são outros quinhentos, mas considero que a diretoria achou boas opções.

As contratações de Iarley, Danilo e Tcheco qualificam bastante as opções do time do meio pra frente. Os três se juntam a Jorge Henrique, Dentinho, Ronaldo e os também novos Defederico e Edno. Quem tem tantos bons nomes na armação e ataque?

Também desembarca no Parque São Jorge o volante Ralph, que eu não vi jogar, mas dizem que foi bem pelo Barueri. Ele disputará com Elias, Edu, Marcelo Mattos e Jucilei uma posição que já era razoavelmente bem servida.

Mas o nome mais badalado veio para a lateral-esquerda, naquela que foi definida por Andrés Sanches como a grande contratação do futebol brasileiro: o lateral Roberto Carlos. Por mim, seja bem vindo. Não tenho nem idéia de como ele está atuando, mas parece que estava em atividade na Turquia e chega para jogar. Das opções possíveis, me parece uma boa. Além disso, tem as questões fora de campo. O cara tem bastante moral e fama por aí, deve vender uma boa quantidade de camisas.

A diretoria diz que ainda quer um zagueiro e um lateral-direito. Será um belo elenco. Engraçado que vi corintianos reclamando que “vai dar briga de ego”, que montar time de “medalhões” não dá certo. Ora, quem quer disputar várias competições no ano, e pra ganhar, tem que se acostumar com a idéia de que bons jogadores ficarão no banco – e os atletas também têm que aceitar essa condição. Nesse sentido, as escolhas foram até interessantes, pois não me lembro de nenhum desses caras arranjando encrenca desse tipo (fora Roberto Carlos, mas ele deve mesmo ser titular).

Resta saber como Mano Menezes vai montar o time. Mantendo-se o 4-2-3-1, entendo que Tcheco e Danilo disputam a vaga como meia centralizado, Marcelo Mattos e Ralph para assumir a de primeiro volante, Edu e Elias se revezam como o volante que sai para o jogo.

Peso ao time. No mau e no bom sentidos

Peso ao time. No mau e no bom sentidos

No ataque, Ronaldo centralizado é certeza. Iarley deve ser o substituto do Gordo, mas quando este jogar, o ex-goiano briga por uma das pontas com Defederico, que jogou muito bem no final do Brasileirão. Jorge Henrique deve continuar titular por sua impressionante consciência tática. Dentinho e Edno ficam no banco – o que quer dizer provavelmente que jogarão bastante o Paulistão.

O time titular, a meu ver, deverá ser: Felipe; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Marcelo Mattos, Elias e Danilo; Jorge Henrique, Defederico e Ronaldo. Mas há quem diga que Iarley será titular no lugar do argentino. Também tem quem diga que o time vai de 4-4-2, com Danilo e Tcheco armando e Ronaldo e JH (ou Iarley) no ataque. Ou seja, muitos bons problemas para Mano resolver na montagem do ataque.

A defesa segue boa, mas com opções reduzidas. Rezemos para que Chicão e William se mantenham inteiros.

Pressão e visão de longo prazo

Para 2010, as apostas aumentam. O pessoal está babando pelo título da Libertadores, o que é um risco. Aumenta a pressão em cima dos jogadores e comissão técnica e cria condições para papeis lamentáveis como em 2003 e 2006. Se dá merda e o time não ganha, vai ter gente pedindo a cabeça do técnico, do presidente, do roupeiro, periga ter invasão de vestiário, agressão a jogador…

Tudo isso seria, na minha opinião, uma grande besteira. A questão é bastante simples pra mim: não se pode jogar fora todo um trabalho por conta de um torneio. O projeto corintiano tem que ser consolidar um time forte, criar uma estrutura bem montada e disputar os primeiros lugares do Brasileiro e a Libertadores todo ano. Pra isso, dentro de campo, é positivo manter um elenco com poucas variações durante alguns anos e o trabalho de um mesmo técnico.

O Chelsea em 2004 montou um dos times mais caros do mundo. Até agora, ganhou dois campeonatos ingleses e mais nada. Tomou sucessivos nabos na Liga dos Campeões. Mas disputou todas, mantendo a receita em alta e se consolidou como um dos times mais temidos do mundo.

Esse deve ser o objetivo do Corinthians: estar sempre nas cabeças. Não adianta nada ganhar um Brasileiro como o de 2005 para ser rebaixado em 2007. Enfim, é preciso ter calma. Mas minhas expectativas para esse ano são bem positivas: solto rojão se ganharmos um dos dois campeonatos; mas, se não der, não considerarei um ano perdido se estivermos na Libertadores de novo em 2011.

A torcida do Corinthians e o que ela tem de melhor

A torcida do Corinthians e o que ela tem de melhor

Demais Balanços de 2009:

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Santos 2009: O medo da figuração

December 14th, 2009 | 3 Comments | Filed in Campeonato Brasileiro 2009, Copa do Brasil 2009, Musas, Santos

Preguiçosos que só, pedimos a alguns torcedores para escreverem sobre o ano de seus times e uma pincelada para 2010. Glauco do Futepoca  atendeu-nos ao que diz respeito ao Santos, com única exigência que por questões matrimoniais a escolha das imagens ilustrativas do post ficariam por conta do Blá blá Gol. Assim foi feito.

Por Glauco – Futepoca

2009, mais um ano para o santista esquecer. O torcedor, que comemorou a saída de uma fila de 18 anos sem títulos em 2002 com a nova geração dos “meninos da Vila” e depois ainda curtiu mais um título brasileiro, uma final de Libertadores e dois estaduais, voltou a temer a volta dos sombrios anos 80/90. À época, o Peixe era um mero figurante na maioria dos campeonatos e o povo alvinegro tinha que escutar sempre o coro “Pelé parou, o Santos acabou”.

E olha que no primeiro semestre de 2009 o time até fez boas apresentações. O ataque veloz com Neymar e Madson e a inspiração de Paulo Henrique Ganso derrubaram o favorito Palmeiras nas semifinais do Paulista, mas sucumbiram na final diante de um rotundo atacante que buscava o perdão de seus pecados da carne (nos dois sentidos). A eliminação para o inexpressivo CSA na Copa do Brasil fez com que nenhum alvinegro confiasse mais plenamente no trabalho – até bom, diga-se – de Vágner Mancini e o treinador não chegou até o fim do primeiro turno do Brasileirão.

Daí veio a pá de cal. O Santos retirou dos escombros um dito “gênio” do futebol que havia sido escorraçado de um clube rival. Luxemburgo fez o de sempre, mandou e desmandou, fez contratações de gosto duvidoso como a do incasável Jean, patinou, falou mal do ex-clube e praticamente decretou a derrota de Marcelo Teixeira, o Eterno, nas eleições santistas. Luxa acabou sendo um excelente cabo eleitoral da oposição, ainda mais quando polemizou diretamente com os adversários de seu fiel presidente.

A torcida do Santos e o que ela tem de melhor

A torcida do Santos e o que ela tem de melhor

Assim, a vitória da oposição no Santos após nove anos de comando do Eterno deram alguma esperança para o torcedor em 2010. De positivo, o reinado acabou a tempo do time não ir para a segunda divisão (corintianos, palmeirenses e vascaínos não tiveram a mesma sorte).

O comandante ou “professor” será Dorival Júnior. Ainda que seja um técnico com altos e baixos e sem um currículo extenso, pode-se dizer que melhorou muito em relação ao antecessor (em termos técnicos, de vontade e também de salário). Para alegria de parte da torcida, Kléber Pereira, que será lembrado mais pelos gols perdidos do que pelos feitos, também foi embora, e mais treze atletas têm contrato por vencer no fim de ano.

O oscilante Rodrigo Souto, com proposta do Paris Saint-Germain, também deve deixar a Baixada Santista. Outro que pode arrumar as malas é um ex-intocável. Fábio Costa, protegido do presidente e dono de uma das panelinhas da Vila Belmiro, não tem a simpatia nem a confiança da nova diretoria e pode ser dispensado para dar chance o jovem Felipe. Se for, não sentirei saudades.

E quem vem? Como o presidente eleito Luís Álvaro Ribeiro só toma posse no dia 15, as especulações são inúmeras. Aparentemente certo, o meia Macnelly Torres, do Colo Colo. Outros nomes cobiçados segundo a mídia são Rafael Coelho, artilheiro do Figueirense, e o zagueiro Durval, do rebaixado Sport. Por enquanto, nada para empolgar, mas com a manutenção dos garotos, o Santos pode sim ser um time competitivo na Copa do Brasil e no Paulista. Já para o Brasileiro, serão necessários os fundos de investimentos prometidos pela nova diretoria para fazer do time novamente o “campeão absoluto deste ano”, como reza o glorioso hino alvinegro.

Foto da Baleia

Foto da Baleia

Demais Balanços de 2009:

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Corinthians Campeão Paulista 2009

May 4th, 2009 | 6 Comments | Filed in Corinthians
Timão apresenta camisa comemorativa do título

Timão apresenta camisa comemorativa do título

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Uma ofensa, um disparate

April 13th, 2009 | 5 Comments | Filed in Corinthians

O que foi isso que Cristian fez?

Quanta ofensa, quanta provocação!

Não sabia o jogador que errou.

Que ali não era local nem hora para isso.

Pois todos sabem que isso só pode ser feito nos jogos das quartas, que acontecem depois das 22:00.

Péssimo exemplo. Vou passar a ver BBB

Péssimo exemplo. Vou passar a ver BBB

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Corinthians x São Paulo – Pré-Jogo

April 12th, 2009 | 8 Comments | Filed in Torcidas Organizadas

Espero escolta para que eu e meu cooler atravessemos a Francisco da Cruz Nunes e cheguemos em segurança na casa de Serginho para vermos o Fla x Flu.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Foi dado o motivo.

March 24th, 2009 | 37 Comments | Filed in Futebol, Justiça, Torcidas Organizadas, Vídeo

Primeiramente gostaria de dizer que é com grande alegria que posto meu primeiro texto aqui no blog. Muito legal poder compartilhar as minhas ideias com a galera. Valeu aê!

Mas vamos ao que interessa. Após uma série de discussões no Brasil inteiro sobre a legalidade ou não da carteirinha de cadastro do torcedor em jornais, programas de TV, sites e aqui mesmo no Blá Blá Gol, tudo que os defensores dessa medida queriam era um motivo para que a ideia ganhasse peso. E o motivo foi dado.

Após o clássico entre Corinthians x Santos, pela 15ª rodada do Campeonato Paulista, o que se viu nas arquibancadas do Pacaembu foram cenas de guerra. A T.O. do Santos, talvez inflamada pelo fato da diretoria corinthiana ter liberado apenas 6% da carga de ingressos para o rival, iniciou uma confusão tremenda com a PM. Quem acompanhou a confusão, com certeza ficou preocupado com a família que estava exatamente no ponto de encontro entre a Jovem e os policiais militares.

Pancadaria Torcida Jovem x PM

Enquanto a TV ia mostrando as imagens, os repórteres buscavam declarações dos jogadores, comissões técnicas e outros personagens do clássico. Até que, perguntado sobre o que poderia ser feito para evitar esse tipo de confusão, o promotor Paulo Castilho lançou a pérola: “Somente quando o projeto (do pacote de medidas que visa identificar todos as pessoas que vão a estádios) for aprovado e tivermos um cadastro eficiente, com monitoramento, essas pessoas sairão daqui diretamente para a cadeia”.

Balela, sr. promotor. O cadastro pode até ser utilizado para identificar os possíveis focos de tensão, como as T.O.’s, por exemplo. Quem fizer parte da Organizada, precisa ser cadastrado no sistema do governo.

Nos outros casos, a discussão aqui é muito mais profunda do que proibir cervejas e bandeiras nos estádios ou obrigar o torcedor inocente à se cadastrar em um sistema de vigilância. O assunto passa por políticas de segurança mais rígidas que identifiquem os marginais que atuam nas Organizadas. Passa também pela forma como essas Organizadas são tratadas pelo Estado e pelos clubes de futebol. E passa pela forma errada com que as autoridades como o sr. tratam o problema. Após o último clássico entre São Paulo x Corinthians (famoso pela Polêmica dos 10%) o próprio Paulo Castilho defendeu a diminuição da carga de ingressos para a torcida visitante. Pois bem, tivemos 6% para a torcida do Santos e a situação foi pior que a do clássico Majestoso.

A questão não é diminuir a carga de ingressos ou criar sistemas rígidos e inconstitucionais de controle dos torcedores. A questão principal é a falta de atitudes concretas. Busque-se as imagens da confusão, identifique-se os agressores e puna-os, mas sem soltá-los 4 horas depois. Nada mais simples. Nada mais utópico num país marcado pela impunidade. O cadastro já foi feito. A identificação dos agressores é simples. Basta olhar para uma carteira que já é utilizada a muito tempo. O RG.

PS.: Peço desculpas pela simplicidade do post. Aqui no trampo é meio complicado de conseguir imagens e vídeos.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Corinthians x Santos

March 19th, 2009 | 32 Comments | Filed in Corinthians, Futebol

Devo pedir licença ao Clássico dos Milhões mas a partida do final de semana é entre Corinthians e Santos.

Primeiro porque ainda há euforia com a Fraude, e segundo pela nova sensação, por aquele que promete suplantar o amor do Maestro por Dodô [1] [2], Neymar.

Ontem puseram Galvão Bueno para trabalhar no Jornal da Globo e narrar os gols da Copa do Brasil e Libertadores, e já rolou: “O Menino Neymar”.

Pois bem, tudo parece um prólogo para o clássico, onde as atenções estarão voltadas. É ali que de fato Neymar entrará na pauta daqueles que apenas respiram futebol durante Copas do Mundo ou ficará relegado aos entendidos de futebol.

Os holofotes estarão lá por conta de Ronaldo, resta saber se ao fim do jogo Neymar conseguirá atrair a atenção destes. O Maestro espera que sim. Eu também.

n
Quem leva o clássico?
View Results

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.