Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Palmeiras e Fluminense Campeões do Mundo!

March 30th, 2007 por | Categorias: Fluminense, Futebol.

A Fifa oficializou o Palmeiras como o primeiro campeão mundial de clubes, pela conquista da Copa Rio no ano de 1951. A equipe alviverde tenta reconhecer o título como Mundial junto à entidade máxima do futebol desde 2001.

Como o Fluminense também ganhou, se não me engano em 52, o título é questão de tempo…

Parabéns aos dois.

ERRATA: Este post é de março de 2007, até o presente momento (julho de 2008) a FIFA não oficializou nada, e ao que parece não vai oficializar. Parabéns retirado.

Inscreva seu e-mail e confirme pelo link eviado para receber novos artigos do Blá blá Gol.

267 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

267 Comentários para “Palmeiras e Fluminense Campeões do Mundo!”

  1. Victor Pimentel
    30/03/07 - 17:02

    Esse Mundial tem para mim a mesma importância do gol 1000.Motivo para beber!Estava na dúvida em ir ao Espaço Itaipava.Vou para comemorar o título!E quando for oficializado o do Flu, comemoro de novo!

    Responda a este comentário

  2. bender
    30/03/07 - 17:59

    Se vcs não estiverem bêbados, e isso realmente existir, só um comentário, amigo: PQP!!!

    Responda a este comentário

  3. bender
    2/04/07 - 9:09

    E não é que isso é a vera mesmo!!!Quer dizer que já tinha torneio de verão nos anos 50?hahahaha… palhaçada!

    Responda a este comentário

  4. serginho valente
    2/04/07 - 20:37

    Finalmente o Rio tem um campeão mundial, de verdade. E não um mero vencedor de um amistoso de natal…

    Responda a este comentário

    Eric

    quem é um mero vencedor de um amistoso de natal

    Responda a este comentário

  5. bender
    2/04/07 - 17:55

    Hahahaha… muito bom! Campeão Mundial que não ganhou a Libertadores.

    Responda a este comentário

    Dudu

    Sou tricolor brother! mas é vdd meio estranho né! mas vamos lá! sou campeão mundial ! *_* ==OO==

    Responda a este comentário

    victor emo

    nao tem problema nao vencemos a libertadores mas vencemos o mundial ea taça olimpica

    Responda a este comentário

  6. Victor Pimentel
    2/04/07 - 18:08

    Muito bom.Serginho para ser coerente e sustentar o título de Campeão Mundial do Corinthians, e não reconhecer os do Santos (2), São Paulo (2), Grêmio e Flamengo vai ter de dizer que Palmeiras e Fluminense são campeões mundiais!De toda forma, só para deixar munição, os defensores da tecla do Fluminense campeão mundial interclubes pode alegar que foi o participante do país sede. (como acontecerá à partir do próximo Mundial, quando o representante da Oceania disputará um jogo com um time do Japão).Atualizando a lista de Serginho, os campeões mundiais são (ou serão "oficializados")1951 – Palmeiras1952 – Fluminense2000 – Corinthians2005 – São Paulo2006 – InternacionalSerginho joga pela lixeira os títulos de Real Madrid, Boca Jrs, Nacional, Peñarol, Ajax, Milan, etc… pelo reconhecimento da FIFA.Será que o time de 51 do Palmeiras desfilará em carro de bombeiros pela Av. Paulista?

    Responda a este comentário

  7. Victor Pimentel
    2/04/07 - 21:10

    digo “…pelo NÃO reconhecimento da FIFA.”

    Responda a este comentário

  8. bender
    3/04/07 - 9:40

    Aliás, cade o "Mundial de Clubes 2 – a missão", vulgo torneio de verão, que seria disputado na Espanha por volta de 2001, depois 2002, transferido pra 2003, 2004, 2005…?

    Responda a este comentário

  9. Victor Pimentel
    3/04/07 - 11:20

    Mundial de Clubes 2 – a missão é uma boa. Vai rolar.Assim como "Maracanã 2014"Levar 1 hora para sair do estádio é sacanagem.

    Responda a este comentário

  10. Serginho Valente
    3/04/07 - 11:33

    Bom, nenhum de nós estava vivo na década de 50 (acredito que na época houve grande festa pelos títulos, não sei se com desfile em carros de bombeiros). Assim como nenhum de nós estaremos vivos daqui a 75 anos. Por isso a importância de instituições que atravessem o tempo e possam, realmente, atestar ou não alguma coisa. Não sou eu, o Victor, ou Bender, quem decidimos quem é, ou não, campeão de alguma coisa. Eu não jogo nada pela lixeira, só acho que a minha opinião não tem muita importância no cenário mundial. Se a FIFA reconhecer o título do Flamengo, ou de qualquer outro clube, então eu reconheço também.Pela lógica de vocês, o glorioso Maguila foi campeão mundial de pesos-pesados. Já que a FBB (Federação Bandeirantes de Boxe) lhe outorgou esse título. Aí sim, a Toyota poderia dizer quem é ou não campeão mundial de futebol, sem a anuência da FIFA.Sobre a pergunta do Bender, o Mundial de Clubes já acontece há dois anos no lugar da extinta Copa Toytota.

    Responda a este comentário

  11. Victor Pimentel
    3/04/07 - 12:14

    A bem da verdade, a FIFA fez como Poncio Pilatos e lavou as mãos.O "título mundial" foi reconhecido pela… CBF (com anuência da FIFA) por mera politicagem.

    Responda a este comentário

  12. bender
    3/04/07 - 12:18

    Hahaha… que por incrível que pareça continua sendo patrocinada pela Toyota e continua sendo em Tóquio. Aquilo que Flamengo, Gremio, SP, Inter, Boca, Real Madrid… ganharam.Melhor do que a Copa Traffic, vulgo torneio de verão, no Brasil, que nada valeu.

    Responda a este comentário

  13. serginho valente
    3/04/07 - 12:43

    Bem, acho que a FIFA deve estar muito preocupada, porque o Victor acha que ela fez politicagem, ou porque o Bender acha a Copa Toyota melhor do que a Copa Traffic, que aliás ele também acha que não valeu nada. A FIFA deve até tirar o título do Corinthians por causa disso…De repente, o Joseph Blatter não dorme a semanas por causa disso, e deve até renunciar nas próximas horas…

    Responda a este comentário

  14. bender
    3/04/07 - 17:24

    Putz… e agora?? o que será que o Romário está achando disso tudo?

    Responda a este comentário

  15. KADU FLUZÃO
    24/09/07 - 13:59

    CAMPEONATO QUE EU SAIBA TEM QUE TER VÁRIOS JOGOS. UM JOGO DE NATAL É PALHAÇADA INVENTADA PELA MIDIA RUBRO NEGRA.

    PALMEIRAS E FLUZÃO SÃO OS LEGITIMOS CAMPEOES MUNDIAS . O FLUZÃO É O ÚNICO DO RIO .O RESTO É O RESTO .
    QUANTOS JOGOS O URUBU DISPUTOU ? ISSO TUDO : uM ?
    HISTÓRIA PRA BOI DORMIR

    Responda a este comentário

    victor emo

    enois irmao esculacha mesmo essa mulambada

    Responda a este comentário

    jardiel

    mas o vasco tamb e campeao alis bi campeao mund 53/57

    Responda a este comentário

  16. Rafael
    24/09/07 - 14:58

    Faltou o já tradicional bordão tricolete “melhor do Rio”

    Responda a este comentário

    DION

    Engraçado. O título “MUNDIAL” do FLAMENGO foi numa época que só participaram TIMES MEDIOCRES. (NENHUM TIME DE PESO – NENHUM TIME ARGENTINO). PARABÉNS ! MUNDIAL DO FLAMENGO E NADA É A MESMA COISA. SE O FLAMENGO FOI CAMPEÃO MUNDIAL NAQUELE CAMPEONATOZINHO MEDIOCRE DAQUELA ÉPOCA, PORQUE NÃO FLUMINENSE E PALMEIRAS ???? Resposta: MÍDIA E GLOBO FLAMENGUISTAS.

    Responda a este comentário

  17. Carlos Cabral
    31/12/07 - 8:23

    o engraçado é que o Fluminense e o Corinthians são os únicos campeões mundiais a não ter ganhado o título continental.Imagina se a fifa tornar qualquer torneiozinho de antigamente campeonato mundial, até a minha desportiva ferroviária-ES já venceu um torneio disputado entre times internacionais, assim vamos reinvidicar o título de campeão mundial também, e comprovamos que a ‘tiva’ venceu o tornei disputado na bolivia em 1960, contra times da venezuela, colômbia, peru e times locais.Vamos à Fifa também.

    Responda a este comentário

  18. Carlos Cabral
    31/12/07 - 8:33

    Pobre coitado torcedor tricolor carioca, nunca ganharam uma libertadores, e já querem ganhar mundial.O título do Flamengo, não foi um mero amistoso, ganhamos a libertadores e com ela o direito de disputar esse título contra o campeão europeu da época.Não tem como dizer que os títulos do Santos dos anos 60, do flamengo de 81, do grêmio de 83, e os do São Paulo do sanos 90, não sejam tiulos mundias e não tenham importância, afinal se perguntarem qual era a estrela do Flu campeão do torneio de 52, ou do palmeiras do de 51, poucos saberiam dizer, mas já os do Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo, concerteza diriamos:Pelé, Zico, Renato Gaúcho e Raí, respectivamente.Enfim, titulo de tornei não vale, tem que ganhar o campeonato nacional, disputar e vencer o continental e por fim fazer a final com o melhor europeu, e ponto final as alegações tricolores.

    Responda a este comentário

    marcelo

    E amigo você deve ser um daqueles francos framenguista,já vi que não sabe nada. Então vamos la só 3 coisas ta.
    Castilho tava na copa de 1958,
    Didi tava na copa de 1958
    tele santana,nunca ganhou nada.
    Quem já foi campeão do torneio do japão que dizem valia como campeonato mundial de clubes,que joi campeão domundo depois pelo seleção brasileira.
    zico,nunes,jr,adilho.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    vai estudar , sem comentários.

    Responda a este comentário

    jardiel

    mundial ja ta dizendo e mundo nao e so sul-america x europa se for por isso o palmetras conquistou mais um mundial ao bater a fiorentina esses times hipócritas jogam apenas 1 partida e se consideram campeos mundiais

    Responda a este comentário

  19. Bender
    3/01/08 - 11:08

    Palhaçadas e mais palhaçadas…

    Responda a este comentário

  20. Rodrigo
    7/03/08 - 16:16

    Senhores, o “campeonato mundial” que era disputado e que o Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo ostentam como Título Mundial, sempre foi uma palhaçada. Concordo que não deixa de ser um título internacional, mas para chamá-lo de campeão do mundo falta muito!!!! Afinal o tal “campeonato mundial” era disputado pela equipe campeã das América (CONMEBOL) e pela equipe campeão da Europa (UEFA). Ou seja, um único jogo entre os campeões da América e da Europa. É inimaginável considerar este evento como “mundial”. Onde estão os times dos outros cantos do mundo? Cadê a África, Oceania e Ásia?
    Entretanto o campeonato organizado pela FIFA, que consiste em um torneio com o campeão de cada federação reconhecida pela FIFA (CAF – Confederação Africana de Futebol-, CONCAF – Confederação de Futebol das Américas do Norte, Central e do Caribe-, CONMEBOL – A Confederação Sul-Americana de Futebol-, OFC – Confederação de Futebol da Oceania-, AFC – Confederação de Futebol da Ásia – e UEFA – União das Associações Européias de Futebol). Isso sim é um Campeonato mundial de clubes. E somente os campeões desse torneio são dignos de serem reconhecidos como “Campeão Mundial”.

    Não tenho dúvida que foi muito difícil para o Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo obterem o titulo no passado, afinal a Libertadores da América não é nada fácil, por isso não podem ser desmerecidos. Mas convenhamos que para “campeão mundial” ainda está muito longe. E pelo bem da verdade, agora sim podemos chamar alguém de campeão mundial, pois além da Libertadores, o time ainda terá que enfrentar os melhores dos 5 cantos do mundo!!!!!!

    Responda a este comentário

  21. Bender
    7/03/08 - 16:50

    Caro Rodrigo,

    Ao invés de 1 único jogo, agora, são 2!!!

    Sem falar que a FIFA está querendo acabar com a participação da Oceania.

    Responda a este comentário

    SAMUEL

    O FLU E CAMPEÃO MUNDIAL.

    Responda a este comentário

  22. Serginho Valente
    7/03/08 - 17:37

    Caro Rodrigo, você está certo.

    E Rafael B. volta as mentiras ou está mal informado.

    O que se estuda, é a inclusão dos times da Oceania na chave asiática, como é feito na Copa do Mundo, inclusive.

    Responda a este comentário

  23. Rafael B.
    7/03/08 - 17:43

    Eu volto às mentiras? HAUHUAHuhuhauhauHAUHUHAUuha

    Então para a FIFA a Oceania é o mesmo continente do Asiático. A FIFA só entra pra complicar as coisas.

    Quer fazer igual a Copa do Mundo? Coloca o campeão da Oceania pra disputar com o 5º colocado da Libertadores.

    Responda a este comentário

  24. João do Caminhão
    6/04/08 - 2:00

    Se a Fifa reconhece, então somos também capeões mundiais. Quem ousará contestar a FIFA? Parabéns aos campeões da libertadores, mas se a FIFA assim diz, o flu é campeão mundial. Engulam isso, despeitados !!!

    Responda a este comentário

  25. Nelson Maciel dos Santos
    11/04/08 - 2:08

    Ola pessoal!!!
    Estive lendo todas as opinioes. Respeito a todas as opinioes. Agora e a minha vez!!!Sou Palmeirense, vivo em Londres e acompanho todos os lances do futebol no mundo todo.
    A FIFA e uma entidade que, ao meu ver, nao tem mais “aquela” credibilidade de antes e isso nao quer dizer que dando o titulo de campeao mundial ao Palmeiras ou Fluminense mude alguma coisa. Agora o que muda realmente e o cenario mundial com essas barbaridades que a entidade vem cometendo durante os ultimos tempos. Dizer que o Corinthians e os demais (entre 2005 a 2007) sao os “unicos” legitimos campeoes mundiais reconhecidos pela FIFA e realmente um absurdo. A FIFA deveria utilizar melhor seu metodo de classificacao e isso inclui tambem a escolha dos clubes que represetam seus paises ou continentes. No caso do Corinthians, tradicional colecionador de titulos intermunicipais, varzeano e de par ou impar, obteve de forma “desconhecida” o direito de representar o Estado de Sao Paulo. Alem disso teve a “sorte” de nao mandar seus jogos em seu estadio, ate mesmo porque nao tem. Na epoca, em 1999, o Palmeiras havia conquistado a Libertadores da America e com isso seria o “legitimo” representante do lado paulista. Nem isso foi respeitado. Tudo motivado pelo interesse… politico ou de promocao do Corinthians. Um clube sem “passaporte” conquista o mundo!!! Em 1950, o futebol vivia uma fase de “introducoes” ou “aprimoramento”, ou seja, nao se pode comparar a ausencia de uma Libertadores da America. Nao tivemos tambem Copa do Mundo no periodo da guerra e isso nao fez com que os titulos fossem esquecidos ou descredibilitados. Houve um longo periodo sem a realizacao da Copa do Mundo, entre 1939 a 1949. A Copa voltou a ser realizada em 1950, ano em que o Brasil recebeu o mundo. Por isso nao podemos esquecer do nosso passado de glorias, ou seja, um ano apos termos sido derrotados pelo Uruguai, demos a volta por cima e conquistado o titulo mundial, agora de clubes. Esse titulo foi conquistado com meritos por um clube de tradicao… o unico a conseguir parar a maquina chama Santos na decada de 60, o clube que representou o Brasil nao so nesse evento, mas tambem contra esse mesmo Uruguai em um jogo amistoso em que vencemos por 3X0, um clube que tem uma das mais belas historias do futebol brasileiro senao mundial, um clube que sofreu com a guerra, tendo que trocar de nome em funcao disso, um clube de tantas glorias, um clube de fracassos tambem, mas que soube reverter as situacoes, como por exemplo o rebaixamento, ganhamos dentro de campo e nao tivemos que voltar jogos, nao dependemos disso para obter sucesso, nao conquistamos titulos dessa maneira e e por essas e outras que fica a nossa indignacao, em particular, a minha indignacao com tudo o que se passa na atualidade. Outro absurdo e um clube mexicano poder jogar a Libertadores e nao poder ir a final do mundial. Que coisa sem tipo!!! Que brincadeira de mal gosto!!!
    Na minha opiniao, o sol nasce para todos mas o brilho deste mesmo sol so reflete para o time do Parque Sao Jorge. O Palmeiras e o primeiro campeao do mundo e tambem o primeiro campeao do “pos guerra”. O Corinthians e o primeiro campeao do mundo, no novo seculo e ponto final. Obrigado pela atencao. Gostaria de saber a opiniao de todos… Parabens Sao Paulo, Gremio, Flamengo, Santos, Internacional, Palmeiras e, porque nao Corinthians. Parabens por tornarem o futebol brasileiro o melhor do mundo. Nelson Maciel dos Santos-Londres-Inglaterra.11/04/2008

    Responda a este comentário

  26. Victor
    11/04/08 - 9:45

    Nelson,
    Concordo totalmente que dizer que Corinthians e os campeões de 2005. 2006 e 2007 são os únicos campeões mundiais é uma bobagem.
    Primeiro porque reconhecer o título do Corinthians é uma bobagem. Carece de desportividade. Foi um campeonato armado com times escolhidos à dedo. O critério técnico ficou em segundo plano.
    Para não discutir filigranas, acho outra bobagem minimizar os campeões intercontinentais. Em escala de importância, são similares a esses mundiais de 2005, 2006 e 2007.

    Quanto aos títulos de Palmeiras e Fluminense, acho forçar a barra elevá-los à condição de campeões mundiais. Pelo que consta, haviam outros torneios similares pelo Mundo, sem contar que não se tinha uma noção estabelecida que se disputaria um título mundial, isto é, como hoje, onde o Mundo inteiro do Futebol sabe que será disputado esse tipo de torneio, onde há preparação para se ganhar, é previamente conhecido.
    Possivelmente, foi um grande torneio, tratado até mesmo pela imprensa brasileira (imagina a passionalidade que não devia ser na época) como um Mundial, mas que definitivamente, aos olhos do Mundo, não devia ter sido reconhecido como tal.

    Escrevi com mais detalhes a minha opinião em Campeonato Mundial 2 – A Missão

    Responda a este comentário

  27. Rafael
    11/04/08 - 10:56

    Cara, o “aprimoramento” no futebol não aconteceu somente em 1950 ou antes. O tal “aprimoramento” é contínuo, tende ao infinito. E deve ser feito sempre.

    Mas não acho que seja “aprimoramento” reconhecer títulos das Copas Rio simplemente porque deu na telha de alguém. Aliás, quantas Copa Rio existiram?

    A Fifa quer dizer que Palmeiras foi campeão mundial nos anos 50 e diz que o de 2000 foi o “1º mundial de clubes”. A incoerência continua.

    Eu ainda não consegui entender porque o Corinthians e o Vasco disputaram o “torneio de verão” em 2000, por que o campeão da Libertadores (Palmeiras) não participou, por que eram 2 clubes europeus… ??

    Pra mim, pouca (para não dizer nenhuma) diferença irá fazer se um dia a Fifa reconhecer Santos, Flamengo, Grêmio, São Paulo, Boca, Real Madrid e todos os outros que ganharam o Intercontinental como campeões mundiais. Pois, de fato, eles já são.

    Responda a este comentário

  28. Serginho Valente
    11/04/08 - 11:00

    Quando escrevi esse post a notícia era de que a FIFA reconheceria tais títulos fato este que não se concretizou até agora.

    “Dizer que o Corinthians e os demais (entre 2005 a 2007) sao os “unicos” legitimos campeoes mundiais reconhecidos pela FIFA e realmente um absurdo.”

    Até o presente o presente momento, mesmo que algumas pessoas achem um absurdo, isso de fato acontece. Vale lembrar que outras tantas não consideram assim.

    Minha posição pessoal de reconhecer somente os títulos referendados pela entidade oficial a qual meu país, meu clube de coração e quase todos os países do mundo são afiliados, vem examente da diversidade de opiniões e critérios que cada pessoa, de qualquer lugar do mundo pode ter.

    Vamos supor que todo ano fosse realizado um confronto entre o campeão da Oceania e o campeão da América do Norte, e os participantes deste confronto proclamassem seu vencedores como campeões mundiais. Não vejo porque eles estariam errados, já que outras pessoas, de outros países, fazem o mesmo.

    Na minha opinião, a FIFA é sim uma instituição séria, que acerta muito mais do que erra, e seus critérios vão prevalecer históricamente. Vide os mundiais de Futsal e de Futebol de Areia.

    Mas lógico, cada um tem o direito de ter seus critérios, suas convicções, de considerar algo importante, ou não, etc. Até por isso, instituições como a FIFA são importantes.

    Responda a este comentário

  29. evandro
    13/04/08 - 16:59

    seria a maior honra q a fifa
    reconhecese o titulo do flu

    Responda a este comentário

  30. william
    21/04/08 - 16:41

    cara se a fifa considerar o titulo do palmeras e do fluminense os primeiros campeao mundiais seria bom os rubru negro pensa q e fodoes n sao de nada bando de pucha saco.Fluminense o primeiro e o unico campeao olimpico.

    Responda a este comentário

  31. PALMEIRAS
    18/05/08 - 17:59

    Palmeiras foi o único campeão mundial, o resto não vale os times da europa nem davam bola ……verdãoooooooooooooo !!

    Responda a este comentário

  32. Alexandre Simões
    25/06/08 - 11:47

    Os campeõs do mundo no Brasil são: Santos, Flamengo, Grêmio, São Paulo e Internacional.

    Tudo isto porque venceram a Libertadores e o Mundial de Clubes. Em 2005 ficou mais difícil porque são 2 jogos ao contrário de apenas 1 jogo.

    Muita gente poderá contrariar, mas é a pura verdade. Imaginem jogar um jogo do Mundial e perder logo de cara – pra um timinho qualquer??? Bom, no futebol de hoje não tem mais bobo e todo o time que quer ganhar o Mundial deve se preparar BEM e ganhar de qualquer time do MUNDO, não interessa se o time do 15 de Novembro de Piracicaba ou o Barcelona – tem que ganhar.

    Aquilo que a FIFA fez em 2000 com o Corinthians foi palhaçada porque os times europeus nem queriam vir ao Brasil. Ele foram “intimados” a vir por livre e espancada vontade, ou seja, nem eles concordavam mas a FIFA ameaçou eles.

    Para se campeão do Mundo tem que passar pela Libertadores ou Liga dos Campeões Europeus e se enfrentar no Japão, independente quem for jogar a final tem que ganhar. O resto é diz-que-disse. Palmeiras, Corinthians, Fluminense e Bangu não foram campeões do Mundo. Vasco da Gama não foi campeão da primeira Libertadores de 1948 porque teve até seleção participando. Misturar seleção com times não vale, é cada um na sua.

    E tenho dito. Não adianta reclamar. A verdade é só uma e está descrita acima.

    Responda a este comentário

    Victor

    Quem disse que não existem mais bobos no futebol?

    Bem… hoje em dia é possível ser Campeão do Mundo sem ter ganho a Libertadores. É só um time mexicano ganhá-la, e isto acontecerá um dia.

    Responda a este comentário

    Lincoln

    porra.. mas se misturou ate seleção, teoricamente ficou ate mais dificil!! argumentação froxa essa.

    Responda a este comentário

    Bender

    “Os campeõs do mundo no Brasil são: Santos, Flamengo, Grêmio, São Paulo e Internacional.”

    É isso.

    ****

    “É só um time mexicano ganhá-la…”

    Ou acaba a CONCACAF e emgloba todas as 3 Américas na Libertadores. Ou os times mexicanos têm que parar de disputar a Libertadores. Situação ridícula essa.

    ****

    “porra.. mas se misturou ate seleção, teoricamente…”

    Hehe… Vascão é “Bi-campeão da Libertadores”. Salve Eurico.

    Responda a este comentário

    Lincoln

    uma das coisas boas do eulincoln miranda

    Responda a este comentário

    André

    Meu amigo, sem querer de forma alguma defender o Vasco (se eu quisesse levantar a bola do Vasco eu diria que o Vasco foi mundial em 1953/57 como os vascaínos dizem e eu não digo isso), nem tenho nada a ver com o Vasco, mas tenho que te corrigir numa coisa:
    Quem reconheceu a Sul-Americano do Vasco foi a Conmebol, SEM pedido do Vasco. A Conmebol escreveu um livro chamado “30 Años de Pasion y Fiesta”, dizendo que o Sul-Americano foi antecessor da Libertadores- tal como a FIFA diz que o Intercontinental foi antecessor do seu Mundial atual mas sem “igualar” as competições. Sacaste?
    Portanto, vc tá errado nas duas coisas: 1- dizer que o Vasco é bi da Libertadores (é bi sul-americano, mas não da Libertadores) e 2- dizer que o reconhecimento foi a pedido do Eurico , quando o reconhecimento da Conmebol foi sem pedido do Vasco- o pedido do Vasco foi sim para jogar a Supercopa quando a competição já tava reconhecida pelo livro da Conmebol. Sacou?
    Com relação ao Alexandre Simões, o nosso amigo colorado tá meio mal-informado. Não teve seleção nenhuma naquela competição. Não sei donde ele tirou isso.
    Ele tb escreveu “Aquilo que a FIFA fez em 2000 com o Corinthians foi palhaçada porque os times europeus nem queriam vir ao Brasil.”. Eu me lembro de ver na televisão ao vivo (VER NA TELEVISÃO AO VIVO- ninguém me contou) o representante do Real Madrid dizendo que o Real fazia questão de participar, porque da mesma forma que se orgulhava de ser o 1° campeão intercontinental, se orgulharia de ser o 1° campeão mundial se ganhasse aquele mundial.
    Também escreveu “Detalhe – a FIFA não oficializou o título do Palmeiras. Nem Fluminense nem Bangu que foram campeões do mesmo torneio que o Palmeiras ganhou.” – O Bangu ganhou um em Nova York em 1960, até com uns times em comum aos de 1951 e 52, mas não a mesma competição.
    O Batman colorado parece ser gente boa mas tá mal-informado nalgumas coisas.
    ABçs

    Responda a este comentário

  33. Alexandre Simões
    26/06/08 - 13:50

    Continuo a afirmar que torneios antes de 1960 não servem como parâmetro pra nada.

    Campeão da Libertadores e do Mundo são apenas após 1960 entre o campeão da América do Sul e da Europa e nada de seleções juntas disputando.

    Tem marreco que diz que com seleções fica mais difícel. Mas como????!! Em 1958 a seleção da Áustria é igual a de hoje em dia – uma naba. Foi esta seleção que o Palmeiras jogou em 1958 e ganhou. Mas se não ganhasse tinha que dar com um gato morto na cabeça.

    Não adianta, campeões são o Santos, Flamengo, Grêmio, São Paulo e Internacional.

    O restante ficou chupando o dedo.

    Responda a este comentário

  34. Bender
    26/06/08 - 14:32

    “torneios antes de 1960 não servem como parâmetro pra nada”

    Até concordo, mas deixo claro que Copa do Mundo de seleções não é torneio. Suécia 1958, esse é o ano.

    Responda a este comentário

  35. Alexandre Simões
    27/06/08 - 12:10

    Quando falo de torneio não é Copa do Mundo. Copa é diferente. Torneio é para clubes.

    Apesar que as Copas do Mundo de 1930 até 1950 eu acho que são murrinhas.

    Responda a este comentário

  36. Alexandre Simões
    27/06/08 - 13:37

    Detalhe – a FIFA não oficializou o título do Palmeiras. Nem Fluminense nem Bangu que foram campeões do mesmo torneio que o Palmeiras ganhou.

    É quase a mesma coisa do campeonato brasileiro – o campeonato começa a contar de 1971 para cá porque teve o consentimento de todos os times participantes e não apenas convidados como anteriormente.

    E o único pentacampeão nacional é o São Paulo. O Flamengo é apenas 04 vezes até porque todo o campeão e vice iam para Libertadores. Em 1987 quem é que foi para a Libertadores??? Sport e Guarani, azar se Flamengo e Inter não quiseram fazer a final conforme haviam combinado anteriormente com a CBF. A CBF é uma droga, mas nesse caso quem fez merda foi os times. Se não queriam assim que concordassem ou não com a CBF desde o início em fazer o cruzamento entre os times dos Módulos Amarelo e Verde. E sou colorado, mas se o Inter tivesse ganho do Flamengo e não fizesse a final com o Sport não ia considerar o Inter campeão. Se tu concorda com algo no início tem que ir até o fim, gostando ou não.

    Por isso, o campeão do mundo de 1960 em diante é válido porque é algo que todos os times concordaram em fazer e não convite que nem os torneios anteriores a 1960.

    Responda a este comentário

  37. Rafael
    27/06/08 - 14:43

    Alexandre Simões,

    Percebo que vc é muito primário ainda quando o assunto é 1987.

    Leia mais um pouco sobre isso e depois conversamos.

    Responda a este comentário

    Victor

    Rafael,

    Percebo que vc é muito primário ainda quando o assunto é 1987.

    Leia mais um pouco sobre isso e depois conversamos.

    Responda a este comentário

    Rafael

    HuahUAHUhaUhAU…

    Esse aí não é primário, mas daqui a pouco muda de opinião.

    Responda a este comentário

  38. Alexandre Simões
    30/06/08 - 13:39

    Como primário????!!!!! MAs é a verdade – se o Flamengo e o Inter não concordaram em jogar a final de 1987 com o Sport e Guarani que se ferrem.

    O campeão do Brasil em 1987 é o Sport. E Palmeiras não é campeão do Mundo – foi ao Japão e ganhou de alguém???????Não.

    E o Vasco não é bi das Américas. Só ganhou UMA vez.

    Responda a este comentário

    Bender

    Caro Alexandre Simões, como vc não sabe do assunto vou explicar.

    Não foi o Flamengo ou o Inter. Foi o Clube dos 13, do qual faziam parte. Quaisquer times do Clube dos 13 que chegassem à final da Copa União não enfrentariam a galera da segundona módulo amarelo. Isso ficou estabelecido desde o início e foi aceito pela CBF (que não tinha como organizar o campeonato naquele ano, dito por ela mesma), que depois se arrependeu e quis mudar impondo o tal esdrúxulo quadrangular, o quê, obviamente para o cenário de 1987, não foi aceito pelos clubes. Houve uma confusão com Eurico que teria assinado aceitando o cruzamento, mas ele foi desautorizado pelo presidente do C13.

    Na época da confusão a Justiça Desportiva confirmou o Flamengo campeão, mas o Sport correu para o tapetão e, junto com a CBF, conseguiu na Justiça Comum (Tribunal de Pernambuco) o direito de ser proclamado campeão brasileiro, mesmo sem vencer seu próprio módulo, que terminou empatado em 11×11 com o Guarani na disputa de pênaltis. Bizarro, não?

    ****

    No resto vc tem razão. Palmeiras não é campeão do mundo. O Corinthians tem uma piada lá que dizem ser. E o Vasco só ganhou 1 vez a Libertadores.

    Responda a este comentário

  39. Saulo
    30/06/08 - 17:32

    Se todos esses torneios internacionais fossem válidos, o troféu Ramom de Carranza seria um título mundial.

    Responda a este comentário

  40. Serginho Valente
    30/06/08 - 18:00

    É realmente engraçado como a opinião da maioria das pessoas vai de acordo com o interesse dos clubes para o qual torcem.

    Como disse antes, cada um tem o direito de ter a opinião que quiser. Podem até negar os fatos e criarem uma realidade própria para serem mais felizes.

    A realidade, porém, é o que prevalece.

    Os únicos clubes campeões mundiais reconhecidos pela FIFA são Corinthians, São Paulo, Internacional e Milan.

    http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/index.html

    O Sport é o Campeão Brasileiro de 1987.

    http://www.cbf.com.br/ – Pesquisar em campeões da série A.

    E o Vasco não é Bi-Campeão da Libertadores.

    Ganhou uma Libertadores e ganhou um campeonato internacional muito importante, a primeira conquista pelo futebol brasileiro no exterior. Incluindo a seleção brasileira. E considerado o “embrião” da Libertadores.

    http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Vasco/0,,MUL350188-4283,00.html

    Responda a este comentário

    Victor

    A explícita visão oficial da FIFA em 15 de Dezembro de 2007:

    With respect to the history of the FIFA Club World Cup and intercontinental club competitions in years gone by, such as the Copa Rio in the 1950s, the FIFA Executive Committee endorsed the view that the first edition of this competition was held in 2000 in Brazil where Corinthians became the very first FIFA club world champions. Other tournaments are not considered official FIFA events.

    Responda a este comentário

    Rafael

    O mais interessante do texto dessa página vc não colocou, além das recomendações de se jogar até 2.750m de altitude.

    “With respect to the Club World Cup, it was noted that Portugal, Australia, the United Arab Emirates and Japan have expressed an interest in hosting this competition in 2009 and 2010.”

    Isso seria interessante.

    ****

    “Other tournaments are not considered official FIFA events.” ???

    Foda-se. Uma canetada ou um nome no site não muda o passado. Assim como um juiz do Tribunal de Pernambuco não muda a história de um campeonato e uma conquista histórica de um clube dentro de campo.

    Responda a este comentário

  41. Rafael
    30/06/08 - 18:53

    É realmente engraçado como a opinião da maioria das pessoas vai de acordo com o interesse dos clubes para o qual torcem. [2]

    O jogo inacabado

    “Segundo o regulamento da competição, se a torcida de um time fosse responsável pela interrupção de uma partida, o time seria punido com a perda do jogo, indo os pontos para a equipe adversária, o que faria do São Caetano campeão da Copa João Havelange. No entanto, após pressão dos dirigentes e da imprensa, foi realizada uma reunião entre representantes dos clubes envolvidos, das federações estaduais (SP e RJ) e do Clube dos 13, que terminou com a marcação de uma nova partida, para o dia 18 de Janeiro de 2001.”

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_Jo%C3%A3o_Havelange

    ****

    É realmente engraçado como a VISÃO da maioria das pessoas vai de acordo com o interesse dos clubes para o qual torcem.

    “considerado o “embrião” da Libertadores.”

    HUAhuAHUHAUhaUhuahua…

    ****

    FIFA

    Honours:
    * 1 Intercontinental Cup: 1981
    * 1 Libertadores Cup: 1981
    * 1 Mercosul Cup: 1999
    * 1 Conmebol Gold Cup: 1996
    * 4 National Championships: 1980, 1982, 1983, 1992
    * 1 Uniao Cup: 1987
    * 2 Brazilian Cups: 1990, 2006
    * 1 Champions’ Cup: 2001
    * 1 Rio-Sao Paulo Tournament: 1961

    http://www.fifa.com/classicfootball/clubs/club=44132/

    4 + 1 = 5 (Penta)

    ****

    CBF?

    Fala sério!

    Responda a este comentário

    Gaburah

    And so, it’s right to say that FIFA herself DO NOT RECOGNIZE 1987′s Union Cup as a Brazilian National Championship.

    *****

    FIFA

    Major Honours:
    1 Campeonato Brasileiro: 1987
    1 Serie B Campeonato Brasileiro: 1990
    1 Copa do Brasil: 2008
    2 Copas Nordeste: 1994, 2000
    38 Campeonatos Pernambucanos: 1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1925, 1928, 1938, 1941, 1942, 1943, 1948, 1949, 1953, 1955, 1956, 1958, 1961, 1962, 1975, 1977, 1980, 1981, 1982, 1988, 1991, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2003, 2006, 2007, 2008, 2009

    http://www.fifa.com/classicfootball/clubs/club=252/index.html

    Responda a este comentário

  42. Rafael
    30/06/08 - 19:28

    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU

    AGORA QUE VI A “ERRATA” DO POST!!!

    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU

    POIS É SERGINHO… TEM QUE FICAR SEMPRE ATUALIZANDO SUAS OPINIÕES.

    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU

    Responda a este comentário

  43. Serginho Valente
    30/06/08 - 19:40

    Eu errei induzido por uma notícia, e reconheço isso. Que bom que você acha engraçado.

    A realidade, porém, é o que prevalece.

    Os únicos clubes campeões mundiais reconhecidos pela FIFA são Corinthians, São Paulo, Internacional e Milan.

    http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/index.html

    O Sport é o Campeão Brasileiro de 1987.

    http://www.cbf.com.br/ – Pesquisar em campeões da série A.

    E o Vasco não é Bi-Campeão da Libertadores.

    Ganhou uma Libertadores e ganhou um campeonato internacional muito importante, a primeira conquista pelo futebol brasileiro no exterior. Incluindo a seleção brasileira. E considerado o “embrião” da Libertadores.

    http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Vasco/0,,MUL350188-4283,00.html

    Responda a este comentário

  44. Rafael
    1/07/08 - 9:48

    “Retiro os parabéns…”

    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU

    CCCCEEEEEEEEEGGGOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!

    Não tem opinião própria. Fica pensando com a cabeça dos outros.

    Depois vc atualiza sua opinião de novo, de novo…

    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU
    HUAHuHAUHUHUHUHUAHUAHUAHUAHUAHU

    Realidade que prevalece

    Foda é discutir com quem não conhece futebol, não sabe nada, nega os fatos e não sabe nem o que foi o CND.

    Sugiro uma lida para aprender.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Rafael anda muito alegre ultimamente, não?

    São dois aspectos.

    1º – Eu tenho a minha OPINIÃO própria sim. Mas reconheço que a minha OPINIÃO não influi em nada nas decisões da CBF, ou da FIFA. Ainda sou lúcido o suficiente pra saber que a minha OPINIÃO não é suficiente pra tornar um time campeão ou não.

    2º – Em 1950 eu estava no ovo do meu avô, tenho a humildade de reconhecer que a FIFA, por exemplo, é mais capaz do que eu pra determinar se um campeonato disputado naquela época pode ser considerado um Campeonato Mundial nos critérios dela, que aliás, pouco se importa se eu ACHO que ela deve ou não considerar ou não alguma coisa.

    —-

    Já você, por exemplo, ACHA que a Gazeta Sei Lá o Que, sabe mais sobre os fatos do que Justiça, e talvez ACHE que a tal Gazeta, ou que a Toyota, sejam as instituições mais indicadas para dizer que time é campeão de alguma coisa.
    OPINIÃO sua.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Minha opinião também não é suficiente para determinar um campeão, mas um CAMPEONATO SIM. Se na SUA opinião um Tribunal que determina um campeão, parabéns pra vc.

    A SUA opinião é sempre se curvar ao que as entidades dizem, negando fatos e passados, sem o mínimo de questionamento e interesse. Vc nega aquilo que mídias sérias da época escreveram mesmo vc já fora do saco do seu avô. Vc não quer ler, nem quer ver aquilo que não interessa à seu clube.

    Mas a VERDADE MESMO (aquela que prevalece) é que vc diz isso pois os títulos questionados são os do Flamengo. Se fosse o Vasco sua opinião seria diferente. Não tenho dúvidas disso.

    Paciência. Cada um com seu cada um.

    Já sabe o que foi o CND?

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Bom, é por aí, nós temos OPINIÕES diferentes, óbvio.

    Na minha opinião, o campeão deve ganhar o título no campo. No meu ponto de vista, o Flamengo não entrou em campo pra decidir o título.

    Pra você, o Flamengo não deveria entrar no campo.

    Pra Justiça e pra CBF, o Campeão é o Sport. Eles é que decidem. Você pode até ficar chateado, mas se não fosse assim, seria desastroso. Recentemente, por exemplo, o Internacional se declararia campeão Brasileiro, e pronto, o título de 2005 seria dividido.

    Se você é tão interessado em questionamentos, por que ainda não pesquisou o documento mais importante que deveria ser pesquisado? Que é o devido processo legal que ratificou o título do Sport?

    Você pode ter a opinião sobre mim que quiser, assim como eu tenho a minha sobre você, e assim como nós temos sobre as outras coisas.

    Eu, por exemplo, não acho o Vasco Bi-Campeão da Libertadores, tem vascaíno que acha. Não acho o Vasco Campeão Mundial, tem vascaíno que acha. Se você procurar rapidamente no Google, você vai ver isso. Além disso, não acho o título da Mercosul grande coisa, como achava antes de o Vasco ganhar.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Continuo sem saber o que esse tal de CND tem haver com o futebol brasileiro. O importantíssimo CND ainda existe?

    Responda a este comentário

  45. Rafael
    1/07/08 - 11:48

    “Na minha opinião, o campeão deve ganhar o título no campo.”

    Não parece.

    “Pra você, o Flamengo não deveria entrar no campo.”

    Errou de novo. Não é por mim. Isso foi decidido pelo Clube dos 13 (inclusive o Vasco) e aceitado pela CBF, que não tinha condições de organizar o campeonato naquele ano. Depois a CBF quis mudar e isso não foi aceito.

    Aliás, não sei porque eu fico repetindo isso aqui perdendo meu tempo. Vc só se interessa por aquilo ao “seu favor”. E o fictício título do Sport parece sua maior vitória. Se o Inter tivesse ganho do Fla na única final que vc viu e acompanhou em 1987, não existiria essa discussão entre a gente.

    “Recentemente, por exemplo, o Internacional se declararia campeão Brasileiro, e pronto, o título de 2005 seria dividido.”

    Vc não fala coisa com coisa. Houve em 1987 algum caso, algum grampo, algum árbitro… como em 2005?

    “…é o devido processo legal que ratificou o título do Sport…”

    Já. Já li o processo do Tribunal de Pernambuco de 1997 que deu o título de 1987 ao Sport. Não vi nada de relevante nele. Tem apenas o lado dos advogados do Sport, provavelmente com a ajuda da CBF, que estava em conflito com o Clube dos 13 pelos óbvios intere$$es.

    Mas já que vc gosta tanto de Tribunais, sentenças e juízes, eu continuo com meus questionamentos não respondidos do outro post.

    “Uma olhada rápida no Conselho Nacional do Esporte do MINISTÉRIO DO ESPORTE que “Aprova o Código Brasileiro de Justiça Desportiva” e vemos:

    TÍTULO II
    DA JURISDIÇÃO E DA COMPETÊNCIA
    CAPÍTULO I
    DISPOSIÇÕES GERAIS
    Art 24 Os órgãos da Justiça Desportiva, nos limites da jurisdição territorial de cada entidade de administração do desporto e da respectiva modalidade, têm competência para processar e julgar matérias referentes às infrações disciplinares e competições desportivas, praticadas por pessoas físicas ou jurídicas mencionadas no artigo 1o.

    CAPÍTULO II
    DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA
    Art 25 Compete ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD):
    I – Processar e julgar, originariamente:
    a) seus auditores, os de suas Comissões Disciplinares e os procuradores;
    b) os litígios entre entidades regionais de administração do desporto;
    c) os membros de poderes e órgãos da entidade nacional de administração do desporto;
    d) os mandados de garantia contra atos dos poderes das entidades nacionais de administração do desporto e outras autoridades desportivas;
    e) a revisão de suas próprias decisões e as de suas Comissões Disciplinares;
    f) os pedidos de reabilitação;
    g) os conflitos de competência entre Tribunais de Justiça Desportiva;

    http://www.fmfnet.com.br/cbdf.pdf

    Continuo perguntando. Se “compete ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) processar e julgar”, cabe a Justiça Comum nisso? O que a FIFA acha disso?”

    Existe algum outro caso NO MUNDO de uma questão do futebol ter sido resolvida no Tribunal da “Justiça Comum”?????

    ****

    O CND não existe mais. Mas existia na época e rugulava e regulamentava todos os esportes no Brasil.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    É provável que não existisse mesmo a discussão, se o Internacional ganha, você iria dizer que o Sport é campeão.

    Com certeza o Sport e a CBF eram muito mais poderosos que o Clube dos 13…que, ironicamente, havia “obrigado” a CBF a aceitar todas as suas reivindicações pois não tinha sequer condições de organizar o Campeonato Brasileiro…levando-se em consideração que junto com o combalido e marginalizado Clube dos 13, estavam indigentes como Coca-Cola, Rede Globo e Petrobrás…realmente faz todo o sentido.

    Além do mais, você, sem estudar um semestre sequer de Direito, sabe mais do que o Tribunal de Justiça e é mais eficiente que todo o Departamento Jurídico do Flamengo e do Clube dos 13, claro.

    Sabe tanto que, lógico, sabe que pela legislação brasileira, esgotados os recursos na Justiça Desportiva, é lícito buscar tutela na Justiça Comum. E que naquela época, a FIFA permitia que assim fosse.

    Como eu disse Rafael, você tem a sua OPINIÃO, baseada nos argumentos em que você quer acreditar.

    Eu também tenho a minha. Eu acho que Flamengo e Internacional, por terem se recusado a entrar em campo, deveriam ter sido rebaixados. E que o jogo entre Flamengo x Atlético-MG na Libertadores de 81 deveria ter sido anulado, e jogado novamente.

    Mas a realidade é outra.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Se o Inter ganha eu não iria dizer nada. O problema seria deles. Se me perguntassem, eu daria minha opinião, como faço hoje, e essa seria o Inter campeão obviamente. Não tenho nada contra o Sport, mas ele não foi campeão nem do módulo amarelo em 1987.

    O Clube dos 13 não obrigou ninguém a nada. Quem tentou fazer isso foi a CBF. O Clube dos 13 foi criado apenas pelos desmandos da entidade. Os principais clubes do Brasil não aguentavam mais perder dinheiro. Vc mais uma vez mostra que não conhece nada e deveria se informar melhor. A Petrobras nada tem a ver diretamente com isso.

    Errou de novo. Eu estudei Direito no 1º semestre da minha Faculdade de Economia. Foi o suficiente para eu perceber que muita coisa na Legislação e nos Códigos dependem de interpretação.

    Vc, mesmo tendo estudado quase uma Faculdade inteira de Direito, não entendeu o que eu colei no comentário acima sobre o Conselho Nacional do Esporte do MINISTÉRIO DO ESPORTE que “Aprova o Código Brasileiro de Justiça Desportiva” e sua JURISDIÇÃO E DA COMPETÊNCIA.

    Estava decidido desde o início que nenhum dos clubes disputariam o quadrangular da CBF. O único que deveria ser punido seria o Sport por ter recorrido à Justiça Comum um caso para se tratar na esfera desportiva, como ficou decidido e sacramentado na época.

    Não se preocupe com o Flamengo de 81, vc nunca terá esse prazer com o seu Vasco.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    “Clube dos 13 não obrigou ninguém a nada.”

    Ué…no Gazeta Sei Lá O Quê, a manchete diz claramente que o Clube dos 13 derrotou a CBF…

    Ah…os Códigos dependem de interpretação…então uma interpretação sua deve prevalecer sobre a dos magistrados, lógico.

    Pois é…pesquisa um pouco mais, com a mente mais aberta. Você deveria achar no mínimo estranho um Tribunal de Justiça cometer uma ilegalidade deste tamanho num caso de tanta repercursão, e um clube do porte do Flamengo, escorado no Clube dos 13, permitir…mas não, você nem quer penar sobre isso.

    O Eurico, representando o Clube dos 13, com autorização deste, assinou, antes do campeonato começar, o regulamento com o quadrangular. Dizer que o Clube dos 13 não sabia disso é ridículo.

    O Sport é um clube muito poderoso, ninguém jamais teria coragem de o puni-lo, e dar o campeonato brasileiro pro fraco Clube dos 13.

    “Não se preocupe com o Flamengo de 81, vc nunca terá esse prazer com o seu Vasco.”
    Qual prazer? Roubar o Atlético-MG? É provável…

    Responda a este comentário

    Rafael

    Vc é mais burro do que eu pensei. Não sabe nem ler, imagina interpretar.

    A matéria da Gazeta diz que claramente que houve uma CONCILIAÇÃO entre o Clube dos 13 e CBF, quando esta aceitou que não haveria a existência do quadrangular. A referida “luta” foi na mesa de negociação como deve ser feita. E depois a CBF quis alterar.

    Cara, a única coisa que eu acho estranha é um clube que nem disputou uma competição ser declarada campeã desta. Sei que a CBF não podia “ir dormir com essa derrota”, e se utilizou de sua força, suas mamatas e seus meios políticos para conseguir essa atrocidade que é declarar alguém campeão no Tribunal.

    Eurico? “Representando o Clube dos 13″, “com autorização deste” (???), assinou, antes do campeonato começar (???), o regulamento com o quadrangular.

    HUAhuAHUAHUAHUAUA….

    Nunca vi o tal regulamento assinado pelo Eurico. NUNCA vi um documento, ou alguma procuração do Clube dos 13 dando poderes para o Eurico assinar por ele. NEM NA PORRA DO PAPEL do Tribunal de Pernambuco que “ratifica o título do Sport” estão esses documentos anexados. Eles existem?

    ****

    O prazer de ter um esquadrão desses basicamente formado em casa com jogadores de seleção que realmente eram flamenguistas que jogou bonito (o futebol arte) e que foi extremamente vitorioso (ganhou tudo). Só isso.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    “O prazer de ter um esquadrão desses basicamente formado em casa com jogadores de seleção que realmente eram flamenguistas que jogou bonito (o futebol arte) e que foi extremamente vitorioso (ganhou tudo).”

    Huahauhauhaua…e quando você viu isso?

    O Regulamento do Campeonato está óbviamente anexado ao processo. Se você não viu, é porque não leu absolutamente nada referente a isso. Vai pesquisar.

    Ah! Então “Clube dos 13 GANHA a luta contra a CBF” significa uma conciliação. Lógico.

    E logo depois sorrateiramente a CBF altera o regulamento, escondida de todo mundo, compra a Justiça, os advogados do Flamengo, do Clube dos 13, inventa o quandrangular, declara o Sport campeão, e todo mundo aceita isso numa boa. Lógico, faz muito sentido. Você é muito inteligente.

    O presidente do Flamengo, e do Clube dos 13 deviam ser muito ingênuos coitados, pra cairem no velho golpe da alteração escondida do regulamento secreto.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Vi justamente em 1987 com o 4º título nacional daquele time.

    Eu vi e li o tal processo do Tribunal de Pernambuco dando o ganho de causa ao Sport. NÃO tem o regulamento assinado pelo Eurico ou a procuração do Clube dos 13 dando poderes ao Eurico anexados lá. Se vc tem, favor me enviar.

    Jornal faz isso mesmo. Coloca a manchete “bombástica” e depois o subtítulo explicando mais detalhadamente. Se vc não leu, problema seu.

    Seus 2 últimos parágrafos não dá pra comentar. Lá só tem mentiras (o que já é normal no caso de comentários seus). Já expliquei 1 milhão de vezes. Continue na sua ignorância.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Huaauhauhauha, lógico, lógico, os caras entram na justiça a respeito de um campeonato, não anexam o regulamento do mesmo, e o juiz, por sua vez, não pede que isso seja feito. Claro, faz muito sentido, assim como todo o resto da história.

    Eu te envio, deposita R$350 na minha conta que eu te presto esse serviço.

    É claro, manchetes bombásticas e notícias, como se provou mais tarde, falsas…o Gazeta sei lá o quê parece ser um bom jornal.

    Sim, ficamos eu, a CBF e a Justiça brasileira na ignorância e na mentira. E você com a verdade suprema do seu mundo paralelo.

    SENSACIONAL! Agora o time que ganhou em 81 era o mesmo de 87…hauauhauauha, chega dar pena.

    Fica com seu Módulo Verde da Copa União, que eu fico com minha Libertadores.

    Responda a este comentário

  46. Rafael Lasch
    1/07/08 - 12:16

    Concordo com o colorado!!!
    Campeão do mundo tem que ganhar título continental e jogar no japão.
    O resto…são uns coitados.

    Responda a este comentário

  47. Alexandre Simões
    1/07/08 - 12:17

    Cara, o Inter foi roubado em 2005, mas fazer o que???? Deram de brinde o título para o Corinthians. Mas tudo bem, foi melhor assim porque foi o combustível para o Inter ganhar a Libertadores e o Mundial de 2006. Isto sim é um campeão do Mundo mesmo, ehehehehe. E ganhar a Libertadores e o Mundial é mais dificel do que ser campeão do Brasil e beeeeem mais gostoso. Ahahahaaha………..

    E o Flamengo não é campeão de 87, é o Sport.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    O Rafael não tem como saber o quanto é gostoso ganhar a Libertadores. Ele ainda tomava mamadeira e torcia pro Fluminense quando o Flamengo ganhou.

    Responda a este comentário

    Rafael

    E depois apaga os meus comentários…

    Responda a este comentário

  48. Rafael Lasch
    1/07/08 - 12:17

    “Fluzão” para mim isso é nome de chiclete!!!
    “fluzão” campeão mundial????
    Tão é louco!!!!

    Responda a este comentário

  49. Fernando
    1/07/08 - 18:25

    Rapidamente, sobre o assunto:

    Matéria desportiva ser julgada apenas por tribunal desportivo fere o princípio do duplo grau de jurisdição, sendo portanto o natural (ou justo, se preferir) que se possa levar a matéria a ser apreciada pela Justiça comum caso necessário.

    Se o que vocês analisaram foi o acórdão do Tribunal de Pernambuco, não há de se ter as provas em anexo, é óbvio. As provas ficam junto aos autos, que são incinerados após certo tempo. Talvez os clubes possuam os autos em cópia, mas se têm, nenhum fez questão de levá-los à imprensa ou algo do gênero para provar alguma questão qualquer.

    Outros casos de matéria desportiva certamente já foram resolvidas pela Justiça comum.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Fernando, como sou ignorante, apenas pra ser bem didático, o cara que decidiu o acórdão, examinou os autos, e por conseqüência as provas contidas nele? Se esse cara, mantivesse uma decisão estapafúrdia elaborada em 1ª instância, o Flamengo poderia recorrer com boas chances de exito, em Brasília, não é?

    Responda a este comentário

    Fernando

    Bom, na verdade, quem julga em Tribunal é uma turma. Então o Acórdão vem de uma turma de Desembargadores, que votam e decidem, e não uma pessoa só. Basicamente, quando estamos em primeiro grau, o juiz que julga dá a sentença. Se recorrermos, vamos para o segundo grau (tribunal), e quem julga é uma turma de desembargadores dando o acórdão-sentença (chamado comumente apenas de acórdão).

    No Tribunal, com certeza os desembargadores examinaram os autos (incluindo as provas) e também a decisão dada em primeiro grau, além, é claro, de ouvir as partes.
    Convém, aliás, ao tribunal, manter a decisão de primeiro grau, já que lhe pouparia trabalho. Então, normalmente, pra se reformar uma decisão, deve-se ter bons argumentos no recurso (por isso eu prefiro confiar no Tribunal de Pernambuco a confiar na diretoria do Flamengo etc.).

    Não sei se entendi o que vc quis dizer na segunda pergunta. A decisão que o Flamengo consideraria estapafúrdia teria vindo da 2a instância, ou seja, do Tribunal de Pernambuco!! Poderia se considerar primeira instância, nesse caso, a decisão do STJD. Mas, ao Flamengo, caberia na 2a instância (Tribunal de Pernambuco) o contraditório, ou seja, o direito de resposta aos argumentos do Sport, tentando manter a decisão do STJD (e, como eu disse acima, é mais fácil manter a decisão do que reformá-la).
    Não tendo sucesso (como aconteceu), o Flamengo só poderia apelar pra Brasília alegando que o acórdão desrespeitava lei federal ou da constituição.

    As chances de êxito, agora, penderiam pro Sport, já que o acórdão era em seu favor. O Flamengo teria que fazer com que a turma de ministros entendesse pela reforma da decisão, tarefa talvez não tão fácil.

    Não sei se o Flamengo não recorreu por não ver como caberia um recurso desses à Brasília (STF ou STJ), ou se tentou direto uma ação recisória para anular o acórdão e não teve sucesso. Mas o certo é que não houve bobeira (como Eurico dizendo que o dpto. jurídico vascaíno esqueceu de pagar 30 reais de preparo… haja incompetência!) e o Flamengo deve ter exaurido os recursos possíveis para mudar essa decisão. Se ela não mudou, há de se pensar que era realmente a mais justa a ser tomada do ponto de vista jurídico.

    ****

    Bem, Serginho, eu reli o que vc falou e o que eu respondi, não sei se tá muito em sintonia, se eu expliquei bem, mas qq coisa fala q eu tento esclarecer (não domino perfeitamente o assunto, mas sei alguma coisa).

    Ah, e respondi ao meu próprio comentário pois não consigo postar resposta de resposta, não sei pq…

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Pra mim foi bastante claro. É porque usam o argumento de que por se tratar do Tribunal Federal da região de Pernambuco, isso teria sido determinante na sentença, e que o Flamengo não teria como se defender de maneira justa.

    O Rafael, inclusive, argumenta que a CBF descumpriu uma lei federal, da CND, se isso fosse um fato, certamente o Flamengo levaria o processo até Brasília.

    Cada vez mais fica provado que o Sport é o legítimo campeão brasileiro de 1987.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Quando for citar alguma coisa eu disse, favor fazer um ctrl C ctrl V. Com áspas inclusive.

    E depois apaga os meus comentários… [2]

    Responda a este comentário

    Fernando

    Só uma correção:
    Acabei de falar com um amigo que fez monografia sobre um assunto que envolvia a Justiça Desportiva.

    Ele me disse que na verdade, quando o clube entra na Justiça Comum, ele entra sim em 1a instância (juiz) e, depois de recorrido, vai pra 2a instância q é o tribunal.
    Aí eu perguntei: Ué, e o q q acontece com a decisão anterior, da justiça desportiva??

    Segundo ele, é como se a justiça desportiva fosse apenas um juízo administrativo (Sabe quando vc tenta recorrer de uma multa no Dentran pelo próprio Detran? Então, se der errado, ainda assim vc pode acionar a justiça, pois apenas tentou um processo administrativo).

    O que significa que a ação do Sport foi julgada tanto por um juíz como depois pelo tribunal.

    Segundo meu amigo ainda, hoje em dia não é mais possível entrar com ação na justiça comum em matérias que devam ser vistas pela justiça desportiva (Você até pode, mas vai sofrer sanções, do tipo deixar de participar de algum campeonato, etc… e as decisões da justiça comum sempre vão imperar sobre as da justiça desportiva).

    Agora, CND eu não sei o que é, nem de atribuição dela pra fazer leis federais. Se me falarem, eu dou uma pesquisada. Se tinha essa lei, o Flamengo deu mole em não recorrer em cima disso(Será q era o Eurico o Presidente do Flamengo?).

    Agora, por um outro lado, vendo o lado do Flamengo, eles realmente ganharam em um processo, na Justiça Desportiva, pra ver tudo ir por água abaixo na Justiça Comum, tendo sido esse processo julgado em Pernambuco (o que não acho que altere muito, mas… o choro é livre, como dizem).

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Então, é exatamente como eu achava que era. Inclusive com a FIFA, na época, permitindo que após esgotados os recursos na justiça desportiva, se buscasse a justiça comum. Hoje, se um clube faz isso, é realmente punido pela FIFA, apesar de ter essa garantia na legislação brasileira.

    Parece que o CND era parte do Ministério dos Esportes, e foi responsável pelo Código Brasileiro de Justiça Desportiva (Lei Federal), que acabou com a Constituição Federal de 1988. Não tenho certeza.

    Responda a este comentário

  50. Victor
    1/07/08 - 21:19

    Serginho e Fernando,
    peço desculpas mas pela primeira vez vou me abster de ler comentários no Blá blá Gol.
    Não tenho mais estômago.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Fique à vontade. Ninguém te chamou.

    IIIIAAAAAOOUUUUUU!!!!!

    HUhauhAUHAUHAUHAUah…

    Responda a este comentário

  51. Rafael
    2/07/08 - 8:36

    Impressionante como tem campeões mundiais por aqui, cheio de argumentos e jurisprudências mas o fato é campooooo!!!!
    Tem que ganhar Libertadores e ir para o Japão!!!

    O resto é campeonato carioca!!!

    Responda a este comentário

  52. Rafael
    2/07/08 - 10:01

    Pois é Serginho, seus comentários são ridículos. Vc só fala besteira, não sabe nada e acha que sabe tudo. Não vale a pena te responder.

    Fernando,

    Acho que seu vacilo maior é o desconhecimento e o não interesse pelo CND. Se quer comentar e discutir futebol, dá pelo menos uma olhada pra ver o quê é.

    “Outros casos de matéria desportiva certamente já foram resolvidas pela Justiça comum.”

    Qual?

    Então quer dizer que um acórdão de um Tribunal não há de se ter as provas em anexo? Putz… eu desconhecia mais essa falha da nossa Justiça. Só para entender melhor, então quer dizer que um processo que está sendo julgado no Brasil não precisa de suas provas anexadas? Ainda bem que eu não fiz Direito. Agora entendo porque o pessoal da área reclama tanto dos Códigos e Processos Brasileiros.

    Aliás, essa Justiça ‘Comum’ Brasileira é a mesma que liberta criminosos e deixa assassinos soltos. Muito bom. E tem gente que acha que criticar isso é absurdo.

    Esse papo todo de instância, tribunais, processos… é muuuuuuuito chato, eu prefiro discutir futebol e o campeonato brasileiro ganho pelo Flamengo no campo. Ainda não entendi pq o caso foi julgado no Tribunal de Pernambuco (mesmo que isso não interferisse). Não entendi pq saiu da esfera desportiva (se não pode). Não entendi porque a CBF voltou atrás. Não entendi como o Jurídico do Flamengo (ou do Clube dos 13) pôde ser incopetente. Que saísse de Pernambuco, que se levasse para Brasília, para o Supremo, instância máxima de qq Justiça Brasileira.

    Eu entendo seu lado Fernando. Vc legisla em causa própria, pois como vascaíno é do seu interesse o título para o Sport, mesmo que vc tenha que passar por cima do seu caráter como alguns fazem, negando aquilo tudo que viram e que sabem com diversas provas de mídias e depoimentos de pessoas envolvidas da época (por isso não acredito no Tribunal de Pernambuco).

    Para desqualificar o título do Flamengo, vocês se apegam à combalida Justiça Brasileira e sua “lisura”. Eu não acredito nessa lisura. Acredito mesmo na canalhice que fizeram num CASO ÚNICO no MUNDO, por brigas, politicagens e interesse de alguns. A única verdade é que roubaram o título do Flamengo no Tribunal de Pernambuco. Mas no campo, nas mídias sérias, na Gávea, na memória dos torcedores e para grande (e maior) parte do Brasil, o título foi sacramentado por Bebeto, Fla 1 x 0 Inter.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Exatamente como foi dito desde o início. OPINIÃO, cada um pode ter sua. O sujeito escolhe no que acreditar, e interpreta o que está escrito da maneira que quiser.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Eu tenho minha opinião sim. E essa é de não concordar com roubos, armações, politicagens, desmandos e canalhices. Como vc parece que concorda com isso, não temos nada a mais para discutir.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    A minha opinião, é que rouba, armação, politicagem, desmandos e canalhices tentaram ser cometidos pelo Flamengo e pelo Clube dos 13.

    Que tentaram alijar clubes que tinham o direito de disputar a 1ª divisão em 87 do campeonato. Depois tentaram mudar o regulamento na marra, no meio da competição. E depois ainda quiseram declarar um campeão que não disputou a decisão.

    Se você se deixa levar por tudo que a mídia diz, pelo que apenas um lado da politicagem diz, ou mostra, sem pesquisar os fatos que realmente ocorreram o problema é seu.

    Desta vez, a Justiça brasileira, com todos os seus defeitos, funcionou e preservou o direito conquistado por uma instituição mais fraca contra todas as pressões financeiras, da mídia e de boa parte da população brasileira.

    Quem dera que fosse sempre assim.

    Responda a este comentário

    Rafael

    “sem pesquisar…”

    HUAhuAHUhaUuAHu

    “não disputou a decisão”

    O Sport não venceu nem o módulo amarelo.

    “uma instituição mais fraca contra todas as pressões financeiras”

    Bobagem. Daqui a pouco vc vem com o papo de “o povo do Nordeste”.

    Responda a este comentário

    Fernando

    Bom, Rafael, vamos por partes:

    Se vc realmente quisesse acrescentar algo à discussão, poderia logo ter falado sobre o que é essa CND e o que acha q ela influi nesse caso. Eu estou comentando e discutindo futebol sim, trazendo meus conhecimentos. Você acaba por só atacá-los e não agrega nada à discussão. Sabendo o que é essa CND e a qual lei vc se refere, eu posso pesquisar e trazer uma visão jurídica sobre isso.

    Eu não vou ficar te dando exemplos de uma coisa tão óbvia como essa de alguém não se satisfazer com uma decisão de justiça desportiva e entrar na justiça comum.
    Vc já viu alguém desistir de recurso cabível e aceitar a primera decisão que recebe em juízo? Então… encare a justiça comum como uma segunda chance de se ter seu caso julgado, sendo que com uma sentença final imutável (coisa julgada) que impera sobre a anterior… aí pense que clube, entidade esportiva ou até atleta abriria mão disso.

    Acórdão em tribunal só tem o conteúdo decisório e não os autos do processo, como já dito. Não é falha. Se contivesse as provas, não seria acórdão, seriam os autos inteiros. O processo é público, quem, na época, tivesse interesse poderia pedir cópia dos autos.
    Os autos são incinerados por não haver espaço físico para guardá-los nos arquivos da Justiça. Mas duvido que ninguém tenha cópia dos autos de um processo importante como esse.

    Criticar a justiça é necessário! Temos que tentar melhorá-la. Agora, injustiça acontece no mundo todo. O Brasil tem um sistema jurídico, em partes, muito moderno, e isso inclui o Direito Processual Civil, que foi a via de resolução desse caso concreto (E o Direito Civil o direito material utilizado). O que vc cita são injustiças no nosso Código Penal que realmente precisa de reformas.
    Também acho interessante vc dizer que podem dizer ser absurdo vc fazer críticas ao sistema judiciário, enquanto vc acha absurdo fazer críticas a árbitros de futebol sem que algo seja provado contra eles. Vc não tem nenhum motivo concreto para duvidar dos desembargadores de Pernambuco (que não necessariamente são pernambucanos, inclusive).

    Se o papo é chato, me desculpe, tentei ser sucinto. Acho o papo interessante (claro, é minha área) e pertinente quando a discussão parte pra esse lado jurídico.
    O caso foi julgado em Pernambuco pelo critério territorial de distribuição de competência. Não vou tentar explicar pra não ser mais chato, mas a doutrina entende como correto esse critério.
    Saiu da esfera desportiva pq pode sim! Principalmente naquela época. Hoje ainda pode, mas quem o fizer sofrerá sanções.
    Como expliquei acima, a decisão do STJD não vale quase nada! Apenas vale se a outra parte não se opõe (No exemplo, vc entra com processo administrativo contra o Detran, recorrendo de uma multa, perde e aceita essa derrota, pagando a multa e não querendo engressar na Justiça Comum).
    Aliás, não só pode como deve!! A prestação jurisdicional da Justiça Comum parece mais segura e eficiente que a da Justiça Desportiva (explico mais lá embaixo).
    Se vc ler direito, eu disse que o Flamengo não deve ter sido incompetente nesse caso, e sim ter perdido pq assim entendeu a Justiça. Deve ter impetrado todos os recursos possíveis depois do acórdão, tendo sido negados por quem os competia (tribunal, STF ou STJ). Só teria sido incompetente se, podendo entrar com recurso, não o tivesse feito, o que não creio que tenha acontecido.

    Não estou passando por cima do meu caráter, nem legislando em causa própria. Se tivesse cabeça mais aberta, entenderia meus argumentos, apesar de não concordar com eles, assim como eu entendo os seus.

    ****

    Agora, olha que interessante um doutrinador falando sobre Direito Desportivo antes da Lei Pelé (época em que foi impetrada essa ação):

    “Para garantir a autonomia da Justiça Desportiva, a “Lei Pelé”, sua regulamentação e a
    legislação posterior que a alterou instituíram um novo sistema para possibilitar a composição dessas
    entidades. Anteriormente, os auditores, como são chamados os membros da Justiça Desportiva,
    eram escolhidos na forma das disposições contidas nos estatutos das entidades de administração do
    desporto, ou seja, havia grande ingerência dos “cartolas” na formação da Justiça Desportiva. Com a
    “Lei Pelé”, essa realidade foi modificada.”
    -Rodrigo Diniz Cury

    Como utilizar a decisão do STJD então como parâmetro pra qualquer coisa?? Que cartolas influenciariam mais o STJD, o do Sport ou o do Flamengo??
    Só me faz confiar mais na decisão do Tribunal em detrimento das alegações da diretoria do flamengo, da decisão do STJD etc etc etc..

    Responda a este comentário

    Rafael

    Eu já disse sim Fernando. Mas vou repetir:

    O Conselho Nacional de Desportos (CND) foi um órgão voltado para os esportes. Era responsável pela regulação e regulamentação de todos os esportes e suas respectivas federações e confederações no Brasil. Era vinculado ao Ministério dos Esportes ou algo do tipo na época.

    Não estou atacando nada.

    Se é “uma coisa tão óbvia” assim por que ninguém nunca tinha se utilizado disso? Dado que o futebol é sempre cheio de muitas controvérsias e disputas.

    Cara, na minha visão de leigo, o Código Penal precisa de reformas, Civil, Trabalhista (esse então, PUTZ!!!), Tributário… Todos.

    O papo fica chato quando sai das quatro linhas. Mas não é culpa sua. Entendo sua posição. No campo, o Flamengo ganhou.

    “O caso foi julgado em Pernambuco pelo critério territorial de distribuição de competência”.

    Hehe… agora sim! Elucidou muito…

    “a doutrina entende como correto esse critério.”

    Hehe… quem é a doutrina? Ou quem determina isso? Parece um papo meio que de ideologia.

    “Saiu da esfera desportiva pq pode sim! Principalmente naquela época. Hoje ainda pode, mas quem o fizer sofrerá sanções.”

    Então mudou? Assim como a CBF fez com o regulamento que ela aceitou e depois não quis mais.

    “a decisão do STJD não vale quase nada”

    Isso é assustador! É opinião sua ou é isso mesmo? Que se acabe então com o STJD, se ele não serve pra nada, nem mesmo para julgar questões relativas ao esporte.

    Cara, pessoalmente, eu tenho um processo de condomínio ganho já em 2 instâncias. Meu advogado falou que para ser sacramentado ainda temos que esperar, pois a outra parte recorreu à Brasília e o processo está lá. Lhe pergunto, quem sou EU?

    Tenho a cabeça aberta e entendo seus argumentos. Mas tenho conhecimentos dos fatos da época da Copa União 87.

    “Como utilizar a decisão do STJD então como parâmetro pra qualquer coisa?? Que cartolas influenciariam mais o STJD, o do Sport ou o do Flamengo??”

    Talvez os senhores Otávio Pinto Guimarães e Nabi Abi Chedid, “donos” da CBF tivessem sim poderes bem maiores que os do Flamengo, apesar de não terem condições de organizar um campeonato naquele ano, tendo até mesmo declarado isso.

    ****

    O quê vc entende por “compete ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) processar e julgar…”

    Conselho Nacional do Esporte do MINISTÉRIO DO ESPORTE que “Aprova o Código Brasileiro de Justiça Desportiva” e vemos:

    TÍTULO II
    DA JURISDIÇÃO E DA COMPETÊNCIA
    CAPÍTULO I
    DISPOSIÇÕES GERAIS
    Art 24 Os órgãos da Justiça Desportiva, nos limites da jurisdição territorial de cada entidade de administração do desporto e da respectiva modalidade, têm competência para
    processar e julgar matérias referentes às infrações disciplinares e competições desportivas, praticadas por pessoas físicas ou jurídicas mencionadas no artigo 1o.

    CAPÍTULO II
    DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA
    Art 25 Compete ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD):
    I – Processar e julgar, originariamente:
    a) seus auditores, os de suas Comissões Disciplinares e os procuradores;
    b) os litígios entre entidades regionais de administração do desporto;
    c) os membros de poderes e órgãos da entidade nacional de administração do desporto;
    d) os mandados de garantia contra atos dos poderes das entidades nacionais de administração do desporto e outras autoridades desportivas;
    e) a revisão de suas próprias decisões e as de suas Comissões Disciplinares;
    f) os pedidos de reabilitação;
    g) os conflitos de competência entre Tribunais de Justiça Desportiva;

    http://www.fmfnet.com.br/cbdf.pdf

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    “Mas tenho conhecimentos dos fatos da época da Copa União 87.”

    Se tivesse o mais simples e básico conhecimento, saberia que no processo está PROVADO que o Clube dos 13 tentou mudar o regulamento que previa o quadrangular durante a competição, e só não conseguiu porque para isso era necessário unânimidade entre os participantes, o que não houve.

    Por isso, o Flamengo perdeu em todas as instâncias da justiça comum, só por isso.

    O estranho realmente é o STJD ter dado ganho de causa ao Flamengo.

    Sei que FATOS não te interessam quando contrariam sua OPINIÃO.

    Mas dá uma lida, com a mente aberta que você diz que tem:

    http://www.trf5.gov.br/archive/1997/04/199405000372353_19970424.pdf

    Responda a este comentário

    Rafael

    Pois é, esse é o mesmo documento que eu já li há tempos. “Muitos” tempos.

    Ele só tem a decisão estapafúrdia de um juiz do Tribunal de Pernambuco favorável ao Sport, que nem ao menos acabou DE FATO a disputa do seu módulo. E esse documento oficial diz que “o Sport foi campeão do Módulo Amarelo”.

    É o mesmo que eu disse que não tem nenhuma prova, continuo sem ver o regulamento assinado pelo Clube dos 13 COM o quadrangular e/ou uma procuração para o Eurico.

    Me espanta vc, que diz conhecer e saber de tudo e não sabe o que é o CND.

    Esse pedaço de papel deixa claro o roubo e a cassação do título do Flamengo conquistado com brilho no campo com seus craques.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Pois é, se você ler direito vai ver que o Desembargador decide baseado nas provas dos autos, que comprovam que o regulamento desde o início previa o quadrangular.

    O Fernando explicou porque as provas não estão no acordão, e que não foi um Juiz, foi uma turma de desembargadores.

    Pra CBF, o Sport foi campeão do Módulo Amarelo. Se você ACHA que não foi, ninguém pode fazer nada.

    Responda a este comentário

    Fernando

    Tá aí uma resposta sua que eu gostei, Rafael… sério, tava difícil discutir com vc, hehehe… normalmente eu desistia…
    Mas vamos lá:

    Vou pesquisar sobre o Conselho Nacional de Desportos e voltar aqui. Mas deve ser quem regulamentava o direito desportivo da época, né? Quem ditava a Lei Pelé, ou Lei Zico da época.

    Sobre ninguém nunca ter utilizado a justiça comum em detrimento da desportiva, onde vc ouviu falar disso? Se não me engano eu tenho inclusive um conhecido que jogava basquete e entrou na justiça comum em questão que, em tese, era pra ser resolvida na justiça desportiva (e não era matéria trabalhista não). Vou procurar saber…

    ****

    Sobre a ação ter saído da esfera desportiva, explico:
    Antes da Lei Zico (que não “pegou”) e da Lei Pelé, você não poderia ser sancionado por buscar a Justiça Comum. E foi o que o Sport fez. Agora, digamos que o Sport não tivesse entrado com essa ação, mas ainda pudesse entrar nesse ano. Se o Sport entrasse, provavelmente teria uma punição como não jogar o Brasileiro desse ano, cair direto pra Série B. Mas se ganhasse na Justiça Comum, teria o título reconhecido. Vale a pena um título de Campeão Brasileiro pra ficar 6 meses sem jogar? É óbvio que não, por isso ninguém mais entra na Justiça Comum.

    Isso faz com que, agora, a decisão do STJD tenha muito valor. É quase soberana. Mas antes da Lei Zico não. Pois não havia como punir o clube, então eles entravam na Justiça Comum quando queriam. O que fazia a decisão do STJD não valer muito.

    ****

    Não entendi muito bem a parte do seu caso com o condomínio, mas tá blz…

    Sobre os donos da CBF terem também influência na escolha dos auditores (que seriam os juízes da justiça desportiva), eu não tinha pensado nisso. É um bom contra-argumento. Não sei ao certo se a CBF podia ou não ajudar a nomear esses auditores, mas se podia, talvez realmente exercesse influência, possivelmente igual ou até maior que o Flamengo no STJD.
    De qualquer forma, o que foi visto foi a decisão em favor do Flamengo…

    ****

    Sobre essa lei aí no final, ela é recente ou é da época da ação do sport??

    Mas enfim, seja o que for, é o seguinte: Cabe ao STJD julgar isso.
    Mas não se pode impedir nunca o acesso à Justiça Comum, também por essas matérias (Isso é garantia Constitucional). E só a Lei Zico e depois a Lei Pelé deram um jeito de desestimular os clubes de irem à Justiça comum, entendeu?

    Até hoje ainda se pode, mas ninguém quer.

    ****

    No mais, o time do Flamengo era muito bom, jogou muito, ganhou de times muito fortes dentro de campo. Ganhou um campeonato fodasso!!! Mas é complicado, pelo menos pra mim, considerá-lo campeão brasileiro. Talvez se eu fosse alguém do clube dos 13 na época, falasse pro Flamengo “Não joga esse quadrangular mesmo não, foda-se a CBF, o nosso título a gente consagra é nas ruas..” e tal…
    Mas vendo de fora a sacanagem que é com clubes que foram bem no campeonato anterior e vendo como assim também entendeu o Tribunal de Pernambuco, não posso concordar com o que foi feito.

    Agora, como eu queria dar uma olhada nesses autos!! Aliás, eu e todos aqui do Blablagol, né…

    Responda a este comentário

    Rafael

    Pois é cara, com vc a gente consegue ter um diálogo digno. Eu tb queria ver esses altos. E muito. Mas eu não tenho R$ 350 para comprar do Serginho. Ele disse que por essa grana ele arrumaria.

    São diversos os casos de jogadores entrarem na Justiça do Trabalho contra os clubes pela falta do pagamento. Mas situações como essa do Sport acho difícil vc encontrar semelhante.

    Sim, eu entendi. Mas essa mudança aí pra mim só prova a falta de bom senso da Justiça brasileira. Antes podia, agora não. Ops… olha só, pode sim, mas vc vai se ferrar depois. Cara, falta muito ainda para se chegar num bom nível.

    Eu só quis dizer que eu, um pobre mortal, tenho um processo em Brasília. Apenas para continuar questionando por que o processo que determinava um campeão brasileiro teoricamente, foi decidido assim, tão estranhamente.

    Essa Resolução do Ministério dos Esportes é de 2003 (está logo na 1ª página), mas no final dele tem o que foi revogado.

    DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS E FINAIS
    Art 287 Ficam revogadas as Portarias MEC nº 702, de 17 de dezembro de 1981; nº. 25 de 24 de janeiro de 1984; nº 328, de 12 de maio de 1987; relativas ao Código Brasileiro Disciplinar de Futebol (CBDF); Portarias MEC nº 629, de 2 de setembro de 1986; nº 877, de 23 de dezembro de 1986, relativas ao Código Brasileiro de Justiça e Disciplina Desportivas (CBJDD), e as Resoluções de Diretoria das entidades de administração do desporto que se tenham incorporado às Portarias ora revogadas, e demais disposições em contrário.

    Ou seja, nada do CND ou STJD.

    Responda a este comentário

  53. Alexandre Simões
    2/07/08 - 13:18

    Mas a CBF que está certa: campeão de 1987 é o Sport. O resto é choradeira de carioca.

    Campeão do Mundo tem que ganhar a Libertadores. O resto é brejo.

    Responda a este comentário

  54. Rafael
    2/07/08 - 14:13

    Serginho nega aquilo que viu e acompanhou.

    Fernando legisla em causa própria.

    Alexandre Simões viajandão. Parece que nem sabe onde está.

    Acho que a única coisa que contribuiria para esse tema seria alguma opinião séria de alguém da época, que direta ou indiretamente, participou do caso. A favor do Flamengo ou do Arco-íris. Ou algum jornal (até mesmo de Pernambuco, desde que seja sério tb). Ou de algum especialista que estudou ou vivenciou o caso.

    Não mudarei minha opinião, mas somente assim agregaria alguma coisa.

    Tudo que todo mundo achava já foi dito aqui.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    “Não mudarei minha OPINIÃO, mas somente assim agregaria alguma coisa.”

    “Tudo que todo mundo ACHAVA já foi dito aqui.”

    Pelo jeito, qualquer um pode ter estudado sériamente a questão. Menos uma turma de Desembargadores que julgou o caso e não teve sua decisão reformada em Brasília…

    Não adianta alguém vir aqui dar uma OPINIÃO séria, primeiro que isso não vai fazer a CBF dar o título pro Flamengo, segundo porque você não vai mudar de opinião e terceiro que se a OPINIÃO não for de encontro a exatamente o que você pensa, provavelmente, você não vai considerá-la séria.

    Responda a este comentário

    Rafael

    Pra vc não adianta Serginho. Pra mim sim. Sempre engrandece opiniões sérias, como as do Fernando acima.

    Pra mim, não é sério quem diz ao léu: “Flamengo fugiu”, como vc faz. Isso é só para rir.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    A sua opinião sobre minhas opiniões me interessa muito, vou tentar melhorar.

    http://www.trf5.gov.br/archive/1997/04/199405000372353_19970424.pdf

    Responda a este comentário

  55. Alexandre Simões
    3/07/08 - 13:16

    Viajandão porque??? Só porque expressei minha opinião????!?!!?!?!! Eu respeito a tua opinião, então gostaria que respeitassem a minha. Creio que quem deveria ganhar o título de 2005 é o Inter – ganhou no campo. Mas o Corinthians usou de subterfúgios e ganhou no canetaço – e não estou reclamando do time do Corinthians de 2005 porque os jogadores não tiveram culpa e sim os dirigentes por fazerem tamanha falcatrua. Mas como o Inter ganhou a Libertadores e o Mundial nem precisamos do Brasileirão de 2005.

    E o Fluminense só se ferrou. É, ganhar a Libertadores tem que ter time e perder apenas 1 partida durante toda a competição, coisa que Fluminense e LDU fizeram pois perderam mais de 1 jogo.

    Mas como ganhou o menos ruim, fazer o que né……………

    Responda a este comentário

  56. IZAC
    20/08/09 - 21:26

    PELA MOR DE DEUS COPA RIO DE 52 FOI PARA COMEMORAR OS 50 ANOS DO TIMECO DE SEGUNDA

    Responda a este comentário

  57. PALMEIRENSE
    5/09/09 - 23:46

    Palmeiras: o Maior Campeão do Mundo

    Nada de medir forças com adversários pífios dos inexpressivos Marrocos e Arábia Saudita, como coube à ralé da marginal, para conquistar o Torneio de Verão da Fifa em 2000. Tampouco de duelar apenas com um oponente em um único prélio, como aconteceu aos tricolores do Morumbi, para levantar o título de Campeão Mundial Interclubes em 1992 e 1993. Não, com o Palmeiras foi bem diferente! E não poderia mesmo deixar de sê-lo. Afinal, nossa amada esquadra destaca-se das demais.

    Numa espécie de desafio supremo à magnitude da Academia, como que numa tentativa de provocar o Alviverde Imponente a produzir o melhor de seu potencial, para depois coroá-lo com os mais legítimos dos louros da vitória, os deuses do futebol se incumbiram de atribuir ao Verdão o fardo de disputar e vencer a Copa Rio em 1951, para um dia, sim, o colossal clube das cores verde e branco que amamos ser reconhecido pela inteligência como o maior dos campeões mundiais interclubes de futebol.

    Criada pela antiga CBD (atual CBF), a Copa Rio de 1951 equivalia a um Campeonato Mundial de Clubes, embora não contasse com o reconhecimento expresso da Fifa. Ora, pouco, ou nada, valeu a falta do carimbo da entidade máxima do futebol, já que a competição internacional disputada na Cidade Maravilhosa foi banhada no excepcional nível dos clubes convidados a dela participar: Palmeiras, Vasco da Gama, Nacional (Uruguai), Juventus (Itália), Sporting (Portugal), Olimpique de Nice (França), Estrela Vermelha (Iugoslávia) e Áustria Viena (Áustria). Em miúdos, a nata do futebol mundial.

    O Verdão disputou a primeira fase da competição em São Paulo, sempre jogando no Pacaembu, e logrou classificação às semifinais. Para tanto, despachou o Olimpique, por 3 a 0, e o Estrela Vermelha, por 2 a 1, vitórias um tanto quanto inquestionáveis. A lamentar, apenas o tropeço desagradável diante da poderosa Juventus, a “Vecchia Signora” (Velha Senhora, em português), por 4 a 0. Resultado surpreendente em razão do placar dilatado e que custou ao legendário Oberdan Catani a vaga de titular do gol esmeraldino. Em seu lugar assumiu Fábio, que haveria de dar conta do recado com perfeição.

    Transpostos os obstáculos da fase inicial, o Palmeiras viu-se obrigado, pelo regulamento, a enfrentar nas semifinais o temível Vasco da Gama, base da fantástica Seleção Brasileira de 1950. O escrete cruzmaltino, que passou sem grandes problemas por seus oponentes nos jogos do outro grupo, disputados no Rio. Uma vitória por 2 a 1 e um empate dramático em 0 a 0 valeram ao Alviverde a sonhada vaga para a final da Copa. O adversário na grande decisão seria simplesmente a Juventus que ousara nos golear por 4 a 0 na primeira fase.

    A final da Copa Rio foi decidida, no Maracanã, em dois prélios emocionantes e de causar taquicardia. No primeiro deles, em 18 de julho de 1951, prevaleceu a força esmeraldina, que contou com um gol de Rodrigues para selar em 1 a 0 o placar definitivo. Enganava-se, porém, quem imaginava que a Juventus desistiria facilmente da luta pelo título. Poderosíssima e recheada de jogadores da Seleção Italiana, a “Juve”, deu muito trabalho na segunda partida. Atuando bem melhor, saiu na frente com um gol de Praest. Gol este que poderia até ter silenciado o Maracanã, mas que só serviu para a nação brasileira testemunhar uma das maiores demonstrações de patriotismo de que se tem notícia no mundo da bola.

    Vislumbrando no Manto Sagrado a entidade que poderia vingar o Brasil que chorou a perda da Copa do Mundo de 1950 para o Uruguai, no mesmo Maracanã, os cariocas passaram a apoiar entusiasticamente o Palmeiras – apoio, aliás, que levou o clube a erguer em seus jardins um monumento em agradecimento ao povo carioca. Incentivo bastante para Rodrigues empatar a peleja. Mais do que isso: suficiente para o Verdão não se intimidar com o segundo tento italiano, de Boniperti, e arrancar energias para novamente empatar, mediante Liminha. Ao final, o escore de 2 a 2, que deu ao nosso amado time o título de Campeão da Copa Rio de 1951! Conquista que prescinde de reconhecimento dos tecnocratas de Zurique! Êxito que debocha da inveja dos rivais que insistem em não lhe imputar caráter mundial! Título de Campeão Mundial de verdade, porque alcançado após árduos duelos com as maiores potências do futebol do mundo. Feito para as mentes inteligentes e de bom-senso reconhecerem, aplaudirem e relatarem às próximas gerações.

    Responda a este comentário

  58. gianni palmeiras
    18/12/09 - 22:33

    olha, eu sou palmeirense e digo q nao so o palmeiras como tambem o flu sao sim campeoes do planeta muito mais que o corinthians

    Responda a este comentário

  59. atropello
    26/12/09 - 10:41

    olha se for assim vamos esquecer os títulos que a seleção brasileira conquistou na o época de pelé,por que eu estou vendo discursoes de pessoas voltadas ao assistiram na tv eu não ví o título do verdão, mais sei que aconteceu, agora quando se fala em lembrar glórias do palmeiras todo mundo quer ofuscar,sem falar que os maiores vencedores de brasileiros são o santos e o palmeiras cada um com nove isto ninguém divuga.

    Responda a este comentário

  60. ivalnyr marques de souza
    29/12/09 - 16:40

    o mas interessante e que essa mulambada do flamengo, tambem nao e reconhecida pela fifa, so a conquista do corintians para cá.

    Responda a este comentário

  61. Paulinho 100% manch@
    9/01/10 - 21:00

    aki é nois alvi verde nois é foda os gamba mol lixo so presta pra perde pro verdão dale dale porco , eos bixas mol cusão gay se vil a briga no paicabum em 1995 ke koro eles levo kkkkkk , eo santos lugar de peixe é drento do aquario rsrsrsrs mol troxas outro bambi

    aki é mancha verde fundado em 1914 é nois ><

    Responda a este comentário

  62. Paulinho 100% manch@
    9/01/10 - 21:04

    vcs tudo vai tomar no seus cúúúú´noob

    Responda a este comentário

  63. Paulinho 100% manch@
    9/01/10 - 21:05

    kkkkkkkkkk
    viados
    noobs cusão filha da puta

    Responda a este comentário

  64. cesar lin
    19/06/10 - 13:06

    procede a justificativa,há a citação como titulo mundial

    Responda a este comentário

  65. ricardo
    26/06/10 - 13:47

    a Copa Rio Internacional de 51 e 52 corre em segunda estancia no Comite Excutivo da Fifa, sem data para ser avaliada.

    Responda a este comentário

  66. sexta-feira 13
    28/06/10 - 23:54

    os legitimos campeos mundiais são, palmeiras e fluminense. e se os desprovidos de minima inteligencia “FRAmenguistas”, acham que não somos, fiquem sabendo que, muito menos vcs são. pois a fifa reconhece o mundial de quando o corintians ganhou p/ cá.entendo que p/ vcs esse par ou impar de 81 no japão tem muito valor, pois o maior de todos de vcs zico, só teve esse gostinho de mundial. todos os grandes clubes tiveram jogadores de expresão que foram campeoes mundias pela seleção, e vcs? só afundaram a seleção. vergonhaaaaaaa!!!! há,obg pela homenagem de citar o flu no hino de vcs! nossa no hino rsrsrsrsrs poxa, será um reconhecimento por termos fundado o futebol de vcs?

    Responda a este comentário

  67. douglas
    29/06/10 - 10:31

    não importa como pensem os recalcados, tradição é p/ poucos, maiores campeos do brasil, santos e palmeiras com 8 conquistas cada, flamengo com esse “equiça” de 5, fala serio, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    Responda a este comentário

  68. alysson fluzão
    25/07/10 - 21:00

    rapais esse titulo deveria valer se não pra que os times europeus vinherão para o brasil fluzão eo verdão merecen sacô e flamenguistas recalcadodos vao todos para a piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    Responda a este comentário

  69. marcos a c souza
    20/08/10 - 23:20

    O primeiro mundial interclubes foi a Copa Rio em 1951,52 e 53. Depois na Venezuela a Pequena Copa do Mundo precedeu a copa intercontinental e a copa toyota, depois veio o Mundial da FIFA 2000 que copiou o modelo da Copa Rio, a partir de 2005 o mundial tem outro formato. Veja os clubes Brasileiros campeões mundiais:
    1951-Palmeiras(Copa Rio)
    1952-Fluminense(Copa Rio)
    1953-Vasco(Copa Rio/Rivadávia Correia)
    1954-Corinthians(Pequena Copa do Mundo)
    1955-São Paulo(Pequena Copa do Mundo)
    1957-Vasco(Torneio de Paris)
    1962-Santos(Copa Intercontinental)
    1963-Santos(Copa Intercontinental)
    1981-flamengo(copa toyota)
    1983-Grêmio(Copa Toyota)
    1992-São Paulo(Copa Toyota)
    1993-São Paulo(Copa Toyota)
    2000-Corinthians(Mundial de Clubes/FIFA)
    2005-São Paulo(Mundial de Clubes/FIFA)
    2006-Internacional(Mundial de Clubes/FIFA)
    http://cyresinc.blogspot.com/2005_01_01_cyresinc_archive.html
    http://www.rsssf.com/tablesp/peq-copamundo.html
    http://www.abril.com.br/pagina/historia_do_mundial.shtml

    Responda a este comentário

    Allan Farias

    perfeita colocação mostrou ser justo e não palhaço como muitos.

    Responda a este comentário

  70. Allan Farias
    22/08/10 - 12:49

    Pra mim todos são campeões mundiais do Palmeiras em 1951 ao inter-rs em 2006 a fifa precisa oficializar todos e não ficar mudando de opinião oficializa todos esses e depois coloca uma só posição,é fifa ou palhaçada no mundo onde só existe bandidos e ladrões acho que não é difícil responder.

    Responda a este comentário

    Vasco Bi Mundial

    Concordo plenamente. Não importa a época: se estava num torneio onde tinham os melhores times do mundo e era a única forma de disputa intercontinental, claro que o vencedor é campeão mundial. Simples assim.

    Responda a este comentário

  71. edson coringão
    7/12/10 - 0:02

    Esses titulos mundiais do porco e do flu se valerem o timão será bi mundial de clubes porque ganhou parece que foi na venezuela a pequena taçã do mundo em 1954 com isso o timão sem libertadores em 2011 ela vem com certeza seria bi mundial a fifa fez o torneio direito o problema é que o corinthians não tem libertadores se tivesse ninquem nesse blog ou parte do mundo tava falando que não valeu o torneio que foi roubado veio real madrid e manchester united 8 times e não chegar e joga um jogo no japão coisona isso e ganha uma taça de uma fabrica de carros e dizer que mundial o corinthians jogou 4 jogos se lembrem que teve que ganhar o brasileiro levou de 98 e 99 e no site da fifa tem o corinthians aceite que quiser o corinthians é o primeiro campeão do mundo pela fifa e não pela toyota nem são paulinos flamenguitas e outros times

    Responda a este comentário

  72. Vasco Bi Mundial
    16/12/10 - 19:52

    Antes dos jogos de ida e volta a partir de 1960 (os quais, anos depois, se transformaram em um único jogo no Japão), houve 2 torneios que eram os legítimos mundiais da época. Entre 1951 e 1953, a Copa Rio, e entre 1957 e 1959, o Torneio Internacional de Paris (não sei se houve torneios mundiais entre 1954 e 1956). Em ambos os casos, estes torneios continham os melhores times do mundo – na época, eram basicamente times da América do Sul e Europa (por aqui, brasileiros e argentinos). Estes torneios, inclusive, serviram como inspiração para o atual formato do Torneio da FIFA, o qual substitui o confronto único entre campeão da Libertadores e campeão da Copa dos Campeões da Europa (Mundial Interclubes).

    Entre 51 e 59, os vencedores foram os seguintes: 51 – Palmeiras, 52 – Fluminense, 53 – Vasco da Gama, 57 – Vasco da Gama (tornando-se até hoje o único clube carioca Bi Campeão Mundial, derrotando na final o Real Madrid de Puskas, campeão europeu de 56 a 60, seguidos), 58 – Racing Club de Paris (atual Paris Saint Germain) e 59 – Racing Club de Paris.

    Estes foram os torneios mundiais antes da década de 60, antes de ser criado o Mundial Interclubes, que antecedeu os atuais Torneios da FIFA. Portanto, Vasco da Gama é Bi Campeão Mundial e Fluminense e Palmeiras também têm 1 Mundial cada.

    Responda a este comentário

  73. Rhuan Brandão
    11/09/11 - 1:39

    OOOOO e o Vasco ?

    CAmpeão em 53 e 57 ?

    Esse não e reconhecido não ?

    Responda a este comentário

  74. SAMUEL
    17/10/11 - 15:57

    É CAMPEÃO MUNDIAL

    Responda a este comentário

  75. bruno
    19/12/11 - 20:22

    o vasco e campeão mundial duas vezes ano de 1953 e 1957

    Responda a este comentário

  76. André
    12/02/12 - 23:30

    PQP, quanta besteira, daqui a pouco vão inventar Mundial pro XV de Piracicaba ! E tem trouxa que entra nessa, achando que seu time foi campeão mundial porque ganhou uma competição organizada pelo próprio e cujo participante mais importante foi o vice alemão!! Se olharem os times europeus na copa rio 1952, verão que os países da europa representados não ganharam nem 20% das Champions… no caso da copa rio 1953, nem 10%… na de 1951, pouco mais que 30%… e tem gente que acha que isso vale como um mundial interclubes ou fifa, nos quais a Europa tava toda representada pelo campeão da Champions! Acordem do sonho… ou esperem a vida inteira por um reconhecimento da FIFA que nunca virá…

    Responda a este comentário

    André Bona

    E o que me diz entao da Taça de Paris do Vasco??? 1957… belo torneio…

    Responda a este comentário

    André

    Xará, não digo que o Vasco tenha sido “campeão mundial” ou “intercontinental” em 1957, mas ter sido o 1º clube sul-americano a vencer um campeão da Champions League, e único sul-americano a vencer o Real Madrid campeão europeu de 13/06/1956 (primeiro título do Real) a 1959 (último ano antes da Copa intercontinental), isso não foi pouco mérito não!!! E ainda mais tendo sido na Europa… Não chego a dizer que o Vasco foi campeão mundial/intercontinental em 1957, mas que aquela conquista foi uma tremenda conquista, ah, isso foi!!! Dez vezes maior do que ser “campeão mundial” num mundialito organizado pelo próprio em casa e cujo máximo expoente europeu foi o vice-alemão!!! Em 2000, os Fluminense pintou no muro das Laranjeiras “Fluminense tricampeão brasileiro 1970-1984-1999″, sendo o de 1999 o título da… 3ª Divisão! Assim, não me espanta que os tricolores comemorem a Copa Rio 1952 como Mundial- atitude condigna a um clube que comemora Terceirona como se fosse primeirona….

    Responda a este comentário

    André Bona

    Assim como me espanta comemorarem como titulo mundial uma disputa entre campeões da liberta e da champions, cujo interesse era mínimo, inclusive sem realização em alguns anos por completo desinteresse dos europeus.

    Em alguns, mandaram seus vices. Em outros, nem os vices quiseram e não houve disputa.

    Responda a este comentário

    André

    Xará, meu clube não tem Intercontinental nem Toyota. Então eu não tenho interesse. Mas pensando a questão imparcialmente:
    1- em 1960, quando foi criada a Copa Intercontinental, só dois continentes tinha competição continental: Europa e América do Sul. A África inclusive ainda era predominantemente colônia.
    2- a Copa Intercontinental Toyota sempre foi oficial por UEFA e Conmebol
    3- Na década de 1970, houve uma desistência em massa por europeus sim. Porque eles faziam uma viagem cansativa e longa para América do Sul para chegarem aqui e serem surrados violentamente. Desde que a competição foi pro Japão e esse problema resolvido, nunca nenhum europeu disse não de novo à competição.
    4- queira ou não queira, até a FIFA acabou reconhecendo as Copas Toyota e Intercontinental: http://www.fifa.com/mm/document/fifafacts/mencompcwc/01/15/71/66/statisticalkit_fcwcpostevent.pdf e http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/edition=4735/news/newsid=101662.html. Uma vez tendo sido reconhecido, é fato consumado e nada mais a discutir.
    Já no caso das Copas Rio/Rivadavia, não são reconhecidas e pelos percentuais/dados/fatos expostos tá na cara que não vão ser

    Responda a este comentário

    André Bona

    A Fifa reconhece a existência do torneio. Não reconheceu como mundial. O reconhece como Copa Intercontinental, ou Copa Toyota.

    Campeonato mundial de Clubes, a FIFA só começou a fazer no ano 2000. No site dela tá lá, no histórico de mundiais.

    Entre os sites dos clubes europeus e verá também, sobre a Copa Intercontinental, como Copa Intercontinental ou Copa Toytota. Nunca como campeão mundial.

    Mas enfim, também acho isso secundário.

    Responda a este comentário

    André

    Bem, cara, você há convir comigo que seria “querer demais” que a FIFA igualasse Toyota/Intercontinental a Mundial de Clubes…
    Mesmo que ela não tenha igualado, reconheceu a Toyota/Intercontinental como precursora do seu Mundial – segundo o doumento estatístico cujo o link eu pus, a FIFA considera a Toyota/Intercontinental e o Mundial 2000 como antecessores do seu Mundial atual.
    Já sobre as Copas Rio a FIFA diz… não diz nada.
    Vc há de convir comigo que há uma brutal diferença entre uma competição oficial por UEFA/CONMEBOL e reconhecida pela FIFA como precursora de seu Mundial , em relação a outra competição sobre a qual nem FIFA nem UEFA/Conmebol nada falam nem provavelmente nada falarão.

    Responda a este comentário

    André Bona

    O primeiro link, é maneiro.

    O segundo, é de 2005.

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    Ótimos os links e os comentários!!! Eu e o Bona tivemos uma discussão hardcore sobre isso num desses posts da vida, óbvio que venci, mas não pude utilizar tal documento que prova com veemência o valor das intercontinentais. Grato pelo compartilhamento.

    É neófito? Comente mais!

    Responda a este comentário

    André Bona

    Não senhor, RB.

    Vc “venceu” (embora não houvesse o que vencer) no assunto Mercosul ser ou não um título sulamericano.

    Nessa aí da Copa Toyota, eu apenas me retirei da discussão por desinteresse, uma vez que vc nao apresentava fato novo, nem tampouco coerencia com o mesmo argumento que usou no caso da Mercosul, com o qual eu concordei.

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    hahuahauhauauahau

    André mandou o link sagrado que faltava para complementar minhas argumentações divinas. Obrigado por essa vitória, meu senhor!

    Responda a este comentário

    André Bona

    Engraçado que vc argumentou sem o link… rs…

    O que prova que vc é um fanfarrão… pois o link surgiu ao acaso… rs…

    De qualquer forma, prova que os Intercontinentais foram melhorados para tornarem-se mundiais.

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    O link é só a prova que VOCÊ precisava. Diferente da minha argumentação, infelizmente. Mas, no final, uma complementou a outra.

    Responda a este comentário

  77. André
    13/02/12 - 18:45

    PS: vi que alguém falou que o título sul-americano do Vasco de 48 teve seleção !!!
    Caramba, que mal-informado, num teve seleção nenhuma:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Sul-Americano_de_Campe%C3%B5es

    Responda a este comentário

    André Bona

    Acho que vc tá confundindo. Nao lembro de ninguem ter dito isso.

    Responda a este comentário

    André

    O Alexandre Simões falou isso.

    Responda a este comentário

  78. André
    13/02/12 - 21:11

    Em 1953, o Corinthians venceu a Pequena Taça do Mundo contra o Barcelona campeão da Copa Latina (ou seja, campeão de Portugal, Espanha, França, Itália). Em 1957, o Vasco venceu o Torneio de Paris contra o campeão da Champions (ou seja, campeão de toda a Europa). Ambos tiveram feitos muito superiores ao feito do Fluminense, que foi ganhar uma competição cujo maior expoente europeu era o vice alemão. E nem por isso pediram reconhecimento nem à FIFA nem à mídia…
    O que eu queria entender é como os tricolores querem ser campeões mundiais com tão pouco??? Os caras ganharam uma competição que, a julgar pela realidade atual, não contou com times da Argentina maior campeã da Libertadores e os 4 países europeus representados ganharam menos de 20% das Champions, e que, a julgar pela realidade da época, não havia representante de Itália (bimundial 1934-38 e Copa Latina 1951 via Milan) e da Espanha (melhor europeu na Copa de 50 e campeã da Copa Latina de 1952 via Real). Aliás, em 1952 o Real preferiu jogar a Pequena Copa do Mundo venezuelana do que a Copa Rio.
    Eu tenho tentado mostrar em foros tricolores que os caras só humilham o Fluminense fazendo esse tipo de coisa. Copas Rio e Rivadavia não foram Mundiais mesmo e os torcedores desses clubes só os humilham insistindo em algo que tanto a FIFA, quanto a mídia quanto os fatos já provaram que não tem base.
    O engraçado é que os caras apagam os meus posts (a maior parte deles, pelo menos). Aparentemente, os caras acham mesmo que vão convencer alguém que Copa Rio foi mundial apenas repetindo as mesmas frases vazias de sempre: “foi mundial da época!” , “teve autorização da fifa” e “teve os melhores times da época”…
    Num foro que eu vi, o cara tentou convencer que o Sporting Lisboa era um dos maiores, senão o maior, time europeu da época !!! Galera, pelo amor de Deus, com que base afirmam isso??? Com base no fato de que o Sporting levou na época um monte de títulos portugueses??? O futebol português é subalterno na Europa. Se o Sporting era o melhor time da Europa porque ganhou um monte de Portuguesões, então o ABC de Natal é o melhor time do Brasil porque ganhou mais de 50 estaduais potiguares !!!
    E mesmo assim os caras continuam na mesma , só na mesma repetição de clichês: “foi mundial da época!” , “teve autorização da fifa” , “teve os melhores times da época”, “o Sporting Lisboa era o melhor europeu da época”, “a FIFA não reconhece Toyota Intercontinental então Copa Rio vale como Mundial sem reconhecimento”.
    Tudo mentira ou forçação de barra sem base.
    Não é à toa que a mídia ridiculariza os pedidos de Palmeiras e Flu por reconhecimento a seus “Mundiais”…

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    A Copa Rio de 52 foi um torneio realizado a pedido do próprio Fluminense em virtude de seu cinquentenário…

    Responda a este comentário

    Victor

    André,
    Esse negócio de “Mundial de 1952″ é coisa de tricolor de internet, entusiasta de fórum ou rato de clube. No que eu vejo por estádio e amigos, não há grandes comoções (ao contrário do Brasileiro de 1970 que sempre tiveram alguns senões).

    Claro que a mentira contada 1.000 vezes vira verdade e esses bordões acabam pegando e ganhando força na massa de manobra, especialmente se alguma mobilização política ganha as páginas dos jornais. Sendo assim, qualquer tipo de tentativa de busca para o cerne dos acontecimentos é bem-vindo.

    Responda a este comentário

  79. Maximilian Pimenta Cabral
    13/02/12 - 22:15

    Amigos.

    Não sei se essa história de Mundial de 1952 é “choro de tricolor”. A verdade dos fatos é a seguinte: o primeiro Campeonato Mundial oficial foi o de 2000, com o Corinthians levantando a taça. Nenhuma daquelas partidas de “ida e volta acontecidas anteriormente, além dos jogos no Japão, era considerada como Mundial de Clubes.

    A Copa Rio foi um torneio elaborado pela CBD (antiga CBF), com chancela da FIFA, onde, além dos vencedores dos campeonatos estaduais de RJ e SP, estavam os campeões das principais competições nacionais no mundo.

    Então, se a mídia considera Flamengo, Grêmio, Santos etc. campeões do mundo, por que não fazer o mesmo com Palmeiras e Fluminense?

    Ou não considera ninguém ou consideram todos.

    Fiquem com Deus.

    Responda a este comentário

    André

    Maximilian,
    desculpe cara, mas o seu comentário “Ou não considera ninguém ou consideram todos” é o ápice da falta de razão. É o ápice da “marra” em tentar ser campeão “no grito” que eu tanto venho criticando. É o ápice da inveja que motiva tantos pedidos de “reconhecimento”- aquela inveja tipo “se meu rival é campeão mundial, porque não sou?” tal como uma criança que dissesse “se meu irmãozinho tem aquele brinquedo, eu também quero!!!”
    Amigo, é o que eu tenho dito sempre: olha o que vc fala- “estavam os campeões das principais competições nacionais no mundo.” Meu amigo, qual o seu critério para afirmar que Alemanha, Áustria, Suíça e Portugal eram o melhor da Europa? Será que na sua opinião as ligas de Itália (bimundial 1934-1938), Espanha (melhor europeu na Copa 50) e Inglaterra não estavam entre as principais competições da época????
    Outra coisa: alguém já provou a chancela da FIFA? Ou vc ouviu o bordão e tá apenas repetindo? Vc tem alguma fonte de jornal estrangeiro da época chamando Copa Rio de Mundial??? Vc tem alguma fonte de jornal da época dizendo que a FIFA chancelou a Copa Rio como Mundial de Clubes?
    Meu amigo, meu time nunca ganhou nem Intercontinental, nem Toyota nem Mundial FIFA. Mas realisticamente o que posso dizer é que esses três tinham abragência TOTAL, 100%, de Europa e América do Sul via campeões ou vice da Libertadores e da Champions. Abrangencia que a Copa Rio 1952 não teve: como falei, não contou com times da Argentina maior campeã da Libertadores e os 4 países europeus representados ganharam menos de 20% das Champions, e julgando pela realidade da época, não havia representante de Itália (bimundial 1934-38 e Copa Latina 1951 via Milan) e da Espanha (melhor europeu na Copa de 50 e campeã da Copa Latina de 1952 via Real).
    Para sua tristeza, lamento te informar que FIFA, UEFA, Conmebol e a grande mídia esportiva brasileira (Revista Placar, Lance, kfouri, etc) fazem a mesma análise e continuarão provavelmente fazendo: Intercontinental/Toyota/FIFA valem mas Rio/Rivadavia não valem.
    Abraços, fique com Deus,
    PS; realmente não foram os tricolores que inventaram Copa Rio mas segundo afirmam fontes foi o Flu que fez lobby para antecipar a competição de 1953 para 1952.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Você tocou num ponto que acho crucial posicionar a competição: a abrangência.

    Cara, nao vi nada no site da FIFA que realmente posicione a Copa Toyota como Campeonato Mundial.

    Então, o Vasco é campeão da Champions League, porque venceu o sulamericano de clubes de 48 que foi modelo inspirador para a Champions??? Nada a ver…

    Responda a este comentário

    Victor

    #FaláciaDetected

    Responda a este comentário

    André Bona

    Claro que é falácia. E segue o mesmo racioncío.

    Responda a este comentário

    Victor

    Bona, o raciocínio não é o mesmo.
    O argumento de que uma Copa Toyota possa vir a ser considerado precursor de um Mundial é factível dependendo da premissa que se parta. Uma não longe de ser absurda é a linha de BOTAFOGUENSE de considerar Europa e América do Sul como abrangentes em termos de importância de futebol e que ao implementarem o sucesso do futebol foram agregando novos continentes à bagaça. SANCHO usa raciocínio análogo ao considerar alguns Rio-SP como Brasileiro (diferentemente do critério de BONA quando considerava mas por outro motivo).
    Naturalmente, a premissa, mesmo verdadeira, do Sulamericano de 1948 inspirando a Champions é um reductio ad absurdum não análogo à proposição do teu xará ou de BOTAFOGUENSE.

    O teu xará ANDRÉ, por sua vez, apelaria a autoridade utilizando-se de argumentum ad verecundiam ao citar KFOURY (e redundantemente PLACAR e LANCE), caso não houvesse a ressalva que rebate essecialmente a indignação de CABRAL chantageando a mídia.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Acho que cabe entender o seguinte:

    A Copa Toyota foi precursora do mundial de clubes da Fifa ou inspiradora do mundial de clubes da Fifa?

    Se for precursora, o mundial da Fifa torna-se o próprio desenvolvimento da Copa Toyota. Se for inspiradora, gerou a idéia de confrontar clubes de vários continentes para se definir um campeão mundial.

    Em ambos os casos, a idéia original teve que ser aprimorada para se chegar ao que hoje é o mundial de clubes.

    No caso de 1948, o torneio foi precursor da Libertadores e inspirador da Champions (supostamente). No entanto, o conceito de reunir clubes campeões do continente permanece inalterado até hoje. Trata-se exatamente do mesmo torneio. Não há aprimoramento, apenas inchaço recente. Algumas variações nas tabelas e fórmulas, hoje temos o qualifying (pré-libertadores, primeira fase, etc) e o main event (a partir da fase de grupos).

    O sulamericano de 48 nao foi libertadores porque a libertadores não existia. Mas foi o mesmo torneio da libertadores. Reunindo os campeões nacionais.

    o mundial da fifa é outro torneio, diferente da copa toyota.

    Como entendo que o RJ-SP nao é nacional por ser regional, entendo que a Copa Toyota não é Mundial, por ser intercontinental. Como afirmei: talvez fosse o maior titulo a ser conquistado (pelo menos para nossos times), mas nao era mundial. O maior titulo a ser conquistado hoje, não é um torneio intercontinental, mas sim mundial.

    Agora… se a FIFA colocar lá no site que a Copa Toyota é mundial da mesma forma que a CBF colocou no caso das TBs e do Robertão, aí, encerro meus questionamentos. Se ela colocar lá: lista de campeões mundiais e começar na Toyota Cup, então, tá valendo… mas provavelmente outros reconhecimentos mais remotos poderão receber o mesmo status… Inclusive o belíssimo torneio de paris de 57.

    Aliás, como torcedor do Vasco eu nem deveria querer que o torneio de paris de 57 seja equivalente ao mundial. Ele foi foda e o vasco levou na final em cima do tri-campeão europeu.

    Na verdade entendo que o torneio de Paris foi um intercontinetal. Como ele de fato foi.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Uma ressalva: não creio que a Copa Toyota, em momento algum tenha sido criada com o objetivo de se estabelecer o campeão mundial. Quando foi para o Japão, passou a ser organizada pela federação japonesa para incentivar o esporte por lá. Esse era o seu objetivo original.

    Responda a este comentário

    Victor

    Bona, eu não estou discutindo isso, nem mesmo entrando no mérito. Estou só colocando que sua falácia foi mal empregada.
    Acho que sua linha de raciocínio nessa resposta teria sido mais adequada, por exemplo.

    Responda a este comentário

  80. Yuri
    13/02/12 - 22:15

    BANGU CAMPEÃO MUNDIAL DE 1960!!!

    QUEM PRECISA DE FIFA?? BANGU DETONADOR DAS MAIORES POTÊNCIAS DO FUTEBOL MUNDIAL, SÓ NOS RESTA APLAUDIR E COMEMORAR INDEPENDENTEMENTE DOS CHURDOS DE GENEBRA!!!

    http://www.ludopedio.com.br/rc/index.php/arquibancada/artigo/674

    VIVA Palmeras, FLUMINENSE E BANGU!!!!

    (opa, não. O Bangu é o PRIMEIRO campeão mundial, segundo livro de sua história “Nós é que somos banguenses”. Portanto nada de parabéns ao Palmeiras e/ou ao Flu. Quem precisa de FIFA?)

    Responda a este comentário

    André

    Cara, acho que sua ironia ilustra muito bem a verdade dessa história.
    Opinião, todo mundo tem diferente.
    Qual é o “julgamento” então para determinar o que vale ou o que não vale?
    Reconhecimento da entidade competente, claro.
    Toyota/Intercontinental/Mundiais-FIFA tão no site da FIFA há um tempão. Nos links que pus acima e em outros: ver por exemplo o texto “Ten tips on the planet’s top club tournament” no site da FIFA.
    Já sobre Copas Rio, o pedido de Palmeiras e Flu já tem uns 10 anos e até agora… nada. Será que já não era hora de os caras desencanarem???
    E o olha que, como acredito ter demonstrado acima, as competições não eram nem tão boas para os caras lamentarem tanto o não-reconhecimento…Vasco e Corinthians fizeram coisa bem mais difícil em 1957 e 1953 e nem por isso tão nessa de ficar eternamente cobrando reconhecimento da FIFA ou da mídia…Já vi até site de tricolor chamar FIFA de hipócrita e mau-carater por não reconhecer Copa Rio de 1952… quer dizer: a FIFA seria hipócrita e mau-caráter por não reconhecer uma competição mundial na qual a Europa tava representada em menos de 20% ??? fala sério !

    Responda a este comentário

    Bender

    Estou conseguindo ler comentarios de mais de 3 linhas do ANDRE. Maneiro.

    Tinha no site da Fifa uma outra pagina falando mais dos campeoes do mundial interclubes de 1960 a 2004. Falava do Milan, Ajax, Boca, Gremio, Bayern, Santos… O texto era em ingles e bem escrito – até eu com meu ingrês conseguia ler. Referindo-se ao Flamengo numa passagem o texto dizia “the 1981 world club champion”… mas eu nao consigo mais achar tal texto.

    Responda a este comentário

    André

    Acho que vc tá me confundindo com outro André. Eu estreei nesse foro ontem

    Responda a este comentário

    Bender

    Foi mal.
    A frases corretas são “Estou conseguindo ler comentários de mais de 3 linhas de um ANDRÉ. Maneiro.”

    Responda a este comentário

    Andre L

    Esse nome anda muito comum ultimamente… E acho que é mal do nome escrever demais. :-)

    Responda a este comentário

    Bender

    e finalmente um André que não fala apenas de Flamengo.

    Responda a este comentário

    Andre L

    Manual de boas práticas do BBG:

    1 – Não se fala de Flamengo com o Bender.

    2 – Não se fala de Senna e Eurico com o Bona.

    3 – Não se fala com o Saulo.

    Responda a este comentário

    Matheus

    O cara já mal chegou e já sabe toda a sistemática.

    Responda a este comentário

    Bender

    André L já frequenta o BBG há tempos e nos conhece, mas apenas comentava pouco. E quando o fazia geralmente era com relação ao Flamengo. Cada um tem sua preferências e quem sou eu para indagá-las.
    Mas agora André L está comentando com maior frequência e variando os assuntos. Não que seja uma regra, mas eu vejo com bons olhos.
    Bem-vindo.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Tá errado isso aí:

    Não se fala de bem de Senna e mal do Eurico.

    Não se fala, em hipótese alguma, mal de Piquet.

    Responda a este comentário

    Bender

    hahaha… aguardo André L falando mal do Engenhão.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sinceramente, essa Copa Rio vale nada mesmo não. Mas o Torneio de Paris, do vasco, porra, esse foi foda!

    Responda a este comentário

    André Bona

    So pra esclarecer, o Vasco também levou copa rio. e acho o torneio merdão.

    Responda a este comentário

  81. Maximilian Pimenta Cabral
    13/02/12 - 22:17

    Esqueci de falar que a Copa Rio se iniciou em 1951, logo não foi ideia de tricolor.

    Fiquem com Deus.

    Responda a este comentário

  82. André Bona
    14/02/12 - 0:49

    Eu acho que a conversa não transita por “quem eram os melhores”.

    Vários campeonatos possuem times melhores, mas com status diferente. Mercosul, por exemplo. Nata da América do Sul. Mas nem por isso, pode ser considerado campeonato sulamericano.

    Rio-SP, nata do brasil, mas nem por isso pode ser “brasileiro”, nem na década de 60.

    Champions: nata da Europa. se for por esse motivo, entao o titulo da Champions é o de mundial… mas não é.

    A Copa Intercontinental pode ter sido mencionada no site da FIFA, no link que o cara postou, mas não deixa de ser um torneio intercontinental. Podem até considerar o grande duelo entre America e Europa, mas não era um mundial. Mundial inclui vários representantes de vários lugares do planeta.

    Da mesma forma que acho burrice um urubu querer que a Copa União seja um brasileiro (porra, os caras não querem um titulo unico, exclusivo. querem igualá-lo a outros tantos!), acho estupidez querer dizer que a Copa Intercontinental era um mundial. Não era. Nunca foi. Mas pode ter sido uma Copa mais foda que o mundial. Quem sabe? Mas nao era mundial.

    O sulamericano do vasco, não é Libertadores. Nunca vai ser, porque NAO EXISTIA LIBERTADORES. Mas é titulo sulamericano, com certeza.

    Discussão inútil.

    Responda a este comentário

    Victor

    Não tem times da Antártida jogando Mundial da FIFA até hoje, logo, Abrangencionistas devem RECHAÇAR a alcunha Mundial para qualquer campeonato de clubes. Isso para não falar nos times de Países não filiados a FIFA.
    Oficialistas podem falar Mundial, Abrangencionistas não.
    Não-Abrangencionistas por sua vez, podem equiparar Taça Intercontinental a Mundial entendendo que histórico-geofutebolisticamente outros continentes tinham futebol incipiente. Todavia, deverão rever conceitos de muitos títulos.
    Sancho é um Não-Abrangencionista Historicalista Geofutebolista que equipara Rio-São Paulo a Nacional. Eu acho que ele comete incoerência quando deixa de incluir em sua contagem Estaduais Fluminense e Paulista antes da existência dos Inter-Estaduais.

    Responda a este comentário

    André Bona

    A Antártida é um “país” e “independente”?

    Responda a este comentário

    Victor

    É um continente mas não faço idéia de como é dividido nem se tem time de futebol ou gente sem pátria dos demais continentes. De qualquer forma, reconheço o xeque. Leve minha Torre.

    Responda a este comentário

    saulo

    Territórios

    Ver artigo principal: Revindicações territoriais da Antártida

    Os seguintes países possuem reivindicações territoriais na Antártica.[20]

    Data

    País

    Território

    Limites da reivindicação

    Mapa

    1908

    Reino Unido

    Território Antártico Britânico

    20°W até 80°W

    1923

    Nova Zelândia

    Dependência de Ross

    150°W até 160°E

    1924

    França

    Terra Adélia

    142°2′E até 136°11′E

    1929

    Noruega

    Ilha de Pedro I

    68° 50′ S 90° 35′ W

    1933

    Australia

    Território Antártico Australiano

    160°E até 142°2′E and
    136°11′E to 44°38′E

    1939

    Noruega

    Terra da Rainha Maud

    44°38′E até 20°W

    1940

    Chile

    Território Antártico Chileno

    53°W até 90°W

    1943

    Argentina

    Antártida Argentina

    25°W até 74°W

    Nenhum

    Território não reivindicado
    (Terra de Marie Byrd)

    90°W to 150°W
    (exceto Ilha Pedro I)

    As reivindicações argentina, britânica e chilena sobrepõem-se. A Austrália tem a maior reivindicação de território na Antártica (42% do continente).[10] Os Estados Unidos e a Rússia não reconhecem nenhuma reivindicação territorial na Antártica, e reservaram-se o direito de fazer suas próprias reivindicações.[10]

    Nenhuma das reivindicações antárticas é reconhecida pela comunidade internacional. Nos termos do Artigo IV do Tratado da Antártica, que regula as atividades humanas ao sul do parelelo 60°S, nenhuma atividade durante a vigência do Tratado pode ser considerada reconhecimento, reforço ou negação das reivindicações territoriais.[14]

    A Alemanha nazista também manteve uma reivindicação chamada Nova Suábia, entre 1939 e 1945. Ela estava situada entre 20°E e 10°W, sobrepondo a reivindicação da Noruega.[10]

    [editar] Outros territórios considerados antárticos

    Base antártica brasileira Comandante Ferraz. Dependências Ilha Bouvet (Noruega)
    Ilha Heard e Ilhas McDonald (Austrália)
    Terras Austrais e Antárticas Francesas[nota 3]

    Outros territórios (parte integrante dos seus respectivos países) Ilhas Antípodas (Nova Zelândia)
    Ilhas Auckland (Nova Zelândia)
    Ilhas Bounty (Nova Zelândia)
    Ilhas Campbell (Nova Zelândia)
    Ilha Macquarie (Austrália)
    Ilhas do Príncipe Eduardo (África do Sul)
    Ilhas Snares (Nova Zelândia)

    [editar] Países com bases na Antártica

    Hoje, 29 países possuem bases científicas na Antártica: África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Brasil, Bélgica, Bulgária, Chile, China, Coreia do Sul, Equador, Espanha, EUA, Federação Russa, Finlândia, França, Índia, Itália, Japão, Nova Zelândia, Noruega, Peru, Polônia, Reino Unido, República Checa, Romênia, Suécia, Ucrânia e Uruguai.[1]
    Fonte: Wikipédia

    Responda a este comentário

    André Bona

    Obrigado, saulo.

    Portanto, se um habitante das Malvinas for um exímio jogador de futebol, irá representar a Inglaterra. O mesmo serve para possíveis cidadãos do continente gelado, que não é nem um país independente e muito menos um continente independente.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Anuncio mate em, no máximo, 3 jogadas.

    Responda a este comentário

  83. André Bona
    14/02/12 - 0:56

    André
    13/02/12 – 18:59
    Bem, cara, você há convir comigo que seria “querer demais” que a FIFA igualasse Toyota/Intercontinental a Mundial de Clubes…
    Mesmo que ela não tenha igualado, reconheceu a Toyota/Intercontinental como precursora do seu Mundial – segundo o doumento estatístico cujo o link eu pus, a FIFA considera a Toyota/Intercontinental e o Mundial 2000 como antecessores do seu Mundial atual.

    Perfeito. Não é mundial. É antecessor. Reconheceu como percursora. E ao reconhecer como percursora, não reconheceu como mundial. Mas sim como percursora.

    Responda a este comentário

    André

    O que não deixa de ser uma grande coisa.
    Entre Flamengo (1 Libertadores) e Vasco (1 Libertadores e 1 Sul-Americano reconhecido pela Conmebol como precursor da Libertadores), o Vasco é mais campeão sul-americano que o Flamengo.
    Entre Flamengo (1 Intercontinental reconhecido pela FIFA como precursor do seu Mundial) e Vasco/Fluminense (zero Mundiais ou Intercontinentais precursores de Mundial), o Flamengo é mais campeão mundial que Vasco e Fluminense.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Geografia:

    1- estadual
    2- regional
    3- nacional
    3- continental
    4- intercontinental
    5- mundial

    Responda a este comentário

    André Bona

    Mas então, nao podemos entender que a taça de paris também era um intercontinental?

    Responda a este comentário

  84. Bender
    14/02/12 - 9:22

    Em 1936 já fazia 9 anos que o Flamengo não ganhava o estadual. Nessa época o Flamengo tinha um belo time que, entre outros nomes, contava com Domingos da Guia, Fausto e Leônidas. Acabou que o Flamengo perdeu o estadual pro Flu.
    Mas no mesmo ano o – futuro – time da Gávea, faturou o TORNEIO ABERTO, um importante campeonato da época no RJ que contava inclusive com times de outros estados. O Flamengo campeão Torneio Aberto 1936 não foi campeão estadual 1936 e nunca será “reconhecido” como tal. Mas o título na época era tão foda e foi comemorado como o estadual era.

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    Pô, se tinha equipes de outros estados fica difícil ser considerado estadual. Tipo umas paradas que li sobre a Copa Montevideo ser o embrião da Libertadores, sendo que times do leste europeu jogavam o torneio.

    Exemplos desse naipe de torneio não faltam: A Taça Salutaris, a Taça Ioduran, a Taça dos Campeões Estaduais, a Copa dos campeões, que o Galo até botou no hino, o Quinela de ouro mais tarde… Uma porrada. Torneio fodas, os torcedores deveriam se orgulhar à vera, mas foram engolidos e caíram no ostracismo.

    Responda a este comentário

    Bender

    É véro.

    O livro que estou lendo (e de onde resgatei esse torneio) é direcionado aos flamengos e, de forma sutil, minimiza o estadual daquele ano e valoriza o torneio. De cara pensei numa situação como 2002.

    Responda a este comentário

    Jorge Caldas

    Por curiosidade: Qual é esse livro, Bender?

    Responda a este comentário

    Bender

    A NAÇÃO

    Já tinha comprado há um tempo. To lendo muito de vez em quando. Ainda to no 2º capítulo. Quando acabar vira post (tinha prometido isso).

    Responda a este comentário

  85. Gaburah
    15/02/12 - 11:31

    Ih, rapaz… discussão sobre torneios embrionários que cresceram, desenvolveram e mudaram de nome (que nem o bolsa-família) pipocando pra todo lado.

    Então aqui REGISTRO que o Botafogo TEM SIM uma SULAMERICANA EM SEU CURRÍCULO.

    Afinal, o que mais seria a jurássica Copa Conmebol além de embrião da Sula?

    Mitei.

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    Fato. Até a forma de disputa é igual, fase nacional e tudo mais.

    Algum time do Rio ganhou alguma copa OFICIAL no Rio? Não, né? Só o fogão, dono do Engenhão e Capo copeiro do Maraca.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sim, a Conmebol era a competição paralela a Libertadores da época como a sula é hoje. Concordo que equivalham. Mas, é como CB e Brasileiro. É título nacional. Mas não é brasileiro. nao dá pra colocar no mesmo patamar de liberta.

    Responda a este comentário

    Gaburah

    Não quero que coloque no mesmo nível da Liberta, nem sonhando. Nem penso nisso exclusivamente porque ainda hoje não se equivalem. Se um dia isso mudar, pensarei diferente.

    Quero é que reconheçam o que ela é: SULAMERICANA

    Responda a este comentário

    André Bona

    É Sulamericana sim. Com toda certeza. Sem bem que nao lembro das regras.

    Responda a este comentário

    saulo

    Uma Conmebol bem mixuruca. Era uma competição de terceira classe, abaixo da Libertadores e da Supercopa.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Supercopa é torneio amistoso, como foi a Mercosul.

    Responda a este comentário

    saulo

    Nos mesmos moldes da extinta Copa Mercosul, tão comemorada pelo Eurico. No ano anterior chamou a competição de segunda divisão da libertadores, porque o Flamengo foi campeão. O mundo dá voltas.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Vc dormia com eurico nessa época?

    Responda a este comentário

    saulo

    Não. Quem dormia era você mesmo, já devia babar o ovo dele.

    Responda a este comentário

  86. André
    16/02/12 - 0:00

    Voltando ao assunto dos Mundiais/Intercontinentais de Fluminense e Palmeiras, fiz uma pequena análise sobre a Copa Rio de 1952, mostrando que não vale como Mundial nem de botão.
    Está em: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120215150300AAsDHpt
    O que, por tabela, invalida a Copa Rivadavia 1953 como Mundial/Intercontinental.
    Sobre a de 1951, teve o mérito de ter time italiano, e Otorino Barassi, o que gerou a interpretação de que seria “oficial” da FIFA. No link http://www.fifa.com/mm/document/fifafacts/mencompcwc/01/15/71/66/statisticalkit_fcwcpostevent.pdf que postei, a FIFA deixa claro que a de 2000 foi seu primeiro Mundial oficial, logo deixando claro que o Barassi não conferiu po si só oficialidade à de 1951.
    Conclusão: são “chorões” , “viúvas de Mundial”, todos os tricolores, palmeirenses e vascaínos que insistam no assunto “Mundiais do Rio” .
    No caso da Pequena Taça do Mundo venezuelana, nunca ouvi falar de ninguém ter pedido reconhecimento. Até porque “pedir reconhecimento” não é ato comum fora do Brasil, além de que os brasileiros que ganharam aquela competição (São Paulo e Corinthians) já têm seus Intercontinentais e Mundiais reconhecidos e assim não vão tender a ser “chorões” , “viúvas de Mundial”.
    Ressalte-se que de todos os “Mundiais” Rio e Venezuela, a mais bonita conquista foi a do Corinthians, que foi campeão em cima do Barcelona campeão de Taça Latina, portanto campeão de Espanha, Itália, França e Portugal. E olha que eu sou anti-corinthiano, mas reconheço isso!!

    Responda a este comentário

    André Bona

    Conclusão: são “chorões” , “viúvas de Mundial”, todos os tricolores, palmeirenses e vascaínos que insistam no assunto “Mundiais do Rio”

    Mas os vascaínos podem insistir, sem problemas, no Torneio de Paris de 57.

    Responda a este comentário

    André

    Eu tinha esquecido de 1957, do Vasco. Retifico então: entre os “Mundiais/Intercontinentais” da década de 1950, a do Corinthians em 1953, contra o campeão de Espanha,Itália, França e Portugal, foi a segunda conquista mais valorosa. A mais valorosa foi a do Vasco, em 1957, contra o campeão da Europa inteira, o Real Madrid. De qualquer forma, dado que nada qualificava o Vasco como digno representante sul-americano num Mundial (o sul-americano do Vasco tinha sido em 1948, 9 anos antes) e como o Torneio de Paris não foi oficial nem por FIFA nem por UEFA/Conmebol, esta é outra conquista dos anos 1950 que, apesar de belíssima, não vai ser reconhecida como Mundial ou Intercontinental.
    Aliás, as conquistas de Vasco e Corinthians foram muito maiores que a do Flu em 1952, e nem por isso vi nunca nenhum vascaíno ou corinthiano com dor-de-cotovelo acusando a FIFA de cínica e hipócrita por não dar reconhecimento, como tem tricolor fazendo:
    http://www.fluminenseetc.com.br/fluminense-em-geral/torcida-compra-briga-pelo-reconhecimento-do-mundial-de-1952

    Responda a este comentário

    André

    http://www.fluminenseetc.com.br/fluminense-em-geral/torcida-compra-briga-pelo-reconhecimento-do-mundial-de-1952
    O autor, o tricolor Marcelo Savioli, começa com o bordão “Copa apoiada pela FIFA para indicar o Campeão Mundial” , bordão este que NUNCA aparece acompanhado de prova jornalística ou documental de nenhuma das duas afirmativas contidas nele. O JB, pelo menos, deixa bem claro que o evento de 1952 foi uma festa de aniversário de 50 anos do Flu, tal como a Federação Mineira (no Brasil, tão oficial quanto o CBD; fora do Brasil, sem força nenhuma jurídica ou “de facto”, tal como o CBF/CBD) em 1997 deu uma festa de aniversário para BH, incluindo 2 times (Benfica e Milan) que por sinal valem mais que os 4 europeus da Copa Rio 1952 somados…. E nem por isso os atleticanos inventaram Taça Centenário com Mundial…. Depois, o Savioli justifica a ausência das palavras “FIFA/Mundial/Copa do Mundo de Clubes” na cobertura do JB sobre a Copa Rio 1952 com “JB é elitizado e não trata muito de futebol”, sendo que o jornal cobriu a competição num detalhamento que só faltou falar a hora do café da manhã dos jogadores… O Savioli justifica a suposta desistência do Juventus dizendo que “as dificuldades de transporte da época faziam a distância maior”…OK, de acordo, mas porque a distância não impediu a vinda Juventus em 1951?? Interpretação sensata é a do site RCB-Ranking de Clubes Brasileiros: a de 1951 foi levada à sério na Itália por causa do Otorino Barassi, mas a de 1952, organizada por vontade do Flu sem apoio do Barassi, não foi levada a sério.
    E por fim o Savioli diz “Intercontinental também teve desistência de europeus”- desistências que nunca mais se observaram depois que a competição foi pro campo neutro japonês salvando os jogadores europeus das pauladas e pedradas que recebiam na Argentina e no Uruguai. Aliás, Japão é mais longe da Europa que a América do Sul é….
    Na boa, até quando torcedores do Fluminense se humilharão e humilharão o clube com palhaçadas como esses argumentos do Savioli tentando emplacar Copa Rio 1952 como Mundial?
    Na boa, se “cada povo tem o governante que merece”, bem claro é que cada “torcedor tem o dirigente que merece”- ou vice-versa.
    Com duas viradas de mesa no currículo (1996/97 e 1999/2000), indo na “aba” dos casos Ivens Mendes e GamaXCBF, não surpreende que os tricolores tenham tentado ir na “aba” da presença do Barassi no Rio em 1951 para emplacar seu Torneio Cinquentenário em 1952 como Mundial FIFA…
    Em 1999, o Flu foi campeão da Terceira Divisão e pintou no muro em 2000 “Tricampeão Brasileiro 1970-1984-1999″. Comemorar Copa Rio como Mundial é condigno de clube que comemora Terceira Divisão como primeirona…
    E os vascaínos não ficam atrás. O Vasco pintou no muro “Tricampeão Sul-Americano 1948-1998-2000″. Comemorar Rivadavia/1953 como Mundial é condigno de clube que comemora Mercosul (competição sul-americana secundária) como Libertadores (competição sul-americana central) e Sul-Americano/48 (precursora da central).

    Responda a este comentário

    André

    O autor, o tricolor Marcelo Savioli, começa com o bordão “Copa apoiada pela FIFA para indicar o Campeão Mundial” , bordão este que NUNCA aparece acompanhado de prova jornalística ou documental de nenhuma das duas afirmativas contidas nele. O JB, pelo menos, deixa bem claro que o evento de 1952 foi uma festa de aniversário de 50 anos do Flu, tal como a Federação Mineira (no Brasil, tão oficial quanto o CBD; fora do Brasil, sem força nenhuma jurídica ou “de facto”, tal como o CBF-CBD) em 1997 deu uma festa de aniversário para BH, incluindo 2 times (Benfica e Milan) que por sinal valem mais que os 4 europeus da Copa Rio 1952 somados…. E nem por isso os atleticanos inventaram Taça Centenário com Mundial…. Depois, o Savioli justifica a ausência das palavras “FIFA/Mundial/Copa do Mundo de Clubes” na cobertura do JB sobre a Copa Rio 1952 com “JB é elitizado e não trata muito de futebol”, sendo que o jornal cobriu a competição num detalhamento que só faltou falar a hora do café da manhã dos jogadores… O Savioli justifica a suposta desistência do Juventus dizendo que “as dificuldades de transporte da época faziam a distância maior”…OK, de acordo, mas porque a distância não impediu a vinda Juventus em 1951?? Interpretação sensata é a do site RCB-Ranking de Clubes Brasileiros: a de 1951 foi levada à sério na Itália por causa do Otorino Barassi, mas a de 1952, organizada por vontade do Flu sem apoio do Barassi, não foi levada a sério.
    E por fim o Savioli diz “Intercontinental também teve desistência de europeus”- desistências que nunca mais se observaram depois que a competição foi pro campo neutro japonês salvando os jogadores europeus das pauladas e pedradas que recebiam na Argentina e no Uruguai. Aliás, Japão é mais longe da Europa que a América do Sul é….
    Na boa, até quando torcedores do Fluminense se humilharão e humilharão o clube com palhaçadas como esses argumentos do Savioli tentando emplacar Copa Rio 1952 como Mundial?
    Na boa, se “cada povo tem o governante que merece”, bem claro é que cada “torcedor tem o dirigente que merece”- ou vice-versa.
    Com duas viradas de mesa no currículo (1996/97 e 1999/2000), indo na “aba” dos casos Ivens Mendes e GamaXCBF, não surpreende que os tricolores tenham tentado ir na “aba” da presença do Barassi no Rio em 1951 para emplacar sua Copa Rio Cinquentenário em 1952 como Mundial FIFA…
    Em 1999, o Flu foi campeão da Terceira Divisão e pintou no muro em 2000 “Tricampeão Brasileiro 1970-1984-1999″. Comemorar Copa Rio como Mundial é condigno de clube que comemora Terceira Divisão como primeirona…
    E os vascaínos não ficam atrás. O Vasco pintou no muro “Tricampeão Sul-Americano 1948-1998-2000″. Comemorar Rivadavia/1953 como Mundial é condigno de clube que comemora Mercosul (competição sul-americana secundária) como Libertadores (competição sul-americana central) e Sul-Americano/48 (precursora da central).

    Responda a este comentário

    André Bona

    O Vasco pintou no muro “Tricampeão Sul-Americano 1948-1998-2000″.

    Mais uma obra tosca do presidente INTERINO que lá está apenas tapando buraco, já que sua eleição, em agosto de 2011, está invalidada pela justiça.

    O Vasco é bi-campeão sulamericano e campeão da Mercosul. Está em busca do TRI esse ano.

    Sobre 57, uma coisa: O vasco foi, como campeão da América do Sul (só havia um até aquele momento) e campeoníssimo do RJ, quando o mesmo era capital do país. E ele não precisa de reconhecimento para ser Intercontinental. Ele é. Foi uma disputa entre clubes de continentes diferentes, logo, já é intercontinental.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Vc pode argumentar que não é um intercontinental reconhecido pela FIFA. ok. Mas é um intercontinental, entre sulamericanos e europeus. Isso basta para efeitos de entender o tamanho da glória obtida.

    Responda a este comentário

    Yuri

    Ressalte-se que de todos os “Mundiais” Rio e Venezuela, a mais bonita conquista foi a do Corinthians, que foi campeão em cima do Barcelona campeão de Taça Latina, portanto campeão de Espanha, Itália, França e Portugal. E olha que eu sou anti-corinthiano, mas reconheço isso!!

    Aí sim!!!! Barcelona freguezaço, 4 jogos, 4 derrotas…

    Quando se conhece a HISTÓRIA é outro negócio. Mas aí há de se ter a HOMBRIDADE de saber o que foi, como Bona faz. Reconhecimentos esses muito (muuuuito) mais plausíveis porém não são alvo de choro, este iniciado em 2001 (coincidência, hein), logo após o primeiro torneio mundial usando competições bem menos credíveis como foi largamente explanado.

    Porque a merda do Fluminense conquistou em 52? Fosse o Corinthians, Palmeiras se lascava e não lutaria por tal ridículo reconhecimento, pois ajudaria o ex-rival.

    Responda a este comentário

    André

    Desculpe, mas seus parágrafos não têm coesão textual mínima e não se entende a que ponto você quer chegar.

    Responda a este comentário

    Yuri

    Apenas EXALTEI o teu conhecimento histórico (este aliado à hombridade de cada um, coisa que como você relatou abaixo, falta na wikipédia) e o ridículo de um “mundial” passar 50 anos esquecido, para ser lembrado JUSTAMENTE quando o maior rival conquista um de facto, ou seja, o caso palmeirense em 2001 sobre 1951.

    Responda a este comentário

    Yuri

    No final do parágrafo, lanço a hipótese: se fosse o Corinthians vencesse a Taça Rio 1952, exigiria o Palmeiras o reconhecimento por 51? Provavelmente não. Talvez lembrassem de um outro torneio do gênero, afinal, quem esquece-se de um “mundial” por 50 anos pode esquecer de qualquer coisa. Em suma, a mesma visão que tu mencionou aqui de forma mais incisiva.

    Responda a este comentário

    André

    PS: por “Barcelona freguezaço, 4 jogos, 4 derrotas”, você se refere à campanha do clube catalão na Pequena taça do Mundo de 1953??
    Imagino que não tenha lido direito o que escrevi: eu elogiei o Barcelona pela qualificação prévia do mesmo à Pequena Taça de 1953, que indicava ele ser, como o então campeão da Copa Latina, o campeão indireto de Portugal, Espanha, Itália e França. Elogiei-o por isso, não pela campanha dele na Pequena Taça…

    Responda a este comentário

    Yuri

    Referi-me aos confrontos entre Barcelona e Corinthians na história total do futebol. 4 derrotas catalãs em 4 jogos. Entendi sua menção ao Barcelona campeão da Taça Latina.

    Responda a este comentário

  87. André
    16/02/12 - 12:42

    http://www.fluminenseetc.com.br/fluminense-em-geral/torcida-compra-briga-pelo-reconhecimento-do-mundial-de-1952
    O autor, o tricolor Marcelo Savioli, começa com o bordão “Copa apoiada pela FIFA para indicar o Campeão Mundial” , bordão este que NUNCA aparece acompanhado de prova jornalística ou documental de nenhuma das duas afirmativas contidas nele. O JB, pelo menos, deixa bem claro que o evento de 1952 foi uma festa de aniversário de 50 anos do Flu, tal como a Federação Mineira (no Brasil, tão oficial quanto o CBD; fora do Brasil, sem força nenhuma jurídica ou “de facto”, tal como o CBF/CBD) em 1997 deu uma festa de aniversário para BH, incluindo 2 times (Benfica e Milan) que por sinal valem mais que os 4 europeus da Copa Rio 1952 somados…. E nem por isso os atleticanos inventaram Taça Centenário com Mundial…. Depois, o Savioli justifica a ausência das palavras “FIFA/Mundial/Copa do Mundo de Clubes” na cobertura do JB sobre a Copa Rio 1952 com “JB é elitizado e não trata muito de futebol”, sendo que o jornal cobriu a competição num detalhamento que só faltou falar a hora do café da manhã dos jogadores… O Savioli justifica a suposta desistência do Juventus dizendo que “as dificuldades de transporte da época faziam a distância maior”…OK, de acordo, mas porque a distância não impediu a vinda Juventus em 1951?? Interpretação sensata é a do site RCB-Ranking de Clubes Brasileiros: a de 1951 foi levada à sério na Itália por causa do Otorino Barassi, mas a de 1952, organizada por vontade do Flu sem apoio do Barassi, não foi levada a sério.
    E por fim o Savioli diz “Intercontinental também teve desistência de europeus”- desistências que nunca mais se observaram depois que a competição foi pro campo neutro japonês salvando os jogadores europeus das pauladas e pedradas que recebiam na Argentina e no Uruguai. Aliás, Japão é mais longe da Europa que a América do Sul é….
    Na boa, até quando torcedores do Fluminense se humilharão e humilharão o clube com palhaçadas como esses argumentos do Savioli tentando emplacar Copa Rio 1952 como Mundial?
    Na boa, se “cada povo tem o governante que merece”, bem claro é que cada “torcedor tem o dirigente que merece”- ou vice-versa.
    Com duas viradas de mesa no currículo (1996/97 e 1999/2000), indo na “aba” dos casos Ivens Mendes e GamaXCBF, não surpreende que os tricolores tenham tentado ir na “aba” da presença do Barassi no Rio em 1951 para emplacar seu Torneio Cinquentenário em 1952 como Mundial FIFA…
    Em 1999, o Flu foi campeão da Terceira Divisão e pintou no muro em 2000 “Tricampeão Brasileiro 1970-1984-1999″. Comemorar Copa Rio como Mundial é condigno de clube que comemora Terceira Divisão como primeirona… E os vascaínos não ficam atrás. O Vasco pintou no muro “Tricampeão Sul-Americano 1948-1998-2000″. Comemorar Rivadavia/1953 como Mundial é condigno de clube que comemora Mercosul (competição sul-americana secundária) como Libertadores (competição sul-americana central) e Sul-Americano/48 (precursora da central).

    Responda a este comentário

  88. André
    16/02/12 - 13:25

    Putz, entrou um monte de vezes repetido…

    Responda a este comentário

  89. André
    16/02/12 - 18:12

    Sobre as Copas Rio e Torneio de Paris: tiveram times de mais de um continente, logo foram intercontinenais- mas não foram “o” Intercontinental, pois não foram oficiais nem por UEFA nem por Conmebol nem tão pouco incluíram toda a Europa e AMérica do Sul via Champions e Libertadores. É LOUCURA achar que Copas Rio ou Torneio de Paris valem como a Copa Intercontinental Toyota.
    Dei uma pesquisada no JB: http://news.google.com/newspapers?nid=0qX8s2k1IRwC&dat=19540706&printsec=frontpage&hl=pt-BR
    Vejam que o jornal chama a Copa do Mundo de “Campeonato Mundial de Futebol”- deixando bem explícito o que era…
    Olhei várias edições do mesmo jornal de 1951/52/53, edições que cubriram as Copas Rio, e NENHUMA chama as Copas Rio de “Mundial”, “Copa do Mundo” , “Intercontinental” nem nada que valha…
    As Rio de 1952-1953 foram por de demais fracas tecnicamente.
    A de 1951, não foi fraca, mas também não foi lá essas coisas…
    Sobre o Vasco em 1957: meu amigo, em 1956-57-58-59 o Real Madrid foi campeão europeu mas não teve Libertadores. Vc acha mesmo razoável supor que o Vasco poderia se valer de um Mundial de 8 antes antes (1948-1956) para jogar “Copa Intercontinental” contra o Real? Vc acha que com um Sul-Americano o Vasco poderia jogar quatro “Intercontinentais” contra o Real??? Digo isso pois antes do Paris 1957 o Vasco perdeu a Pequena Taça do Mundo de 1956 também pro Real.
    Não estou desmerecendo a conquista do Vasco, como disse foi a mais valorosa desses “Mundiais dos Anos 50″, mas deixo claro que, pelo acima exposto, a chance de ser oficializado é ZERO.

    Responda a este comentário

    André Bona

    mas deixo claro que, pelo acima exposto, a chance de ser oficializado é ZERO.

    Não precisa ser oficial. Ainda assim é uma bela conquista e digo que a maior do clube:

    Vasco:
    - Campeão Torneiro de Paris 1957
    - Campeão Sulamericano de clubes campeões 1948
    - Bi campeão Sulamericano/campeão da libertadores 1998
    - Campeão da Copa Mercosul (2000)
    - Tetra campeão brasileiro (74/89/97/2000)
    - Campeão da Copa do Brasil (2011)
    - Tri-campeão do RJ-SP

    Tá bom não?

    Responda a este comentário

    André

    vc é vascaíno?
    Aliás, outro dia vi um foro duns vascaínos batendo cabeça sobre se o Vasco pode ser chamado de bi da Liberta ou “apenas” de Bi Sul-Americano.
    Essa definição:
    - Campeão Sulamericano de clubes campeões 1948
    - Bi campeão Sulamericano/campeão da libertadores 1998
    Foi perfeita

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sim. Eu sou como Eurico. Ando na rua. As pessoas olham pra mim e dizem: “aquele cara ali é vasco” nem preciso de camisa… rs…

    - Bicampeão sulamericano com certeza.

    1 Sulamericano 48 + 1 libertadores 98 = bi-campeão sulamericano.

    Responda a este comentário

    André

    Não tenho nenhum grande interesse no Vasco, mas já que vc citou, acho que de todas essa competições internacionais (1948/51/52/53/57) a única que seria justo reconhecer (aliás, já foi reconhecido) é o Sul-Americano de 48 mesmo, já que é a única que deixa claro pelo nome oficial (campeonato sudamericano de campeones) e pelos critérios (o último campeão da competição mais importante de cada país da América do Sul) que foi feita com o objetivo de indicar o campeão da américa do sul. Li um montão de matérias do JB (pelo news archive do JB, é só botar no google) da época de cada competição “mundial”(51/52/53/57) e em nenhuma matéria fala que qualquer delas foi “mundial”, “copa do mundo de clubes” ou “feita para indicar o campeão do mundo”. Esses cometários eu só vi nos jornais da década de 1950 e 1960 sobre as Cops do Mundo de seleções e a Copa Intercontinental.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Eu acho que todos os torneios são conquistas históricas. Umas oficiais e outras amistosas.

    Lembrando que o Sulamericano de 48 foi incluído (antes mesmo do Vasco pleitear a vaga na Supercopa), no livro da Conmebol da história da Libertadores. Não é argumento do vasco que esse torneio tenha sido a inspiração, o primeiro. É da própria Conmebol. Sobre ele não há dúvida nenhuma. Só um mau intencionado pode levantar duvida sobre ele.

    Os demais, não são mundiais. Sem dúvida. No caso de 51/52/53 eu nem tento entender, pois uma vez li e vi que nao tinha nada a ver.

    Já 1957, também não é um mundial. Mas é um intercontinental. Pois intercontinental, é algo que envolve mais de um continente. Neste caso, estava o campeoníssimo Real Madrid e o Vasco, unico campeão sulamericano até então e campeão carioca de 1956, lembrando que o RJ era capital do Brasil. Logo, é legítimo o convite ao clube, já que não existia campeonato brasileiro. Aliás, o Vasco fora campeão do RJ em: 45/47/49/50/52/56 e viria a ser em 58 e do RJ-SP de 58. Não havia, no RJ capital do Brasil, outro clube a ser escolhido. Portanto, esse foi um belíssimo título. Incontestável. Se foi amistoso na ocasião, isso em nada diminui o feito. Não precisa que seja reconhecido. Foi um mega torneio e o Vasco levou.

    Sobre as Copas Intercontinentais posteriores, vale lembrar que na década de 70 perderam interesse dos europeus e foi ressuscitada no Japão com o objetivo de DIVULGAÇÃO do futebol no país e não para definir um campeão do mundo…

    Eu não entendo uma coisa: Copa Toyota, Intercontinental, como queiram chamar, não é mundial. Mas nem precisa ser. Era o que de mais valioso um clube poderia conquistar sob o ponto de vista sulamericano. Então, mesmo não sendo mundial, eu me orgulharia da mesma forma… pra que dizer que é mundial se não era?

    Outra diferença básica entre sulamericano 48 x libertadores e toyota x mundial fifa, é que o conceito do sulamericano de 48 permanece o mesmo com a invenção da libertadores até os dias de hoje: confrontar os clubes campeões dos países sulamericanos. Já a Copa Toyota e o mundial, foi necessário uma evolução até mesmo no modelo de disputa… portanto, torneios diferentes.

    Responda a este comentário

    André

    O negócio é que quando o modelo da Copa Intercontinental foi criado só tinha copa continental na América do Sul e Europa mesmo. Fora o fato que, como a ´´Africa tava em guerra de independência anti-colonial, não era trivial politicamente na d´´ecada de 1960 colocar time africano contra time europeu.
    A razão do esvaziamento da Intercontinental nos anos 70 foi a porradaria. Veja que depois que foi pro Japão nunca mais nenhum europeu disse não. Veja tb que todos os europeus que disseram não à competição em alguma ocasião (Ajax, Bayern, Nottingham, Liverpool) disseram sim à mesma em outra ocasião.

    Responda a este comentário

    Victor

    André, estreou bem no blog.
    O negócio agora é sair da zona de conforto do assunto em que escreveu tua tese e ir à luta no mercado.
    Aperta o botãozinho Home e arregaça as mangas para fazer a economia comenteira blablagoliana crescer com a pauta que angustia e se impõe.

    Responda a este comentário

    André Bona

    André, então, seguindo a linha de que intercontinental entre Europa e América era mundial porque não existia torneio continental em outros continentes, poderíamos dizer também que os torneios abaixo sejam equivalentes ao campeonato mundial, já que não existia futebol em outros lugares?

    - 1867 no futebol: A Youdan Cup, a primeira competição mais antiga de futebol do mundo, é realizada com 12 times em Sheffield, Inglaterra”

    - 1868 no futebol: Cromwell Cup, a segunda competição mais antiga de futebol do mundo, é realizada em Sheffield, Inglaterra (1, 8 e 15 de fevereiro).

    - 1871 no futebol: O Secretário Honorário da Football Association, Charles William Alcock cria a Copa da Inglaterra (FA Cup ou Football Association Challenge Cup), a competição mais antiga de futebol do mundo (20 de julho). Começa a primeira edição da Copa da Inglaterra, a competição mais antiga de futebol do mundo (11 de novembro). A Inglaterra derrota a Escócia por 2 a 1 em Londres (18 de novembro).

    E por aí vai???

    Responda a este comentário

    André

    Seu raciocínio está errado. Considerar o campeão da FA Cup campeão mundial seria dar três títulos (inglês, europeu e mundial) com uma competição só, o que seria tão errado quanto dizer que o Vasco foi campeão mundial em 1948 porque só tinha camp. sul-americano mas não europeu, ou dizer que o Real foi mundial em 1956-57-58-59 porque só teve europeu mas nao sul-americano. A Copa Intercontinental e Toyota foi um passo “a mais” depois da Libertadores e da Champions. E tb não sei porque vc quer discutir a Intercontinental e Toyota, pois já está claro que já estão oficializadas por UEFA/CONMEBOL e reconhecidas por FIFA/UEFA/CONMEBOL, de modo que elas são “fatos consumados”, não sendo objeto de discussão

    Responda a este comentário

    André Bona

    Toyota não é nem nunca foi objeto de discussão. São Copas Intercontinentais reconhecidas pela FIFA. Um passo a mais que Libertadores, que é Continental. O passo seguinte ao Intercontinental, é o Mundial.

    Da mesma forma como nao se pode conceder o titulo mundial de 48 ao Vasco, por ter sido uma conquista apenas, nao se pode aceitar o titulo de intercontinental e mundial numa mesma partida…

    Muito embora, diversas vezes, tivemos na historia partidas válidas por 2 campeonatos…

    Responda a este comentário

    André

    “por ter sido uma conquista apenas, nao se pode aceitar o titulo de intercontinental e mundial numa mesma partida…”
    Os livros de geografia e atlas que conheço têm os conceitos de país,continente, hemisfério e globo… não conheço nenhum livro de geografia ou atlas com o conceito de “intercontinentes”…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Bom, André, então das duas uma:

    1) Se pra você o conceito de “Intercontinental” não existe, e o campeonato em questão tinha o nome de INTERCONTINENTAL, então você deve considerar também que o tal torneio não vale nada, certo?

    2) Considerando que vc se refaça do equívoco cometido (Zona do Euro também não está no Atlas, Mercosul também não está no Atlas, OTAN também não está no Atlas), uma vez que duvido que vc tenha realmente dúvidas do que signifiquem as palavras “Intercontinental”, “Internacional”, “Interestadual” e, assim ignoramos o seu comentário.

    Se precisar de ajuda, segue um conceito de um dicionário: http://www.dicio.com.br/intercontinental/

    Responda a este comentário

    André

    Bem, fora o 1º equívoco por você cometido (confundir conceitos de geografia territorial, como continentes e globo, com uma união monetária, uma união aduaneira e um tratado militar de defesa) e o 2º (esquecer que OTAN, UE em Mercosul estão em atlas e/ou livros de geografia mais completos), eu percebo em você uma vontade de desmerecer a Copa Intercontinental, o que é, naturalmente, algo muito comum em vascaínos e palmeirenses, os primeiros “órfãos” inconformados com as derrotas em 1998 e 2000 e com o título do Flamengo em 1981, os segundos “órfãos” inconformados com a derrota em 1999 e com não terem participado do Mundial de 2000.
    Do inconformismo à loucura, a distância é pequena: vem os palmeirenses pedir reconhecimento da FIFA a um Mundial/Intercontinental do qual o mundo e os próprios Palmeirenses “se esqueceram” durante 50 anos (como se fosse possível esquecer-se de um legítimo Mundial/Intercontinental..), aí os tricolores entram na brincadeira e pedem reconhecimento a uma competição mais fraca ainda que a de 1951 (novamente: como se fosse possível esquecer de um legítimo Mundial/Intercontinental…nesse caso, ainda mais sabendo-se que o tricolor João havelange presidiu a FIFA por 24 anos…). Não demora e vascaínos inventam uma muito fraca competição de 1953 como Mundial, e inventam que Sul-Americano de 9 anos antes ou o Carioca do ano anterior poderiam ser credencial para o Vasco jogar uma “Copa Intercontinental” em 1957…De forma alguma retira-se o absolutamente enorme mérito do Vasco em ter vencido o campeão europeu em 1957 (o que é fato pouco trabalhado pelo marketing do clube, a meu ver), ainda mais um campeão europeu tão forte e absoluto…mas, pergunta que me passou pela cabeça… o Real Madrid foi um dos principais incentivadores da criação da Copa Intercontinental (http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/edition=4735/news/newsid=95645.html) , e tal clube NUNCA disse não àquela competição; se o Torneio de Paris foi mesmo o “Intercontinental da época”, “equiparàvel à Toyota”, porque será que o Real Madrid campeão europeu em 1958-59 não jogou o Torneio de Paris nestes dois anos?
    Da mesma forma, NUNCA nenhum clube italiano disse não à Toyota/Intercontinental… Se as Copas Rio e Rivadavia foram mesmo “Intercontinentais” ou “Mundiais da época”, porque será então que o Milan disse não à Copa Rio 1951 , o Juventus disse não à de 1952 e o Real à de 1953?

    Responda a este comentário

    André Bona

    bla bla bla… repetiu tudo porque, papagaio?

    Responda a este comentário

    André Bona

    André, eu que não sei onde VC quer chegar.

    Eu NUNCA disse que a Copa Toyota/Intercontinental não foram reconhecidas pela FIFA. Claro que foram. Como Copa Intercontinental. Disse ainda que, na época, era a principal conquista almejada por um clube sulamericano.

    O fato é que a COPA INTERCONTINENTAL evoluiu para tornar-se mundial, CONFORME O DOCUMENTO QUE VC APRESENTOU.

    Portanto a evolução da Copa Intercontinental é o Mundial. Ou seja, a Copa Intercontinental não é um mundial Precisou haver EVOLUÇÃO para isso.

    Vc disse que era porque nao tinha futebol em outros lugares na época.

    Eu disse que se esse é o argumento entao as competições nos primordios do futebol na Inglaterra também seriam mundiais.

    Aí vc disse que não poderiam ser, pois um unico torneio nao poderia ser um campeonato ingles + europeu + mundial.

    Aí eu disse que pelo mesmo argumento a Copa Intercontinental não pode ser mundial. Já que é COPA INTERCONTINENTAL. Não pode ser MUNDIAL também.

    Daí vc disse que Intercontinental não existe no Atlas nem em Globo terrestre. Falou de geografia territorial, como se a geografia só tivesse um prisma de análise. Como se fosse meramente o desenho de mapas.

    Na geografia restrita que vc usou, existem países, continentes e o globo. E a relação entre países (internacional) e entre continentes (intercontinental) não está no MAPA. Lógico: vc nao vai achar no MAPA um PAÏS, ou uma demarcação chamada INTERCONTINENTAL. Tal conceito não é político-territorial.

    Dei inúmeros exemplos de outros conceitos existentes mas que também não estarão expressos em países, continentes e globo.

    O fato é: COpa Intercontinental = Copa Intercontinental.
    Mundial = Mundial.

    Antes, a Intercontinental era a maior conquista. Depois passou a existir o MUNDIAL e esse passou a ser o maior objetivo.

    Eu, ao contrário do que vc insinua, não entendo que a Intercontinental não valha nada. Acho que vale muito! Era o maior objetivo de um clube sulamericano. A Copa extinguiu-se.

    Agora existe o MUNDIAL. Esse é o maior objetivo!

    Mundial > Intercontinental.

    Apenas isso, qual é a dificuldade de entender?

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sobre 1998, amigo, o Vasco arregaçou naquele jogo. Não há nenhum pingo de vergonha, apenas orgulho, quanto àquela decisão por parte da torcida vascaína.

    Sobre 2000, nos penaltis, é do jogo. Metemos 3 x 1 no Manchester e só não ampliamos os 3 x 0 do primeiro tempo porque o técnico era o Lopes.

    Responda a este comentário

    André

    Vejo então que vc mudou muito suas assertivas originais, pois no início tava clara sua intenção de desmerecer a Copa Intercontinental ou forçar 1957 como Copa Intercontinental (http://www.blablagol.com.br/palmeiras-e-fluminense-campeoes-do-mundo-167#comment-118374)…
    Sobre 1998 e 2000, concordo que pelo futebol apresentado o Vasco merecia vencer sim, nos dois casos, mas o fator Lopes agiu…

    Responda a este comentário

    André Bona

    André,

    Me desculpe aê, mas vc tá enganado. Vai achar um comentário meu para cada um dos itens que mencionei nesse ultimo.

    Não há porque desmerecer a Copa Intercontinental. Apenas colocá-la no devido lugar: a de Copa Intercontinental e NUNCA de mundial. Se isso é desmerecer ou desvalorizar, eu discordo completamente. Trata-se tão somente de posicioná-la, abaixo do mundial, que é o que ela é. A própria FIFA, conforme você afirma e provou no documento que postou, É RECONHECIDA! RECONHECIDA EXATAMENTE COMO COPA INTERCONTINENTAL!

    Ao contrário, posicioná-la, não é desvalorizá-la, ao passo que forçar o status de mundial é supervalorizá-la.

    Quanto a 57, foi sim um torneio intercontinental, já que contou com a presença de equipe sulamericana (1) e equipe européia (3). E a sulamericana venceu. Não precisa de reconhecimento de ninguém, porque ela aconteceu de fato. O reconhecimento não diz que o torneio existiu ou não existiu. Não estamos inventando algo que não aconteceu. Aconteceu! O reconhecimento apenas o posiciona sob critérios da FIFA.

    Obviamente, não é reconhecido pela FIFA, como uma Copa Intertontinental/Toyota ou um mundial de clubes.

    Mas é uma bela conquista. A mais foda do CRVG! E tal conquista não precisa ser reconhecida para ser valorizada. Trata-se de um título que fala por si só. Não entra na galeria do Vasco como Copa Intercontinental ou Mundial. Entra como Taça de Paris.

    Responda a este comentário

    André

    Perfeito, de acordo.

    Responda a este comentário

    André

    Bona,
    Falando em Sul-Americano de 1948, parece que a diretoria do Vasco mandou um dossiê à Conmebol pedindo a “unificação” com a Libertadores. Vai acontecer o seguinte: vai levar um “não” (afinal, Sul-Americano de 1948 foi antecedente da Libertadores, não Libertadores em si) , o que vai dar a quase todo mundo a (falsa) impressão de “retirada” do merecido e justo reconhecimento conseguido pelo livro e pela inclusão do Vasco na Supercopa.
    Ouvi isso pela imprensa e entrei no site do Vasco para ver. O site não tem nem uma lista de títulos do clube, tem apenas uma “linha da história” cheia de erros de digitação e português e sem citar fatos importantes (ex: o reconhecimento da Conmebol ao Sul-Americano de 1948), e o site de resto é só merchand das lojas do clube… Some-se isso à manutenção do Cristóvão só fazendo “m”, como demonstrado na Sul-Americana do ano passado e na Guanabara esse ano, nos casos Felipe e Bernardo, na não-ida do Juninho ao Paraguai agora, e etc.
    Na boa, Bona, o botafoguense que vocês têm lá já quebrou o recorde anteriormente conseguido pelo Álvaro de Barcellos no Fluminense…

    Responda a este comentário

    Andre Bona

    Isso tudo era muito previsível, caro xará. Só não via quem não queria…

    Sem falar na última mega contratação, né? Frank Assunção… é brincadeira…

    Responda a este comentário

  90. André
    19/02/12 - 20:52

    PS: André Bona, eu não sei porque vc gosta do Eurico. Ele faliu seu clube com um ridículo e megalomaníaco “projeto olímpico” que nada trouxe ao Vasco. OK achar a gestão Dinamite um lixo, pelo pouco que acompanho do Vasco eu vejo que é um lixo mesmo, mas a gestão do Eurico também foi péssima pro Vasco.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sim, André. A gestão do Eurico foi difícil. Mas em termos filosóficos o Vasco avançou MUITO no período. Incluindo, por exemplo, a aquisição de TODOS os imóveis do quarteirão de S. Januário e o equacionamento de TODAS as dívidas do clube em sua gestão. Normalmente, o trabalho de austeridade só é entendido no futuro. Futuro esse que foi interrompido pela gestão irresponsável dos que lá estão hoje.

    Em tempo: se a unica falha que vc vê na gestão Eurico é o projeto Olimpico (pioneiro!), devo lembrá-lo de que o Presidente na época, era Antonio Soares Calçada, hoje apoiador de Dinamite.

    Se quiser estender nessa discussão com seriedade, aponto TODAS as falácias sobre a gestão Eurico.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Cuidado para não ver o Vasco com os olhos da Globo…

    Tinhamos ao menos um puta CT que nos custava 80 mil por mês, o Vasco Barra. O Carlos Alberto, hoje, recebe 270 mil pra nao fazer nada!

    Responda a este comentário

    André Bona

    E eu nao me lembro de NUNCA ter ouvido Eurico dizer que tava pagando contas de gestões anteriores…

    Responda a este comentário

    André

    Sim, projeto olímpico pioneiro em sua megalomania, irresponsabilidade e loucura, quebrando o clube financeiramente com palhaçadas tais quais patrocinar tiro com arco, winsurf, vôlei de praia, entre outros. E vc gosta daquele cara…
    Claro que vc não ouviu o Eurico falando que tava pagando conta de gestões anteriores… tanto tempo que ele tava no Vasco, que quando vc nasceu ele já tava no Vasco há mt tempo…
    Na gestão Calçada, era o Eurico que mandava. Vc sabe disso perfeitamente.
    Sim, Carlos Alberto ganha 270 mil p não fazer nada. OK, péssima adm. do Dinamite, como eu disse. Agora, quanto será q Viola e o Donizete ganhavam p ficar na reserva no início de 2000?
    Cara, o Vasco já tava quebrado bem antes do Roberto ganhar a eleição, é só ver os resultados do Vasco depois de 2000…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Prezado, você bem sabe que o projeto olimpico existiu em função do contrato firmado com o Nations Bank, que ficou responsável por aportar 150 milhoes de dólares no clube. Fez as primeiras parcelas mas, depois, interrompeu os pagamentos.

    Em cima do contrato, o Vasco fez seus investimentos e o projeto pioneiro, sem precedentes na história de um clube brasileiro, tanto no que se refere ao valor do aporte financeiro obtido, quanto da exposição da marca do clube. Você ligava o Sportv e via o VASCO em TODAS as competições que eram exibidas. Do bobdyboard ao Hipismo.

    O fato foi que o banco interrompeu os aportes, descumprindo sua obrigação contratual. Na imprensa, foi dito (tudo depois do episódio SBT na final do Brasileiro – aliás, tudo contra Eurico surgiu após esse fato) que o banco teria interrompido o investimento em função de desvios, o que se mostrou equivocado e mentiroso. Tanto é que o Vasco obteve a confissão da dívida junto ao banco e inclusive obteve de volta o direito de exploração da marca Vasco, que estava licenciada para o banco via VGL (Vasco da Gama Licenciamentos S/A). E, em acordo, deu-se a quitação recíproca das partes, sem ter o Vasco que devolver nada e o banco perdendo o direito da exploração da marca.

    Ao término desse primeiro imbróglio, o Vasco enfrentou asfixia financeira da Globo, durante quase 2 anos. Do dia pra noite, o Vasco se viu com um quadro enorme de atletas de ponta e sem nenhuma receita. Portanto, teve que desmontar esse quadro e infelizmente resolvendo as questões de forma sacrificada. Vale lembrar que VÁRIOS e VÁRIOS atletas desses, entraram na justiça CONTRA O VASCO e PERDERAM suas causas.

    Se a presidência era de Calçada e este delegava decisões a Eurico Miranda, nada disso retira do presidente a responsabilidade pelas consequencias dos fatos. Tal pensamento é demasiadamente escroto e tendencioso.

    Na sequencia, Eurico e o Vasco foram duramente perseguidos, teve uma CPI sobre seus ombros, simplesmente incentivada dioturnamente por ninguem menos que a REDE GLOBO, onde toda a vida do sujeito foi vasculhada. E o cara provou que TODAS as acusações eram infundadas. Teve o episódio de S.Januário também, cuja justiça declarou o Vasco isento de responsabilidade sobre o fato.

    No ano de 2010, TODOS os processos contra EURICO MIRANDA movidos naquele período, foram arquivados por falta de provas. O estrago já estava feito.

    Durante sua gestão, Eurico comandou BRILHANTEMENTE o clube no meio do caos. Afinal, gerir no caos é o grande mérito de um líder. Gerir em águas tranquilas, é coisa pra qualquer retardado.

    Nesse período, o Vasco reduziu os esportes amadores, mas manteve muitas modalidades vencedoras, inclusive o Remo, karatê e outras modalidades. Criou o Colégio Vasco da Gama, que formou alunos como Alex Teixeira e outros tantos que não vieram a se profissionalizar, mas que encontraram no clube a possibilidade de continuar sua formação de cidadãos.

    O Vasco aumentou significativamente seu patrimônio ao adquirir mais de 40 imóveis no entorno de S. Januário, fechando o quarteirão. Todas as instalações do clube eram mantidas em excelente estado.

    O Vasco tinha um excelente CT, alugado, que proporcionava condições de trabalho para os jogadores que lá estiveram. Se o time não era lá mil maravilhas, pelo menos encontrava respaldo para trabalhar e o Vasco na era EURICO, ficou, a partir de 2004, sem atraso de salários.

    O endividamento com os atletas foi equacionado via acordo com TRT, onde 20% da receita era retida e ficava já disponível para execuções trabalhistas. Outras foram equacionadas e vinham sendo pagas regularmente (caso Euller, Romário, Edmundo, etc).

    A base era quase 100% do próprio Vasco e jogadores como Alex Teixeira, Allan Kardec, Philipe Coutinho, Matheus, entre diversos outros surgiram e possibilitaram recursos para o clube, diferente do que hoje é feito na base.

    Se os resultados em campo não apareciam, o trabalho de criação de sólidos alicerces era feito. Obras de saneamento não aparecem, amigo.

    Em 2008, ao deixar o Vasco, Eurico entregou o clube com TODAS AS CERTIDÕES negativas e/ou positivas com efeitos de negativas, o que possibilitaria que qualquer gestor bem intencionado pudesse receber qualquer dinheiro de qualquer programa governamental…

    Enquanto a midia bradava que o Vasco nao tinha patrocinio, isso e aquilo, o clube cumpria com esmero seu papel social e continuava a crescer patrimonialmente e escalonando adequadamente seu endividamento.

    A difamação de Eurico deveu-se basicamente à sua postura de combate frontal junto a Rede Globo e a todos que se opunham a um Vasco líder. Um Vasco que recebia o mesmo dinheiro que todos os clubes na TV. Um Vasco que continuava na série A, inabalável, quase libertadores, final de Copa do Brasil, SEM PATROCINIO!

    Veio o inteligentissimo projeto dos 1.000 gols do baixinho. O Vasco mais uma vez na mídia mundial.

    A excelente parceria com o Habib’s e o patrocinio com a MRV eram as demonstrações necessárias de que o caminho voltava a ser ascendente também no esporte.

    E veio a gestão dinamite…

    Caloteira por opção, descumpridora de acordos, degradadora do patrimonio do clube, entrega da base e tudo de péssimo que se possa imaginar. Herdou dívidas equacionadas e as transformou em inadimplentes… Herdou uma base própria e a transformou numa base de parceiros… Herdou um time na primeira divisão, em 8o. lugar, e o fez passar pela segunda divisão contratando TITAs, Jhonnys, e afins… Rebaixou o Vasco nas cotas de TV e no campo. Teve contas reprovadas seguidamente. Balanços reprovados. Inflacionou a folha do clube. Empregou amigos e parentes. Concedeu franquias às próprias filhas…

    Mas lembre-se, perante o quadro social do Clube, ainda em 2010, Eurico foi eleito Presidente do Conselho de Beneméritos e é até hoje… Se a imprensa não mostra, os diretamente envolvidos sabem.

    Ironicamente, as eleições de 2006, anuladas por um vacilo e uma revelia (e nunca por julgamento de mérito) foram realizadas irregularmente em 2008… E em 2011, até o momento, estão anuladas por fraude, SEM REVELIA COM JULGAMENTO DE MÉRITO.

    Um garoto morre… a esquiva.

    O Vasco não precisa de líder covarde. A desordem administrativa aconteceu na gestão Calçada e Eurico, somente ele poderia fazê-lo, abraçou a causa em meio ao CAOS.

    Sobre os atuais, dizem que pagaram 150 milhoes em dividas. Bom, o clube nao teve isso de receita em um ano. Nao sei como. Abandonaram o acordo de Romario, cuja divida era de 14, e agora correm o risco de transformá-la em 50. Gestão anterior? que nada!

    Responda a este comentário

  91. André
    20/02/12 - 20:49

    Bona,
    só de vc ter escrito, “Se a presidência era de Calçada e este delegava decisões a Eurico Miranda, nada disso retira do presidente a responsabilidade pelas consequencias dos fatos.”, para tirar do Eurico a responsabilidade das ações dele e colocar na “gestão Calçada”, eu realmente não me interesso mais em conversar sobre política vascaína.
    Mantenho minha opinião: pelo que vi à época, o Eurico conseguiu umas vitórias grandes (parceria com o banco; Vasco na Supercopa), mas faliu o clube com projeto olímpico doido que de nada serviu pro clube.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Prezado André, de fato, pra mim também não há discussão sobre isso. O meu argumento que vc usou inadequadamente deve-se ao seguinte:

    TODOS, movidos pela influência da imprensa, atribuem a Eurico o endividamento da gestão Calçada, MAS NÃO ATRIBUEM A EURICO OS SUCESSOS DA MESMA GESTÃO CALÇADA. Portanto, se Eurico é responsável (mesmo sem ser) pelo endividamento excessivo do período Calçada, deve ser responsabilizado também pelo período mais vitorioso da história do clube, que foi durante sua estada no clube como vice-de-futebol ou presidente, de 1986 a 2008, em várias modalidades esportivas, incluindo só pra lembrar, 3 titulos brasileiros, mercosul, libertadores, RJ-SP e o tri-carioca que o Vasco ainda não tinha. Batemos de 5 duas vezes também no comedor de carniça e várias de 4.

    Se vc vai avaliar Eurico simplesmente pelo endividamento e não por todos os avanços ocorridos no clube, vários dos quais listei aí em cima, então sua análise e um saco de lixo possuem o mesmo valor. Assim como a análise parcial de todos os fatos que cercam a história de Eurico no Vasco, principalmente após seu confronto direto com a mãe do Saulo e do Bender.

    De toda forma, repito e complemento: o projeto olimpico não foi um gasto desordenado como você supõe. Ele era lastreado num contrato firmado, descumprido pelo responsável pelos recursos, INCLUSIVE, pois o tal banco começou a querer interferir na gestão do clube, o que NÃO FOI ADMITIDO, corretamente, pela gestão do clube.

    pelo que vi à época isso aí depende com que olhos ou através de quais lentes você viu… o fato é que as lentes que mais noticiaram foram desmentidas a cada acusação, seja na CPI ou na justiça, ano a ano, até não restar mais nada… Mas essa outra parte, não houve lente transmitindo… Só pra quem realmente se aprofundou e buscou, desde o início, entender a natureza das coisas.

    Mas sinceramente, não tenho o menor interesse em convencê-lo. O importante é que quando a Globo começou a caça ao Eurico, curiosamente com casas em Miami INEXISTENTES logo após o fato SBT, o próprio Eurico, através de um site nomeado como veículo oficial de informação do clube, respondia a TODOS os questionamentos feitos, apresentando documentos e os devidos esclarecimentos. TUDO foi respondido. Mas não deu no plin plin. Obviamente, a força de deturpação massificada foi maior que o esclarecimento efetivo dos fatos. Azar de quem só viu metade de uma história que, sequer, era real.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sem contar com o bi campeonato sulamericano de basquete, a final do mundial contra o San Antonio Spurs, a supremacia no remo e o retorno institucional em nivel mundial obtido com o projeto olimpico. Uma empresa, mede o retorno de publicidade que tem ao investir num clube, dentre outras formas, recortando tudo o que sai na imprensa relativo ao clube, que aparece sua marca de forma espontanea, como se fosse paga. Já imaginou o retorno que o Vasco teve no período???

    Responda a este comentário

    André

    O Vasco, apenas para ajudar o Fluminense, ganha do Boavista ao invés de entregar o jogo ao mesmo- apenas para ajudar um Flu que lhe deu facada em 2009 (caso Jefferson) e 1999 (tentativa do Flu de tirar o Vasco do Rio São-Paulo daquele ano, que o Vasco acabou ganhando). Resultado: o visto no Engenhão hoje…
    Bona, meu chapa, não concordo com tudo que vc diz sobre o Eurico; mas concordo com tudo que vc diz sobre o Dinamite…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Caro André, existem ainda requintes de crueldade nessa história:

    Vc esqueceu do caso Leandro Amaral e também do fato de que a Unimed jogou em SÃO JANUÁRIO na rodada derradeira. Além de vencer o Boavista, o Vasco ainda cedeu sua casa para a Unimed comer sua mulher.

    Mas eu não sou partidário da entrega de resultado não. Acho que o vasco nao deve fazer isso. Mas poderia, muito bem, colocar o time de junior no confronto de sábado de carnaval…

    Responda a este comentário

    André

    “Vc esqueceu do caso Leandro Amaral e também do fato de que a Unimed jogou em SÃO JANUÁRIO na rodada derradeira. Além de vencer o Boavista, o Vasco ainda cedeu sua casa para a Unimed comer sua mulher.”
    Só reforça o que eu disse. mais razões ainda para entregar.
    Bem, sobre entregar jogo, discordo de vc… Bona, “entregar jogo” não é algo em si imoral ou anti-ético. Veja: em 2008 o Fla entregou pro Atle-PR para rebaixar o Vasco, entregou para o Bahia em 1996 para rebaixar o Flu, o Corinthians e o Grêmio entregaram em 2009 para prejudicar Palmeiras e Inter em 2009, e por aí vai. O mais correto e ético é a Diretoria dum clube agir para dar felicidade à SUA PRÓPRIA torcida, e certamente corinthianos e gremistas não iam ficar felizes vendo seus times jogarem para beneficiar Palmeiras e Inter… e é o mesmo raciocínio sobre Vasco X Boavista…
    Vamos lá a uma pequena lista: 1- uniformezinho azul, outro com faixa amarela, e por aí vai; 2- abrir lojas franqueadas a parentes; 3- não contratar NINGUÉM e ainda perder Bernardo por salário atrasado; 4- pintar tri-sul-americano no muro; 5- pedir, DE NOVO, reconhecimento ao Sul-Americano de 1948 à Conmebol, que JÁ deu esse reconhecimento em 1996, dando assim vazão a desinformados dizerem que nunca teria havido reconhecimento nenhum… aliás, os itens 4 e 5 acima resultam numa desvalorização do sul-americano de 1948 pelo próprio Vasco…6- manter o Cristóvão mesmo tendo sido ele em grande parte responsável pela queda na Copa Sul-Americana e hoje na Guanabara; 7- e ter vencido o Boavista para ajudar o Flu…
    Eu não imagino como vcs vascaínos tão ansiosos pela próxima eleição presidencial no clube…

    Responda a este comentário

    André Bona

    André, o Vasco não é nenhum desses times aí. NUNCA vou concordar com entrega de jogo. apenas digo que, como nada valia o jogo de sábado para o Vasco, deveriam ter escalado o juvenil, que tentaria vencer. Se o Boavista, por incompetencia propria nao vencesse, aí era outro papo.

    Ceder o estádio é o que mais me incomoda…

    E se vc reparar, vai ver que nos ultimos anos, TODOS entregaram no brasileirão… Menos em 2011… quando até os times de SP dificultaram a vida do Vasco, incluindo Palmeiras e Santos… Adicionando a roubalheira no jogo do urubu, teríamos o penta nas mãos…

    Não estamos esperando as próximas eleições. Estamos esperando as que deveriam ter ocorrido em agosto de 2011, já que essas, a justiça suspendeu…

    Responda a este comentário

    André

    Bona, fala sério: vc é daqueles que acha imoral e anti-ético entregar jogo? Na minha opinião, imoral e anti-ético é jogador cujo salário é pago por um clube entrar em campo para defender interesse do clube rival…
    “E se vc reparar, vai ver que nos ultimos anos, TODOS entregaram no brasileirão… Menos em 2011… quando até os times de SP dificultaram a vida do Vasco, incluindo Palmeiras e Santos… Adicionando a roubalheira no jogo do urubu, teríamos o penta nas mãos…”
    Nisso concordo com vc. E lembre-se que quando o Santos ganhou do Vasco (roubado), o Neymar veio com papo de “o Santos nunca entregará e sempre dará o melhor”… já no jogo seguinte, contra o Ceará, o Santos entrou com reservas…
    Mas creio que naquele caso lá a armação era pro-Corinthians, não anti-Vasco. Acho que qq outro clube que tivesse pau a pau com o Corinthians ia ser ultra-roubado como o Vasco foi. Não sei se vc acompanhou os blogs e foruns internet afora, mas teve muito flamenguista que até torceu pro Vasco de tão enojado que ficou com a roubalheira pro-Corinthians.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Cara, a entrega não faz parte do esporte. Ela é o anti-esporte. Se você quer diminuir a força, use os reservas e os juniores. Que irão jogar pra ganhar. Mas entregar é algo impensável.

    Entregar não é do esporte… Quando duas equipes entram em campo, o objetivo delas sempre deve ser a vitória. Talvez nesse caso do Vasco, a entrega dele seria para benefício próprio. Ou seja, o melhor pra ele mesmo Vasco teria sido perder. Posso até aceitar, embora nao concorde.

    Diferente de quando um time entrega jogo para prejudicar outro… Aí acho muito feio… Tipo, o Vasco meteu 3 x 0 no SPFC e classificou o urubu pra final de 92 contra o Botafogo… Deveria entregar? Entendo que não.

    Responda a este comentário

  92. André
    13/03/12 - 7:01

    Esse tópico já deu o que tinha que dar, mas soube de algo digno de nota.
    Na página de discussão do Fluminense na Wikipedia, vi um tricolor e um vascaíno discutindo a mundialização da Copa Rio e do Torneio de Paris.
    O vascaíno mandou a seguinte: “o Vasco teve de vencer o Sul-Americano de 1948 para jogar o Paris57!”. Mentira: o Sul-Americano de 1948 nunca foi prerequisito para qualquer outra competição. Não há nada que indique isso. Nada indica qualquer relação entre o Sul-Americano de 1948 e o Paris 1957, 9 anos depois.
    O tricolor, confrontado por outro usuário às partes do site da FIFA em que a FIFA reconhece a Toyota Intercontinental como precursora do seu atual mundial, respondeu: “essas partes do site da FIFA não se leva a sério. Não são a posição oficial da FIFA. Não se levam a sério. Da FIFA só se eleva a sério os press releases.”
    Para o caso de alguém não ter acreditado, é isso mesmo: um sujeito inventa uma relação 1948-1957 que não é afirmada por fonte nenhuma da época; o outro sujeitinho se dá ao direito de decidir o que no site da FIFA vale como posição oficial e o que não vale…
    Isso só mostra a que ponto de baixeza moral e intelectual desce quem defende mundialização das competições dos anos 1950…

    Responda a este comentário

    Andre Bona

    André, no próprio site da Fifa, na parte dos clubes, existe mesmo esse aviso, de que as informações ali contidas não são posição oficial da Fifa.

    Mas realmente o tópico já deu o que tinha que dar. Como concordamos anteriormente:

    1) Toyota Intercontinental é reconhecido como Toyota Intercontinental precursor do mundial e, portanto, não é mundial FIFA. Mas é uma bela conquista para os sulamericanos.

    2) O Vasco não é bi da Liberta, mas é bi sulamericano, tendo vencido em 48 e 98, reconhecidamente pela Conmebol.

    3) O Vasco é campeão do Torneio de Paris de 57. E ele dispensa reconhecimentos, pois ele aconteceu e foi um torneio intercontinental, envolvendo américa do sul e europa. O Vasco não é campeão do mundo da FIFA. É campeão do Torneio de Paris de 57, um puta torneio!

    4) De fato o Vasco nao teve que vencer 48 para jogar 57. Mas era, na época, o que mais conquistava títulos no Rio e o único no país a já ter vencido um torneio continental.

    E por ultimo, não é percursor, mas sim precursor.

    Responda a este comentário

    André

    Sobre “precursor” e “percursor”, foi erro de digitação.
    Concordo com tudo, exceto uma parte: “no próprio site da Fifa, na parte dos clubes, existe mesmo esse aviso, de que as informações ali contidas não são posição oficial da Fifa”.
    Não vi esse aviso, mas vou dar uma olhada.
    E a citação à Intercontinental não está só na parte de clubes, está no documento estatístico da FIFA sobre os Mundiais dela, a “FIFA Club World Cup 2011 Post Event Statistical Kit”.
    Eu não discuto o valor técnico das competições dos anos 50: variam do ridículo (Rivadavia 53) ao excelente (Paris 1957), passando pelas Copas Rio.
    O que eu discuto é o seguinte: a versão que os tricolores/palmeirenses/vascaínos fanáticos colocam por aí é que “Copa Rio e Intercontinental não têm reconhecimento da FIFA e estão na mesma situação perante a FIFA”. Isso é uma falsificação grosseira. Seja como Mundial ou Intercontinental, a Intercontinental/Toyota tem o reconhecimento da FIFA como precursor do seu mundial; as Copas Rio/Rivadavia/Caracas/Paris, não. E isso é uma TREMENDA diferença.
    No caso do tricolor que citei, ele veio com esse argumento: os textos no site da FIFA são só textos sem força oficial pela entidade. Aí eu fui e coloquei um documento estatístico (supracitado) sobre o Mundial FIFA. Sem poder contestar, ele foi e … apagou…
    O que eu quero dizer é que “Mundialização” ou “Intercontinentalização” das competições dos anos 1950 , 50 anos depois, foi só o resultado de uma dor-de-cotovelo palmeirense pelo Mundial do Corinthians, no qual o Corinthians jogou “no lugar do” Palmeiras. E essa dor-de-cotovelo foi assumida por tricolores (clube e alguns torcedores) e por vascaínos (alguns torcedores) sobre as Copas Rio, Rivadavia e Paris. Esses caras não teriam nem ouvido falar da Copa Rio ou Paris se não fosse pelo Mundial 2000 do Corinthians, ou se Vasco e Palmeiras tivessem ganhando a Intercontinental, mas ficam igual uns xiitas colocando a versão deles na Wikipedia e apagando quem coloca PROVAS em contrário.
    No mais, o Torneio de Paris foi um puta torneio amistoso em Paris. Não questiono a parte técnica. Questiono que a Intercontinental Toyota foi oficial por Conmebol e Uefa e é reconhecida pela FIFA como precursora do seu mundial, qualificativos não imputáveis nem ao Torneio de Paris nem às Copas Rio ou Rivadavia. Portanto, essa de “Copa Rio e Intercontinental não têm reconhecimento da FIFA e estão na mesma situação perante a FIFA” é uma mentira grosseira. Ligar Rio/Caracas/Paris/Rivadavia à Intercontinental ou ao Mundial FIFA com essa mentira beira o charlatanismo.

    Responda a este comentário

    André

    Achei a parte que diz que textos de clubes não são necessariamente a posição oficial da FIFA. Mas como eu disse, eu coloquei um documento estatístico da FIFA que não é da parte de clubes e o cara lá… apagou.
    Eu não discuto a parte técnica. Discuto o seguinte: Rio/Rivadavia/Paris/Caracas não eram oficiais nem por UEFA/Conmebol nem por FIFA, e não são reconhecidos pela FIFA.
    Rio/Rivadavia/Paris/Caracas não tiveram critério classificatório abrangente e estável; ex: o Paris 57 teve Real mas o de 58 e 59 não teve. Já Intercontinental foi sempre via Libertadores e Champions, enquanto o Mundial FIFA sempre foi via todas as copas continentais.
    Meu ponto é: da mesma forma que se ligam (mas não necessariamente se igualam) Sul-Americano 48 e Libertadores, da mesma forma se ligam (mas não necessariamente se igualam) Intercontinental e Mundial FIFA. Agora, Rio/Rivadavia/Caracas/Paris dos anos 1950 não se igualam e NEM SE LIGAM DE FORMA ALGUMA à Copa Intercontinental e ao Mundial FIFA. E tens uns xiitas na Wikipedia que ficam policiando a Wikipedia para tentar emplacar essa ligação que nunca existiu.

    Responda a este comentário

  93. Maurício
    9/04/12 - 19:54

    Então a seleção brasileira é octa campeã mundial, ja que venceu tres copas das confederações, e o São Paulo tetra da libertadores já que ganhou uma comenbol hasuahsuashuash!!

    Responda a este comentário

  94. André (vascaíno)
    23/04/12 - 22:09

    Cobertura do jornal catalão “El Mundo Deportivo” à Copa Rio de 1952 (incluindo os clubes convidados que não quiseram participar):

    http://hemeroteca.mundodeportivo.com/search.html?q=Copa+Rio++Fluminense&bd=01&bm=01&by=1952&ed=13&em=07&ey=1952&keywords=&__checkbox_home=true&edition=&exclude=&excludeAds=true&sortBy=date&order=asc&x=49&y=18

    Sobre a origem da Copa Intercontinental:

    http://www.fifa.com/tournaments/archive/tournament=107/edition=4735/news/newsid=95645.html

    Sobre as datas da Copa Rio de 1952 e da Pequena Copa do Mundo de 1952:

    http://www.rsssf.com/tablesp/peq-copamundo52.html
    http://www.rsssf.com/tablesr/riocup52.html

    Fontes indicadas, vamos à análise:

    Nenhuma matéria do jornal trata a Copa Rio como Mundial, Copa do Mundo, Copa Intercontinental, nem nada disso, e em nenhuma matéria do jornal sobre a Copa Rio a palavra FIFA aparece.

    A Copa Rio de 1952 teve 8 times convidados que não quiseram participar, entre eles o Real Madrid. O Real Madrid foi o clube instigador da criação da Copa Intercontinental, pois era seguidamente o campeão da Europa e queria ser também o campeão do mundo. E o Real participou da Copa Intercontinental e do Mundial de Clubes da FIFA em todas as vezes que teve o direito de fazê-lo. Com isso tudo, é bem difícil acreditar que o Real abriria mão de jogar um mundial ou intercontinental legítimo. Pois em 1952 o Real Madrid disse não à Copa Rio, preferindo jogar, no mesmo período, a Pequena Copa do Mundo, uma competição organizada por empresários.

    Eu gostaria que palmeirenses e tricolores explicassem que “mundial apoiado pela FIFA” foi o deles, que o clube europeu mais entusiasta de mundiais (o Real Madrid) não quis jogar preferindo uma competição organizada por empresários.

    Aliás, as matérias do jornal deixam claro que o objetivo do Fluminense (organizador da copa Rio) era ter no máximo 4 equipes européias na competição. Repito: “no máximo 4″, não “pelo menos 4″. Se o objetivo da Copa Rio fosse ser mundial, porque limitar a participação de times europeus a 4, ao invés de tentar fazer uma competição tão abrangente quanto possível, com tantos países europeus representados quanto possível???

    Sinceramente, como vascaíno, eu fico até envergonhado quando vejo vascaínos dizendo que o fraco Torneio Octogonal Rivadavia Correa Meyer foi mundial por ter sido sucessor da Copa Rio.

    Copa Rio só foi mundial ou intercontinental na cabeça dum jornal brasileiro (A Gazeta Esportiva) e dos torcedores de Palmeiras e Fluminense.

    Responda a este comentário

  95. Gilberto Tricolor
    24/07/12 - 1:23

    Para resumir esses quase 1000 comentários acima (e para os comentários futuros…) : ENQUANTO AS ORGANIZAÇÕES ¨GROBO¨ EXISTIREM,OS ¨FRAMENGUISTAS¨ SE ACHARÃO CAMPEÕES DO MUNDO. O que é mais deprimente é o fato de existirem ¨framenguistas¨ metidos a serem intelectualizados,quando,na verdade (para desespero da ¨grobo¨),esta é a torcida(???)responsável por todos os males sociais ocorridos no Brasil nos últimos cem anos. Que a ¨grobo¨continue promovendo a ¨lavagem cerebral em massa¨na torcida(???????)do ¨time de massa¨. SAUDAÇÕES TRICOLORES.FLUMINENSE FOOTBALL CLUB,CAMPEÃO DO MUNDO 1952.Não precisamos de Rede ¨grobo¨para determinar o nosso modo de enxergar o mundo que nos rodeia.

    Responda a este comentário

Deixe seu comentário