Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Proposta para o Campeonato Brasileiro

January 10th, 2014 por | 331 Comentarios | Categorias: Campeonato Brasileiro, Estrutura

Acreditem, na verdade, a proposta seria para todo o calendário, mas como não quero escrever um livro, e o rolo – por enquanto – resume-se ao Campeonato Brasileiro, é nele que se foca por ora.

A proposta é simples, apesar de tentar equilibrar as mais variadas exigências das partes, sejam clubes, federações, televisão, JORNAS e ratos de internet (tuiteiros, blogueiros e assemelhados): mata-mata e pontos corridos; eugenia e inclusão; liga de clubes e CBF; regionais, estaduais e torneio nacional. O resultado de tanto equilíbrio é que ninguém fica completamente contente, mas todo mundo acaba ganhando um pouco também.

A “Lampions League” é uma realidade. Fez tremendo sucesso, tanto que a CBF resolveu fazer uma similar para os clubes do Norte/Centro-Oeste (a Copa Verde). Os clubes dessas regiões sofrem com seus estaduais, e não conseguem inserção nos torneios nacionais.

Eugenistas gostariam de ver os clubes grandes jogando contra si, e não aturam pequenos. E, falando em pequenos, isso inclui grandes regionais de estados periféricos (eu sei falar um pouco de ‘esquerdês’). Tampouco gostam de viagens longas e desgastantes.

JORNAS adoram pontos-corridos, porque fazem se sentir como se estivessem na Europa. Eles tampouco aturam ter que cobrir os pequenos. Se pudessem, só falariam dos grandes o tempo todo. Não, espera, eles já fazem isso.

A viúvas do mata-mata (por exemplo, eu!), gostariam de ver uma final. A TV também gosta. Ela adora pontos-corridos porque pode mostrar os mesmos times até a última rodada, mas sente falta daquela audiência das finais.

Tendo isso em mente é que eu sugeriria resolver o atual imbróglio de liminares da forma que segue.

I. Campeonato Brasileiro de Primeira Divisão (56 clubes, 29 datas)

I.1 Fase Regular – Regionais (26 datas)

Haveria quatro ligas com 14 clubes cada, regionalizadas. Os clubes seriam esses, de acordo com a classificação final do Brasileirão 2014 (todas as divisões):

Liga Rio-São Paulo (estados de RJ e SP)

– Botafogo, Santos, São Paulo, Corinthians, Fluminense, Flamengo e Palmeiras (A); Portuguesa, Vasco da Gama, Ponte Preta, Bragantino e Oeste (B); Guaratinguetá e São Caetano (C).

Liga Sul-Minas (estados de RS, SC, PR e MG)

– Cruzeiro, Grêmio, Atlético Paranaense, Coritiba, Internacional, Criciúma, Chapecoense e Figueirense (A); Joinville, Paraná, América Mineiro, Avaí e Boa (B); e Caxias (C).

Liga Nordeste (“Lampions”, estados de ES, BA, SE, AL, PE, PB, RN e CE)

– Vitória, Bahia e Sport (A); Náutico, Icasa, Ceará, América, ABC e Santa Cruz (B); ASA, Treze, Fortaleza, CRB e Botafogo (C).

[nota: ao contrário da CBF, eu entendo fazer mais sentido colocar o Espírito Santo com os estados nordestinos, e Maranhão e Piauí com os do Norte e Centro-Oeste]

Liga Verde (estados de GO, DF, MS, MT, MA, PI, TO, PA, AP, RO, RR, AM e AC)

– Goiás (A); Atlético Goianiense, Sampaio Corrêa, Luverdense e Vila Nova (B); Paysandu, Águia de Marabá e Cuiabá (C); Brasiliense, CRAC, Rio Branco, Mixto, Plácido de Castro e Nacional (D).

Nesta fase, os clubes jogam em turno-e-returno dentro das próprias ligas, o que equivale a 26 rodadas. Os campeões, e somente os campeões de cada liga, classificam-se para as semifinais. Com isso, a aura dos pontos-corridos é preservada.

Os eugenistas podem reclamar um pouco, mas é fato que dos 26 jogos dos grandes de Rio e São Paulo, 14 são entre si. Ao diminuir o número de jogos (38 para 26), aumentou-se o percentual de partidas eugenistas no campeonato para cada clube. Ademais, diminuiu-se os jogos contra os pequenos, e as viagens evaporaram. E como os melhores clubes de 2013 ficaram na Sul-Minas, fica fácil para os JORNAS-MORES do Brasil mentirem que o bom do futebol local está na cidade deles sem poderem ser contestados com fatos; que são sempre desagradáveis, teimando em se opor às teorias deles.

Ninguém de fora recebe mais os grandes de Rio e São Paulo, em compensação, os clubes do Nordeste, Norte e Centro-Oeste foram alçados à condição de clubes de Primeira Divisão, e o título regional os catapulta para as semifinais do torneio nacional. Todos os torneios regionais estão no mesmo nível.

O Bom Senso F.C. fica feliz porque se reduz o número de datas!

A TV pode reclamar em ter que pagar 4 campeonatos ao invés de 1, mas como ela já negocia com cada clube individualmente, isso não será tanto problema. Ela também pode desgostar que não pode ter semifinais com o trio-de-ferro paulistano mais Flamengo, mas as disputas na Fase Regular entre eles devem, ou deveriam, compensar. Além do mais, hoje, essa possibilidade tampouco existe. A fase final desta sugestão é bônus, e deve ser encarada como tal.

I.2 Fase Final (4 clubes, 3 datas)

Os clubes campeões são classificados de 1º a 4º de acordo com a campanha na Fase Regular. Enfrentam-se nas semifinais: 1º x 4º; 2º x 3º.

As semifinais são em dois jogos, o mando do segundo jogo é dos times com melhores campanhas na Fase Regular. O regulamento é como o da Copa do Brasil: em caso de empate no placar agregado das duas partidas, avança quem fez mais gols fora; persistindo a igualdade, pênaltis. Os vencedores vão para a Final.

A Final é em jogo único, no Estádio Nacional em Brasília. Em caso de empate, há prorrogação de 30 minutos; persistindo a igualdade, pênaltis.

I.3 Acesso, Rebaixamento e Permanência

Ao final da Fase Regular, os dois últimos colocados de cada Liga são rebaixados. Nos seus lugares, entram campeão e vice da Segunda Divisão.

Já as equipes classificadas em 11º e 12º lugares disputam um torneio com outros seis clubes advindos da Segunda Divisão. São divididos em duas chaves de 4 equipes, com um time de Primeira Divisão em cada uma. É disputada em duas fases: semifinais e final; ambas as etapas em jogo único (os times da Primeira Divisão sempre têm o mando).

Os campeões de cada chave jogam a Primeira Divisão na temporada seguinte.

 

II. Campeonato Brasileiro de Segunda Divisão (112 clubes, 28 datas)

Não há um campeão, mas quatro. As regiões não se encontram na Segunda Divisão.

II.1 Fase Regular (26 datas)

Cada Região é dividida em duas ligas com 14 clubes cada. Jogam em turno-e-returno. Os campeões de cada Liga classifica-se para as finais e garantem acesso à Primeira Divisão da temporada seguinte.

As equipes classificadas entre 2º e 4º de cada liga disputam o Torneio de Permanência contra as equipes vindas da Primeira Divisão (ver I.3 acima).

As ligas são:

Região Rio-São Paulo

Liga Rio (estado do RJ)

Liga São Paulo (estado de SP)

Região Sul-Minas

Liga Anita Garibaldi (estados de RS e SC)

Liga Paraná-Minas (estados de PR e MG)

Região Nordeste

Liga Atlântica (estados de ES, BA, SE e AL)

Liga Fernando de Noronha (estados de PE, PB, RN e CE)

Região Verde

Liga Oeste (estados de MS, MT, RO, AC, AM e RR)

Liga Araguaia-Tocantins (estados de GO, DF, TO, PI, MA, PA e AP)

 

II.2 Fase Final (2 jogos)

Os campeões de cada liga classificam-se para as finais regionais. Jogos em ida-e-volta, mesmo regulamento da Copa do Brasil, etc.

II.3 Acesso, Rebaixamento e Permanência

 Tanto o número de clubes rebaixados quanto os de promovidos dependerá dos ajustes para fechar a conta das Ligas em 14 clubes cada. No entanto, sempre subirá ao menos um de cada “Torneio de Acesso” (8 ao total).

331 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Internacionalização da marca

January 9th, 2014 por | 68 Comentarios | Categorias: Botafogo, Publicidade

Termo preferido de 10 entre 10 dirigentes e JORNAS quando qualquer elemento não-brasileiro é inserido em contexto foi ampliado pelo Botafogo que vanguardeou levando um dos seus CNPJ para fora do Brasil e fechando com uma concorrente de seu ex-patrocinador, Herbalife.

O Botafogo agora estampará TelexFREE em suas cores, para deleite da imensa legião dos sócio-consultores dentro e fora do Brasil.

“tudo que vocês verão aqui foi feito pela TelexFREE internacional. Foi realizado, assinado o contrato nos Estados Unidos. Todo o pagamento foi feito nos Estados Unidos, ok? Nada a ver com o Brasil.” (54″)

68 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Mercado da Bola 2014

January 3rd, 2014 por | 102 Comentarios | Categorias: Futebol

Já passou da hora de abrir o post bizoiador das contratações e rescisões futeboleras para o ano de 2014 no continente brasileiro.

Mesmo esquema de sempre. Link ficará lá no alto.

102 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

NFL: Playoffs 2014

January 2nd, 2014 por | 70 Comentarios | Categorias: NFL 2013/2014

A temporada regular da NFL já foi dissecada aqui no BBG, agora é hora dos playoffs! Essa fase de MATA-MATA é formada pelos 8 campeões de divisões, 4 de cada conferência, e mais dois Wildcard´s, os times de melhor campanha no cômputo geral da conferência tirando os campeões de divisão.

Esses dois Wildcard’s enfrentam os dois piores campeões de divisão de sua conferência no confronto chamado Wildcard Weekend, que é o que rola agora. Os dois melhores de cada conferência ficam de BYE (folga) e só entram no próximo final de semana, o chamado Divisional Round. Sendo que o time de melhor campanha tem a garantia do mando até a final de sua conferência, se vazar no Divisional o mando fica pro 2º e assim por diante.

Não entendeu? Então toma um desenho:

Nos EUA eles colocam os times da casa depois, colocarei do jeito futebolero pra evitar confusão.

Indianapolis Colts Vs Kansas City Chiefs – Sábado, 19:00

Confronto complicado. Os Colts chegam como campeão de divisão mas, como podem ver na tabelinha acima, os Chiefs têm a mesma campanha. O time de Kansas City foi uma das sensações da temporada quando começou ganhando oito jogos seguidos, enquanto os Colts não apresentaram nada de significativo no início. Mas, nos últimos jogos essa coisa mudou, o que explica as campanhas iguais. A linha ofensiva dos Colts passou a jogar e deu chance para Andrew Luck trabalhar, no que resultou em 4 vitórias nos últimos 5 jogos, sendo uma delas sobre os Chiefs, no Arrowhead Stadium, há duas semanas atrás. Se Indianapolis vem com seu QB como trunfo, Kansas City traz seu Running Back, Jamaal Charles, como SUPER TRUNFO. Ele é o 3º em jardas corridas da NFL nessa temporada (1287) e 7 dos 12 times que chegaram nos playoffs têm um RB com mais de 1000 jardas percorridas, o que mostra que isso ganha jogo atualmente.

Run, Charles, run!

Palpite: Kansas City Chiefs

Cincinnati Bengals Vs San Diego Chargers – Domingo, 16:00

Confronto interessante. Bota o 5º melhor ataque (San Diego) contra a 3ª melhor defesa (Cincinnati). As campanhas podem ser enganosas, já que a divisão de Cincinnati (AFC North) esteve, como previsto, muito fraca e a divisão dos Chargers (AFC West) é a mais presente nos Offs com três equipes (times da mesma divisão se enfrentam duas vezes por temporada). Porém, defesas ganham jogo e o fator casa deve prevalecer: os Bengalas não perderam nenhum jogo no Paul Brown Stadium! Grande oportunidade para o time de Ohio se livrar da zica do Wildcard, já que foram eliminados nos dois últimos anos nessa fase (ambas para o Houston Texans).

Andy Dalton busca sua 1ª vitória nos Playoffs

Palpite: Cincinnati Bengals

Philadelphia Eagles Vs New Orleans Saints – Sábado, 23:30

Confronto meio esquizofrênico: os Eagles têm um aproveitamento horrível dentro do Lincoln Financial Field, enquanto os Saints não existem fora do Superdome. O ideal seria um empate eterno, porém os ataques desses times são muito bons, ambos figuram no top 5 da NFL. Drew Brees é o 2º melhor QB da liga em jardas e Jimmy Graham o melhor Tight End. Do lado dos Eagles o jogo é mais corrido, justamente por terem LeSean McCoy, o líder na NFL em jardas corridas (1607), e Nick Foles, que possui o melhor rating da NFL.

A águia que corre

Palpite: Philadelphia Eagles

Green Bay Packers Vs San Francisco 49ers – Domingo, 19:00

Green Bay faturou a divisão com apenas oito vitórias e recebe o 49ers que ficou em 2º em sua divisão com 12 jogos vencidos! Os números dizem que o ataque de GB é sinistro, assim como a defesa dos 49ers continua sendo um paredão. Na dúvida eu fico com a defesa. O time de San Francisco é melhor e é o favorito, mesmo jogando no Lambeau Field. Vamos ver como Colin Kaepernick vai ser comportar, ele precisa jogar bem para fazer a balança pender para os Niners. Lembrando que as duas equipes se enfrentaram ano passado e deu 49ers com certa facilidade.

Déjà vu?

Palpite: San Francisco 49ers

70 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Uefecê: Chris Weidman x Anderson Silva II

December 29th, 2013 por | 8 Comentarios | Categorias: UFC

Anderson Silva x Weidman

Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Feliz Natal, Blablagolianos!

December 24th, 2013 por | 2 Comentarios | Categorias: Blablagolianos, Off-Topic, Vídeo

Presentinho que ganhei ontem ou anteontem. Bela descoberta.

Feliz Natal e um grande 2014 pra vocês!

Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Portallupi de volta ao Fluminense…

December 22nd, 2013 por | 26 Comentarios | Categorias: Futebol

Para Carol parar de CAIR na net, Renato acerta volta ao tricolor.

 

26 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

E-mails do Flamengo sobre o STJD – A parte que interessa…

December 20th, 2013 por | 12 Comentarios | Categorias: Flamengo, Justiça

Vazaram e-mails da “turma que não entra para perder” sobre a confusão no STJD.  Segue a transcrição completa, publicada no Globo.com:

Michel Asseff Filho (enviada às 16h33m): “Prezados, acabo de ter acesso à nota oficial do Clube. Confesso que não fiquei satisfeito, pois tal atitude não ajuda em nada o nosso Flamengo. Sabemos, entre nós, que o Flamengo não deveria ter escalado o atleta André Santos na partida disputada contra o Cruzeiro. Qualquer especialista em direito desportivo, caso fosse consultado, por cautela, recomendaria deixar o atleta de fora, pois saberia informar sobre o entendimento da CBF e da Justiça Desportiva em situação como essa. As teses defensivas foram criadas em razão da necessidade e da oportunidade. Atacar o STJD nesse momento só nos prejudica, já que ainda temos um recurso a ser julgado pelo Pleno. Por mais que a 1a Comissão já tivesse um entendimento formado a respeito do assunto, o que era nítido de perceber, conseguimos criar enorme confusão no voto do relator. Temos a nosso favor uma complexa discussão, pois a CBF diz que a suspensão automática se extingue com o término da competição, e a Justiça Desportiva sustenta que temos que cumpri-la na próxima Copa do Brasil. Quem devemos respeitar? Foi com muita dificuldade e transpiração que conseguimos criar a divergência entre CBF e Justiça Desportiva. De qualquer forma, com todo respeito, afirmar em nota oficial que o julgamento de ontem foi um desserviço ao esporte é uma estratégia extremamente desaconselhável, considerando a pendência do julgamento do recurso. Não tenho vaidade alguma por ser reconhecido como o advogado da causa. Na verdade, só quero livrar nosso Flamengo dessa situação. Mas, por favor, seria bom me consultar antes de emitir nota a respeito de um processo tão importante, e que está sob os meus cuidados. Ao longo de dez anos defendendo o nosso Flamengo nos tribunais desportivos, acredito que adquiri experiência para opinar sobre o assunto. Não podemos nos esquecer que se não fosse o descuido da Portuguesa, éramos nós na Série B.”

Michel Asseff Filho (sem registro do horário): “Prezados, acabo de ver que o Flavio me enviou email nessa manhã me consultando sobre o assunto. A minha caixa postal está lotada com emails recebidos de ontem para hoje. Não tive oportunidade de ler nenhum deles. Quando li a nota, fiquei muito preocupado, e imediatamente enviei email a todos vocês. Só não achei recomendável atacar o STJD nesse momento! Ainda temos chance no recurso, e me preocupo com a reação dos auditores do Pleno ao ler a nota. Flavio, infelizmente não vi a sua consulta a tempo! Agora já foi. E acabo de ver que já foi publicada no O Globo online. A posição está manifestada. Vamos em frente! Estou redigindo o recurso. Grande abraço!!!!”

Luiz Eduardo Baptista (enviada às 17h30m):“Prezado Michel, lamento que você pense diferente. Nós perdemos por 5 x 0. Não vamos ganhar o recurso – sabemos disto. Decidimos não abrir mão do discurso posto pelo conselho por uma questão política. Esta foi a decisão do conselho diretor. Vamos em frente. Abraços, Bap”

Michel Asseff Filho (enviada às 17h51m):“Bap, acabei de conversar com o Flavio por celular e dei razão a ele quanto à indignação. A minha preocupação era com o Pleno, e sempre vou ter a esperança de reverter o julgamento, pois, caso contrário, não posso confiar no meu trabalho. Eu quero ganhar o processo, mesmo sabendo que é muito difícil! Mesmo tendo a humilde opinião de que a manifestação poderia ter sido publicada após o julgamento do Pleno, já estou na defesa da nota oficial diante dos auditores que estão me ligando. Sou Flamengo acima de tudo. E fico tão revoltado quanto vocês quando querem nos prejudicar. Já bati de frente com o tribunal e com o procurador geral inúmeras vezes, mas ainda temos o Pleno. Mas claro, vamos em frente! Abraço,Michel.”

 Walter D’Agostino (enviada às 20h05):“Caríssimo Michel. Você está pleno de razão é compreensível a desilusão de todos nós, no meu caso até porque não vi por parte dos julgadores a apresentação de razões para refutar os argumentos apresentados, diga-se brilhantemente, por você. Em momento algum qualquer dos julgadores se dignou a enfrentar suas teses o que não é da praxe e nem atende às  exigências processuais gerando verdadeira omissão o que é injusto e verdadeiramente ilegal. Mas, decisões são feitas para serem cumpridas enquanto vigentes. Você está cumprindo o eu seu múnus com o brilho de sempre honrando sua estirpe e o amor pelo nosso Flamengo. Concordo, não há que se atacar o Tribunal pois só nos trará maiores prejuízos. De decisões com as quais não se concorda recorre-se. Pelo seu trabalho parabéns e que Deus te ilumine.Saudações rubro-negras.”

Michel Asseff Filho (enviada às 20h23): Dr. Walter, muito obrigado pela mensagem carinhosa. Fiquei muito feliz de recebê-la. Elogio como esse, partindo de um grandioso jurista, me enche de satisfação. Vamos continuar na luta, tentando reverter esse resultado até o fim. Forte abraço e saudações rubro-negras! Michel.

 ******
De tudo que foi falado, apenas uma parte me intriga:
já estou na defesa da nota oficial diante dos auditores que estão me ligando.” – [Michel Asseff Filho (enviada às 17h51m)]
Como assim?

 

12 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Nissan e Vasco – Você é o que consome 2

December 18th, 2013 por | 14 Comentarios | Categorias: Campeonato Brasileiro 2013, Marketing, Publicidade, Vasco

Porradaria estancou na partida que selou o rebaixamento do Vasco para a Segunda Divisão do Brasileiro e Nissan aproveitou para tirar o time de campo. Assumindo-se a verdade oficial como verdade verdadeira, entende-se que a empresa repensou seus critérios  pelos últimos acontecimentos pois a violência da mesma torcida já estivera exposta durante o contrato.

Sem conseguir colocar a mão em dinheiro da Eletrobrás ou Caixa, reza a lenda que a grana da Nissan já tinha entrado com um empurrãozinho de Sergio Cabral e a montadora já se virava para justificar o patrocínio na Série B. De toda forma, mesmo que andasse cambaleando e com o intuito do fim, o fato público relevante foi o rompimento do contrato de publicidade de um ente esportivo justificado pelos danos à imagem do patrocinador causado por um sub-ente intimamente ligado ao vendedor do espaço publicitário.

Mais hora, menos hora, o dinheiro entra em São Januário. Ao longo do tempo ele não se importa muito com esses detalhes técnicos de imagem, basta se adaptar às situações e paradigmas gerais impostos. Se não chega mais pela Nissan, chega por outra história qualquer sendo provavelmente o mesmo dinheiro. A foda é que no determinado tempo t quando acontecem as merdas mexem-se as cadeiras e um bocado de gente cai do cavalo. Essa hora que é divertido de acompanhar e aproveitar para cagar regras.

A Nissan abriu o precedente (quem sabe facilitado por um contratinho mal ajambrado) para a Economia pressionar a turma que anda dando alteração no negócio Futebol e, por que não, ser pressionada a atuar com seu didático poder moralista.

Nissan x Vasco

 

 

14 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Fluminense, o Cristo do Futebol Brasileiro

December 17th, 2013 por | 191 Comentarios | Categorias: Justiça

Torcedores de todos os times grandes do Brasil deveriam louvar o Fluminense. O clube que veio ao mundo redimir os pecados de todos os seus co-irmãos. Todos os pecados, os já cometidos e os que estão por vir.

Hoje, graças ao tricolor carioca, todos os demais torcedores e cartolas podem bradar, com furor e alegria, que o mal reside apenas em Álvaro Chaves. Podem pegar suas pedras e chibatas, estilhaçar o telhado de vidro alheio, e açoitar sem dó nem piedade o “cordeiro”, que em nome da justiça, se sujeita com resignação a ser sacrificado e humilhado internacionalmente. O que se há de fazer? É o destino.

Amanhã, todos estarão puros, e assim permanecerão, para sempre. Pois qualquer pecado, qualquer um, estará antecipadamente perdoado. Se o Fluminense pôde, três vezes, dirão.  Salvos.

Torcedores que hoje afirmam, crédulos, que seus times jogariam qualquer divisão, que o resultado de campo é sagrado, amanhã também dirão. Se o Fluminense pôde…

Cobram a série B não jogada. E eu tenho certeza que meu time jamais sequer  jogaria a série C. Muitos outros também não. O Fluminense morreu ali, mas ressuscitou, para novamente carregar sua cruz.

A pureza da meritocracia no Brasil não existe. Só para tolos, ou mal intencionados. Se caem quatro grandes, alguém acha que nada extracampo aconteceria?

 

191 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail