Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Clássicos em São Januário

December 18th, 2009 por | Categorias: Estrutura, Futebol.

Desempenho do Vasco em clássicos disputados em São Januário

Adversário J V D E GP GC SG
Botafogo 43 17 11 15 66 51 15
Fluminense 46 22 13 11 81 56 25
Flamengo 34 15 10 9 66 51 15
J – jogos; V – vitórias; D – derrotas; E – empates;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols;

Fonte: Página de São Januário na Wikipedia em 18/12/2009

Inscreva seu e-mail e confirme pelo link eviado para receber novos artigos do Blá blá Gol.

86 Comentarios Enviar por e-mail Enviar por e-mail

86 Comentários para “Clássicos em São Januário”

  1. Serginho Valente
    18/12/09 - 18:21

    É a hora perfeita pra se aumentar o estádio e passar a mandar seus clássicos lá. Se não for pra isso, deixa do tamanho que está, e volta de vez a mandar boa parte dos seus jogos no Maracanã.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sao Januario é a casa do Vasco e do torcedor Vascaíno. Todos nós, qdo vamos a S. Jan. sentimos o ambiente de congraçamento familiar, que envolve assistir a um jogo em casa…

    É maravilhoso…

    O ideal seria mandarmos todos os jogos em casa…

    Responda a este comentário

  2. Matheus
    21/12/09 - 9:01

    Só pra saber (apesar que eu acho que vai dar polêmica):

    Qual o retrospecto do Vasco nos clássicos no Maracanã?

    Responda a este comentário

    Victor

    Intuitivamente, pior. Olhar os números só me confirmariam isso.
    Sem tempo para fazer isso agora

    Responda a este comentário

    Matheus

    Ok.

    Mas é só pra saber se a reclamação do Serginho, com relação aos clássicos contra o Flamengo no Maracanã, tem razão de ser.

    Ser um pouco pior dá pra entender. Se for MUITO pior, não tiro a razão do Velho.

    Responda a este comentário

    Victor

    Eu não sei em relação a Fluminense e Botafogo, que o Vasco tem mais vitórias, logo, teria de computar e conferir.
    Mas nos confrontos entre Fla e Vasco, como o Flamengo tem mais vitórias, assume-se então que o retrospecto rubronegro no Maracanã é ainda melhor que no caso geral.

    ****
    Eu mudei de computador há um tempo, e perdi um levantamento que fiz, com os clássicos com mais de 100.000 pessoas no Maracanã.
    Se bobear eu acho e publico.
    Eu dali vejo que há bastante equilibrio.

    Eu não estou postando isso aqui para defender nada. Mas criando uma ferramenta para que usem e montem seus pensamentos sem cair no discurso vazio do achismo.

    Outro caso legal que levantei foram dos times de Manchester e de Porto Alegre.

    Responda a este comentário

  3. Wilson Hebert
    21/12/09 - 9:11

    Clássico em São Januário é varzea.

    Ou aumenta BEM a capacidade do estádio e melhora BASTANTE o acesso, ou tem que continuar mandando clássicos no Maracanã.

    O futebol carioca tem que parar de ter pensamentos e atitudes varzeanos…

    Responda a este comentário

    Matheus

    Cara, nem acho isso.

    São Janu tem capacidade para 32 mil. Não sei no Rio, mas nos outros estados a tendência é limitar a 10% a carga de ingressos para os visitantes nos clássicos (medida paliativa e mais um atestado de que a segurança pública não funciona).

    Sendo assim, pode-se aumentar para 40 mil e o Vasco continuar mandando seus jogos tranquilamente. Sempre achei um estádio bonito, pelo que vi na tv, evidentemente, e do qual os vascaínos têm muito orgulho. Tirar os clássicos de lá é tirar o direito do Vasco.

    Responda a este comentário

    Victor

    Wilson, no “excepcional” Maracanã, em Fluminense 4×0 Palmeiras Vitória desse ano, com público mediano, cheguei de carona com um amigo mais ou menos 1:30 antes do jogo começar e entramos civilizadamente na fila do estacionamento da UERJ.
    Andando à passo de tartaruga, levando pouco mais de uma hora chegamos bem próximo da entrada quando esta fechou por que acabaram as vagas. Resolveram avisar naquela hora apesar da fila estar ali por mais de 1 hora.
    Como eu estava calmo, talvez pela presença de Ana Paula e da mãe do meu amigo, entrei numa de perguntar para a fiscal da prefeitura à lá Rafinha Bastos, aquelas perguntas que sabemos a resposta:

    “Bem… se não tem como estacionar aqui, onde eu estaciono, o que a prefeitura sugere?”
    R: “Não venha de carro”

    Bem… lá fomos nós para nosso cenário de Holywood com pouquíssimo tempo para o jogo começar (tanto que eu não vi o gol de Alan).

    De qualquer forma, eu voltaria neste dia com minha irmã, e não com meu amigo. E minha irmã deixara o carro no hospital em que ela trabalha no Rio Comprido, e conforme recomendação da prefeitura, buscamos táxi para ir embora.
    Eu, cAna e Karla seguimos radial oeste à cata de um táxi. Assim como outros tantos torcedores (de todo o tipo,inclusive com crianças), não foi muita dificuldade para parar os táxis. A questão era disputar com os demais por uma vaga nos mesmos.
    O que no fim mostrava-se um tanto quanto infrutíferos, porque poucos eram os que ficavam, uma vez que taxímetro não era uma palavra no dicionário pós-Maracanã.
    Para dar ordem de grandeza, cobraram-me R$40,00 do Maracanã até o Rio Comprido. Em bandeira 2 essa corrida deve chegar a 10 pratas.
    Deve, porque a gente simplesmente ficou andando toda vida até quase uma rua perigosa pra cacete, já de noite, e aí não teve jeito de não pegar um táxi para passá-la. Esse custou 8 na bandeirada normal.

    ****
    Zarga pode vir confirmar e ter outra história da final do Brasileirão. Esse não sofreu nem a extorsão, porque simplesmente não conseguiu táxi.

    Assim como eu, meu tio e meu pai em cadeira de rodas na final da Libertadores entre Flu e LDU. A solução foi ficar até as 3 da manhã esperando um táxi de companhia de Niterói vir ao chamarmos por telefone.

    ****
    Quem vai ao Maracanã, tem histórias semelhantes. Mesmo os heavy-users, porque mudam sempre os esquemas, não deixando nem que o caos se organize.
    Ah… isso em jogos de uma torcida só.

    ****
    Sendo assim Wilson, eu acho que o Maracanã é uma grande de uma várzea e não vejo ninguém reclamando disso.
    Juro que não consigo entender porque tanto mimimi na questão do acesso ao Engenhão. Já fui 2 vezes. Uma em jogo com 40.000 pessoas.
    Deu merda com as roletas, mas não com o acesso, que é a mesma lentidão escrota do Maracanã.
    Neguinho diz que as ruas são estreitas! Porra. Faz uma dieta então, porque eu passei por elas sem problemas, e o carro também.

    Não cabem 90.000 em São Januário e no Engenhão? E daí?
    Na final da Libertadores do Flu contra a LDU a demanda devia ser de 300.000 ingressos (bico total) e ninguém sugere demolir aquela merda e construir um novo que comporte 4 clubes grandes.
    A final do Brasileirão deve ter tido demanda maior ainda agora.

    Se cabem 25.000 em São Januário, terá clássico com 25.000. Qual o pensamento varzeano nisso?
    Várzea é eu levar 45 minutos cronometrados para sair de dentro do estádio em Fluminense 1×0 Palmeiras.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Em tempo, mais tarde vou publicar crônica do Panorama Esportivo sobre o Maracanã publicada no O Globo.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Serginho, vc saberia me dizer porque só o Vasco tem seu campo e não manda clássicos lá, fato esse estipulado em regulamento? Uma coisa é o Vasco abrir mão por seus interesses. Outra coisa é o Vasco SER OBRIGADO PELO REGULAMENTO a não jogar em casa.

    Se perguntarmos a todos: porque o seu time não joga os clássicos em casa? a resposta de grande parte será: porque nao temos estádio. E a outra parte dirá: nós jogamos sim!

    Vai entender… Esse tipo de coisa que nos remete ao ano de 1923 e a todas as demais babaquices a que nós, Vascaínos, temos que ser submetidos…

    Responda a este comentário

    João Deiró

    Pois é, no Flamengo 0 x 0 Goiás esse ano, tive que caminhar até a Praça da Bandeira pra arrumar táxi…

    Responda a este comentário

  4. Bender
    21/12/09 - 17:31

    “Desempenho do Vasco em clássicos disputados em São Januário”

    E aí?

    Responda a este comentário

    Victor

    E aí nada.
    Agora vou fazer o contrário do que sempre fiz.

    Ficava pensando e pensando e pensando sobre um assunto e não colocava no papel.
    Quando colocava, aconteciam duas coisas:
    1) Ficava muita coisa para um post só, e acaba perdendo o intuito primordial nos pormenores
    2) Eu elocubrava tanto para mim, que na hora de postar suprimia o raciocínio supondo ser óbvio para os demais.

    Agora, com o fim dos jogos e menos ansiedade, acho que dá para montar o raciocínio por aqui.

    Logo, esse post não quer sozinho provar nada, mas me ajudar a montar uma ideia à respeito dos mandos de campo e quem sabe com alguma ajuda da turma boa de matemática, até mensurar quanto jogar em casa influi em uma partida. Chegar a um coeficiente mesmo.

    Responda a este comentário

    Bender

    Saquei.

    Seu ponto 2 é perceptível. E vc foi tão radical aqui nesse post que o mesmo problema persistiu. Hahahaha…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Bom, eu acho o seguinte: o tópico é sobre o que exatamente?

    Eu entendo o prisma de análise de vocês, principalmente os não vascaínos. Mas vcs estão sendo demasiadamente pragmáticos e totalmente superficiais sobre essa questão.

    O Vasco jogar em S. Januário é maravilhoso. Concordo com as dificuldades técnicas da região, etc e tal.

    Mas,

    Qdo vou a S. Janu (pra quem não sabe, o nome do Estádio é Estádio Vasco da Gama e S. Januário é apelido), eu chego muito antes, passeio pela loja do clube, compro alguma coisa lá, sabendo que o dinheiro vai pro clube. Compro uma camisa oficial, uma caneta, uma caneca, sei lá… Enfim, o que eu estiver podendo comprar no momento.

    Olho de fora a fachada, que linda… tiro fotos… sempre… tiro fotos da informação na rua que diz: Bairro Vasco da Gama… afinal, o Vasco deu o nome ao bairro… e não o contrário…

    Depois, almoço no restaurante que tem lá dentro ou como um bolinho de bacalhau, encontro pessoas do RJ que só tenho contato pela internet, trocamos idéias, vejo pais, filhos, famílias vascaínas… vejo um portuga maluco contando história de 1930… sei lá de que e nem sei se é verdade… visito a sala de troféus (que maravilha!)… dependendo do dia, pois domingo, normalmente não abre… entro mais cedo, tiro mais fotos, converso com as pessoas, vou lá em cima da arquibancada, onde fica a Força Jovem (antes de eles chegarem), olho pras quadras lá embaixo, que ficam atrás da arquibancada das cabines de rádio, e leio pena enésima vez, os seguintes dizeres: “Enquanto houver um coração infantil, o Vasco será imortal…”…

    Dou uma fitada no parque aquático lá atrás, na capela, enfim… Isso pra mim, é sentir Vasco. É ser Vasco.

    É olhar o Estádio novamente e entender que, aquele, qdo foi construído, era o maior do brasil e da américa do sul… construído com doações de torcedores e sócios… olho a tribuna de honra e penso como devem ter sido as diversas atividades políticas do Rio Capital do Brasil, incluíndo aí, simplesmente a Proclamação das Leis do Trabalho, por Getúlio Vargas. Fico pensando como devem ter sido os desfiles de escolas de Samba do Rio, que por lá também já aconteceram…

    Fico imaginando quando a seleção brasileira por lá jogava… olho pra iluminação e penso: nossa, aquela iluminação noturna! inaugurada em 1928!!!!! Porra!

    Então, sento-me lá em cima, chamo o cara do Habib’s, ele vai lá em cima e me pergunta qual o kit que vou querer. Escolho, ele vai na lanchonete, busca, e me entrega na mão.

    No aspecto prático, sempre vou a S. Janu de carro, estaciono e fico relax. No Maraca sempre vou de taxi… E sempre é uma confusão do caralh…

    No Mineirão, por exemplo, a torcida visitante é tratada igual cachorro e nem tem como assistir o jogo, porque as pilastras atrapalham, assim como o banco de reservas não permite que vc veja parte da lateral, se a bola saiu ou não, até quase a bandeirinha do corner.

    Então, vcs vem me falar de números do Vasco em S. Janu?

    Sinceramente, o jogo em si, é o jogo… tem vencedor, tem perdedor, tem empate, tem campeão, tem vice, etc… isso é do jogo… E isso, pra mim, não tem NENHUMA relação com o meu desejo, como vascaíno, de que o Vasco mande todos os seus jogos em S. Januário. É clássico? 10% visitante. Ponto final.

    Precisa de reforma? Sim, claro! Se forem bem feitas, podem ter o poder de deixar S. Januário moderno e antigo! Ainda mais charmoso…

    Sobre o bairro, bem, tem suas dificuldades, mas, para a tradição pioneira do Vasco, inserir o próprio bairro num projeto urbanístico do Estádio, é natural… sem dificuldades… mole, mole…

    Enfim, ainda falando sobre os títulos, o Vasco ganhou 3 brasileiros no Maracanã e 1 no Morumbi. Ganhou a Libertadores em S. Januário… Então isso é relativo… Mas sinceramente, não me preocupa muito isso… Acho que isso é uma visão muito restrita, que entendo qdo se refere a não-vascaínos, do que é jogar ou não em S. Januário.

    Transformar S. Januário em campo de treino, é matar a história, que se provou ainda viva, principalmente no caso da suposta contratação de Antonio Carlos Zago como treinador…

    Lembre-se do seguinte:

    O Hino do Vasco, não fala de futebol, fala de clube. E quando menciona esportes, menciona “Atletismo, Remo e Futebol” em seu refrão. Não fala “gramados”, não fala “Rio de Janeiro”, fala “norte sul, norte sul desse Brasil”…

    E como o Serginho disse no seu post sobre o que é ser vasco, destaco que ser Vasco é ser clube e não time…

    Essa é uma coisa um pouco diferente do que os demais estão acostumados… eu entendo… Não é melhor, nem pior, é uma característica do clube.

    Responda a este comentário

    Victor
    Eu entendo o prisma de análise de vocês, principalmente os não vascaínos. Mas vcs estão sendo demasiadamente pragmáticos e totalmente superficiais sobre essa questão.

    x

    O Hino do Vasco, não fala de futebol, fala de clube. E quando menciona esportes, menciona “Atletismo, Remo e Futebol” em seu refrão. Não fala “gramados”, não fala “Rio de Janeiro”, fala “norte sul, norte sul desse Brasil”…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Não entendi onde vc viu a contradição…

    De qualquer forma, tirar uma frase de um contexto, de um conjunto de coisas em que ela está contida e é apenas mais um elemento do texto, sinceramente, não entendo o objetivo sincero disso.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Será que foi o “Argumentum ad hominen”?

    Responda a este comentário

    Victor

    Responda a este comentário

    Victor

    André,
    o samba acima foi da Imperatriz em 81. Eu não vi esse desfile, mas conheço o samba de cor.
    O enredo campeão foi Lamartine Babo, ardoroso torcedor do América e autor das versões populares dos hinos dos clubes cariocas, entre eles o do Vasco.

    Perceba a ironia, que os não-vascaínos podem ser pragmáticos e totalmente superficiais sobre a questão e ao mesmo tempo traduzirem como ninguém seu estado de espírito.

    Imagino que tenha sido por descuido, mas foi o ad hominen certeiro.

    Responda a este comentário

    André Bona

    tá bom… kkkk

    Responda a este comentário

    André Bona

    Voltando ao argumento exposto, acho que ficou claro porque eu quero que o Vasco sempre jogue em casa, certo?

    Mas daí a acontecer é outro papo…

    Responda a este comentário

  5. André Bona
    21/12/09 - 22:40

    Vendemos 2 jogadores para pagar dívidas/despesas… e não para contratar outros nem para trabalhar a base… é o fim dos tempos…

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Eu acho SEMPRE ótimo quando pagam dívidas.

    Responda a este comentário

    Andre Bona

    Eu tb acho. Desde que a origem seja receita recorrente.

    Eu não vendo apartamento, carro, etc, pra pagar conta de supermercado.

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Hahahaha…talvez porque você nunca sentiu fome.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Um diretor de finanças de uma instituição do tamanho do Vasco, tem que ser cobrado pelo perfil de gasto. Existe uma diferença entre dinheiro bom e dinheiro ruim.

    Neste caso, é melhor investir parte da grana pra gerar mais receita. Afinal, com cotas de tv, patrocinios e etc e programa sócio torcedor bombando, creio que as receitas devam ser suficientes para pagar os custos. ou não?

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    Depende…que cotas de TV? As que o Vasco recebeu ano passado? Boa parte da receita não é penhorada? O programa de sócios e suficiente pra pagar despesas do clube, montagem de time, dívidas e etc? Para se renovar com a Eletrobrás não é preciso quitar os impostos?

    TODOS os clubes do Brasil não precisam vender jogadores para pagar dívidas e se manterem financeiramente?

    Repito, pagar dívidas é sempre ótimo, dá uma bela mensagem ao mercado, aumenta a credibilidade do clube, e assim aumenta-se a capacidade de atrair investimentos.

    Em tempo, ainda não tenho essa certeza de que o dinheiro não irá, por exemplo, também para a obtenção de um CT.

    Responda a este comentário

    André Bona

    O SPFC nao vende jogador pra pagar conta. Vende jogador pra reinvestir.

    Nao disse em momento algum que é para não pagar dívida… isso é lógico. Agora tem um detalhe: se as dividas podem ser parceladas (o que nao deve ser possível com as oriundas da própria gestão atual, como as trabalhistas…) e o dinheiro entra limpo, a liquidez deve ser buscada.

    Nao vou entrar no mérito da questão e nao te darei outras respostas agora, pois o meu micro é todo gravado no trabalho.

    Mas qdo analiso uma empresa pela análise fundamentalista, observo se as receitas e despesas são provenientes em sua maioria da atividade fim ou de mercado financeiro.

    Empresas que apresetam lucro de 500 milhoes com sua atividade principal, por exemplo, e 2 bi com mercado financeiro, pra mim, é risco. Pois se o mercado financeiro der um revés, quebra a empresa.

    Por isso, acho fundamental que as despesas sejam pagas com as receitas provenientes do core-business da empresa, neste caso, do clube.

    Pra mim, é tão estúpido quitar dívidas com dinheiro novo, quanto quitar dívidas com o 13º. Isso é a maior burrice financeira que alguém pode fazer.

    Sabe porque? quita as dividas com o 13º. fica zeradinho. Beleza. Quando chega em janeiro, começa a se endividar de novo… O pagamento da dívida tem que ser contemplado no orçamento anual, na forma de amortização frequente.

    Essa é a minha visão. Mas dessa forma, o vasco vai botar 20 milhoes no caixa, pagar dividas e acabar com tudo. O CT, vai ter custo mensal posterior. E aí?

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    “SPFC nao vende jogador pra pagar conta. Vende jogador pra reinvestir.”
    Tem certeza? Eu tenho certeza que vende, também, para pagar conta.

    Claro que dívidas trabalhistas podem ser parceladas. E pra reduzir despesas, e tornar o clube rentável é necessário demitir.

    A maior burrice financeira que alguém pode fazer é pagar mais de 100% de juros ao ano podendo quitar sua dívida usando o 13º.

    Se ela começa a se endividar de novo, é porque não sabe gerir sua vida, ou não tem outra possibilidade, há que se analisar caso a caso.

    Mas dessa forma, o vasco vai botar 20 milhoes no caixa, pagar dividas e acabar com tudo. O CT, vai ter custo mensal posterior. E aí?

    E aí, vai entrar a grana do patrocínio da Eletrobrás, o clube vai voltar a receber cotas de TV, vai ter menos despesas com funcionários, e ainda assim vai ter que vender outros jogadores para continuar se acertando financeiramente, como quase todos os clubes do mundo.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sérgio, alguém que paga mais de 100% de juros ao ano, não é capacitado para dirigir uma empresa.

    Devemos lembrar que na gestão financeira de uma empresa, a razão é quem comanda tudo. E deveria ser o mesmo para as pessoas, e como não é, em geral passam por dificuldades.

    Se vc está falando, nesse exemplo, de alguem que paga 100% a.a., com certeza essa pessoa deveria ser proibida por um juiz de gerir seu próprio dinheiro. 100% a.a., estamos falando de 5,95% a.m. (lembre-se que estamos falando de juros compostos. Nao me venham aqui pegar 100 e dividir por 12, por favor!).

    5,95% de juros ao mês.

    Caso essa pessoa possua uma renda de mensal de 3.000,00 e deva 3.000,00, ela paga de juros ao mês 178,80. Ou seja, ela tem uma despesa fixa de 178,80 por mês e a dívida nunca vai deixar de existir, pois ela só paga os juros. Bom para o banco.

    Vamos falar tecnicamente da questão, pq se o doido vai lá e gasta mais um monte de dinheiro na loucura, aí é sanatório pro retardade. Dinheiro é razão, e não e emoção. E o dinheiro deve ser respeitado, pois ele cobra a conta pela falta de respeito de que for tratado.

    Voltando ao exercício, iremos supor que o sujeito gasta todo o seu rendimento mensal. Dessa forma, ele consome os 3 mil, dos quais 178,80 são com juros.

    Pois bem. O que fazer?

    Na sua proposta: recebe o 13o, quita os 3 mil da dívida e passa a sobrar 178,80 por mês para o sujeito. x 3 anos = 6.436,80 de poupança potencial.

    Neste caso, ao final do período, ele teria 6.436,80 de poupança.

    A minha solução seria:

    Ir no banco e trocar o hotmoney por uma linha de médio prazo. Acaba com essa porra de limite especial, soma os 3 mil e financia em 36 meses a uma taxa de, por exemplo, 2% a.m. = vai pagar 36 parcelas de 117,69.

    Com isso, teremos os seguintes benefícios:

    1o. o cliente reduz a sua despesa mensal de juros significativamente. ao invés de pagar 178,80 só de juros, ele pagará 117,70 por mês já incluindo juros e amortização do principal. Dessa forma ele terá um saldo mensal a positivo de 61,10, que x 36 meses = 2.199,65.

    Ou seja, de cara, ele terá numa conta de poupança, já esse valor ao final dos 3 anos.

    Os 3 mil do 13o, ele vai colocar numa aplicação de melhor rentabilidade. Pra não dificultar muito, que tal uma aplicação de baixo risco que lhe renda algo em torno de 12,68% a.a.? Onde? Procure sobre os ultimas debentures da BNDESPAR.

    12,68% a.a. dá 26,96% em 2 anos e 43,06% em 3 anos. Estamos falando portanto de elevar os 3 mil para 4.291,80.

    Somando com os 2.199 = 6.490,80.

    Com algumas vantagens:

    1- O valor é praticamente o mesmo ao final, sendo que ele dispõe de uma reserva financeira durante todo o período, com liquidez, podendo resgatar no mercado com certa facilidade, em caso de emergencias, por exemplo.

    2- Ele deixa de ser uma pessoa apertada por todo o período e trabalha com dinheiro em caixa, podendo buscar mais rentabilidade tb nas suas despesas mensais, pagando algumas contas antecipadamente, buscando descontos e etc, e se transforma num investidor, com liquidez corrente, da noite para o dia.

    Enfim, o que vc prefere?

    Bem, estamos falando da técnica da coisa. Nao estamos falando da emoção.

    Portanto, eu acho que o vasco deve tentar rolar sua dívida e alongá-la (como foi feito com a TIMEMANIA), negociar toda ela adiando-a o máximo possível, de forma que os 20 milhões possam entrar no caixa de forma a funcionar como um capital de giro liquido, capaz de dar o giro e bala na agulha para aproveitar oportunidades. Eu pensaria até mesmo em tentar voltar a equacionar o Vasco-Barra…

    Afinal, o vasco está sendo o “comprador” de um CT, num momento de urgência. E compras não devem ser feitas dessa forma… afinal, a urgência tende a tirar o poder de barganha do comprador…

    Ou não?

    Responda a este comentário

    Matheus

    Caraca!

    Mano, tô precisando de umas dicas. Rola?

    (Por sinal, vivi uns bons 2 anos pagando juros de 7 purça ao mês. Maldito cheque-especial!)

    Responda a este comentário

    André Bona

    Rola… claro… é só pagar… rs…

    Vc vai me prestar assessoria jurídica de graça? rs…

    7% a.m = 125,22% ao ano…

    Rapaz, esses dias um amigo me ligou que ele e a esposa dele estavam atolados… Nao sabiam o que fazer. Pediu que eu fosse lá conversar com eles.

    Colocaram todas as contas na mesa. Isso foi essencial para o trabalho.

    No final do dia, pagaram todas as contas atrasadas, e passaram a ter um fluxo de caixa positivo PARA LAZER E OUTRAS COISAS de uns 300 reais por mês… Os 13o. deles desse ano, ficaram livres tb pra gastarem como quiserem…

    A minha expectativa ainda é levar o casal para a minha carteira de clientes e aplicar alguma coisa num fundo de renda variável… vamos ver… Não vou ganhar muito, mas levar alguém de uma situação de pagador líquido de juros para recebedor líquido de juros é gratificante…

    Resumindo, é basicamente organização.

    Se vc me perguntar qdo eu gastei com telefone celular em qq mês de novembro de 2007 pra cá, te digo exatamente incluindo os centavos…

    Nao tenho de antes, pq perdi o arquivo anterior… pq o controle existia desde 2004… rs…

    Mas isso pq tb já paguei muita taxa de 150% a.a. com cachaça e putaria… rs… então, chega uma hora que nao tem mais jeito… vc aprende na marra…. rs…

    Responda a este comentário

    Matheus

    “Mas isso pq tb já paguei muita taxa de 150% a.a. com cachaça e putaria… rs… então, chega uma hora que nao tem mais jeito… vc aprende na marra…. rs…”

    Meu caso.

    Agora eu to conseguindo colocar as coisas em ordem. Comprando a vista, e tudo mais. Sempre paguei minhas contas em dia, mas sacrificava o banco por isso. Hehehehe.

    De qualquer forma, podemos providenciar a assessoria. Hahahahaha. Obviamente que eu ainda sou estagiário. Mas como sou cara de pau, não fico sem saber as paradas. Hahaha.

    Responda a este comentário

    André Bona

    O legal tb desse casal, foi que fizemos esse trabalho acho que no meio de outubro, e eu fazia reuniões semanais com eles, no sábado para acompanhar…

    Agora, vou lá uma vez por mês e a gente acompanha junto… é maneiro…

    Responda a este comentário

    Serginho Valente

    André, apenas respondi de maneira simples ao seu comentário igualmente simples, de que “é tão estúpido quitar dívidas com dinheiro novo, quanto quitar dívidas com o 13º.” E que “isso é a maior burrice financeira que alguém pode fazer.”

    Evidentemente, podemos adequar qualquer teoria aos nossos propósitos, sem levar em consideração dificuldades, oportunidades e variações que se apresentam na vida real de uma pessoa, ou de uma instituição.

    O sujeito pode sim, se arriscar a renegociar sua dívida e fazer um bom investimento seguro, de longo prazo, e por fatores diversos não conseguir honrar seus compromissos, acabando numa situação até pior do que antes.

    Você também não leva em consideração, por exemplo, que ao quitar uma dívida à vista pode-se conseguir um desconto brutal.

    Cada solução tem um risco, vantagens e desvantagens. Mas acho, sempre, que quitar qualquer dívida está longe de ser uma burrice.

    Inclusive, no caso do Vasco, há que se levar em conta o risco de penhoras inesperadas, que podem comprometer qualquer eventual planejamento, e até o pagamento de dívidas que geram receitas, como no caso dos impostos que viabilizam a Eletrobrás.

    Enfim, espero que o clube use bem o dinheiro, sem importar no que esteja gastando, que gaste direito. Se for em jogador, que seja um bom, se for em estrutura ótimo, se for em dívidas, excelente.

    Responda a este comentário

    André Bona

    É Sérgio!

    Fui extremista nessa crítica. Afinal, não sabemos aqui qual é a situação real das coisas.

    O problema, é que parto do princípio de que estão lesando o Vasco. Por isso, admito que o meu comentário foi mais corneteiro do que tudo. Não sabemos exatamente.

    Pelo que estou sabendo, em janeiro, Eurico se canditará a Presidente do Conselho de Beneméritos. Acho que isso será importante. A expectativa é de que ele vença, até porque parece que existem muitos beneméritos insatisfeitos com a situação. Na última reunião do CB, por exemplo, o presidente do clube não compareceu. Acho que será importante essa situação, para que possa haver uma oposição ativa e com informações. Acho que assim deve ser uma oposição dentro do Vasco: atuante dentro do clube, sem usar meios externos para fazê-lo.

    É estranho ver que existem atropelos gigantes internamente e que o clube está dividido. O próprio Sr. Luso tem dito que existem muitas coisas a serem questionadas na atual administração…

    E agora, o presidente do conselho fiscal (membro da chapa vencedora, que compõe a gestão atual) diz:

    “Na última reunião do Conselho de Beneméritos, o “presidente” do Conselho Fiscal, Hércules Figueiredo, se pronunciou da seguinte forma sobre o contrato do Vasco com a BWA, que cuida da venda, distribuição e arrecadação de ingressos nos jogos do clube:
    “Eu até hoje não entendi o porquê da substituição da Quadran pela BWA. Basta dar uma ‘googleada’ para sabermos os problemas dessa empresa”.

    O contrato com a BWA foi fechado há meses. Parece que até hoje o Conselho Fiscal não teve o devido acesso a ele.”

    Notícias do Casaca…

    Vamos ver se, com a oposição com poder constituído, algumas coisas estranhas que ocorrem (por exemplo, como está o inquérito policial acerca dos assaltos ao almoxarifado? foi feita a denúncia?) podem ser melhor acompanhadas…

    Mas sem dúvida a torcida é para que façam bom uso do dinheiro.

    De qualquer forma, se for pra transformar o Vasco somente em time de futebol, será muito fácil sermos campeões de tudo em breve… Desmobilizando patrimônio, custos fixos, enxugando, diminuindo esportes amadores, atividades sociais e etc. Mas, como sempre digo, não acredito nesse caminho para o Vasco.

    Para o Cruzeiro do Matheus, tudo bem. Afinal, é um time que tem aquele hino lá… rs…

    Matheus, o hino do Bangu é ridículo tb. Dizem que foi em função da rivalidade entre America e Bangu, que Lamartine Babo fez o do Bangu desse jeito, de sacanagem… rs… Vai saber…

    Responda a este comentário

    Matheus

    Não caio mais nas provocações.

    Quero saber como vamo fazer com a história da minha renda. Hehehehe.

    Responda a este comentário

    Bender

    Hahahaha… André Bona é o mago do mercado de capitais! Deveria vender a casa e aplicar todo seu dinheiro.

    Cara, só uma pitada (até pq li seu comentário na diagonal), o custo da dívida é alto demais, por consequência, sua rolagem. Seja uma pessoa física, um clube ou qualquer empresa não-financeira, arrumar um investimento com rentabilidade maior é complicado.

    Responda a este comentário

    Victor

    Se eu faço um esforço dos infernos para receber menos de 1% ao mês, imagina o que não faria para não pagar 7 purça.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Procure debentures de empresas de primeira linha e titulos publicos.

    Ou se quiser fazer uma carteira mais balanceada, incluindo renda variável… rs… aí fala comigo! rs…

    Vantagem dos titulos públicos é que não possuem IR.

    Menor risco impossível.

    Responda a este comentário

    Bender

    ATENÇÃO!

    Debênture tem risco sim. Mesmo as de empresas ditas de primeira linha. Ainda mais no cenário de possível aumento de tx de juros.

    E títulos públicos tem IR sim. Varia de acordo com o prazo.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Sim, debêntures tem risco. A que mencionei acima é do BNDES.

    Se o BNDES quebrar…, que é um banco de desenvolvimento do governo…

    Então, o titulo publico tb tem risco… tudo tem risco. Estamos falando do menor risco.

    Se o governo quebra e o lastro do sistema financeiro, dos bancos, em maioria, é o titulo publico, entao estamos falando do caos. NO caos, vc tendo ou nao titulo publico vc tá fodido, pois será atingido de qq forma…

    Sobre o IR nos titulos publicos, tem razão. ME equivoquei. Seguem os mesmos prazos de CDB´s e etc.

    Link: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/manual_investidor14.asp#manual14

    Uma vantagem para a bolsa: vendas no mês inferiores a 20 mil são isentas. hehehe…

    Melhor ainda! Vamos pra bolsa, pessoal!

    Responda a este comentário

    André Bona

    Vc leu mesmo na diagonal.

    É impossível a pessoa física achar uma aplicação de rentabilidade maior do que o custo de captação. Principalmente na renda fixa. Até porque o banco capta no custo que te paga e vende no spread. se vc encontrar algum banco pagando mais do que o normal, realmente, pode ter certeza que está quebrado e precisando de caixa urgente.

    Mas reforçando: eu não disse nunca que seria possível achar um rendimento superior ao custo de captação para uma pessoa física.

    No meu exemplo, eu considerei, observe o alongamento do prazo da divida do sujeito, mais a amortização. A diferença de juros continua existindo. Apenas racionalizei. Observe que numa amortização de prazo de 36 meses, o saldo devedor vai caindo mes a mes. Por isso, apesar do juros ser maior em sua taxa nominal, ao final ele é decrescente em termos absolutos. Faça uma planilha de excel na tabela price e veja.

    Mas desse jeito acho que devemos abrir outro blog sobre o assunto… rs…

    Responda a este comentário

    Bender

    Tabela Price, SAC, SACRE… tanto faz.

    O custo da dívida será maior que o rendimento de uma aplicação.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Tá bom. ISso é questão de ponto de vista.

    O que é mais caro? pagar 2% em cima de 5 mil ou 10% em cima de 100 reais?

    Tudo depende. Mas enfim, faça suas contas como achar melhor.

    Responda a este comentário

    Bender

    Se vc acha que que é questão de ponto de vista tudo bem.

    ****

    Aê André, tá vendo essa queda do dólar de mais de 1% nos últimos 30 minutos? Fui eu.

    Responda a este comentário

    André Bona

    To recomendando agora financiamento com opções. OGXP3 comprando a 16, lançando OGXPA16 a 085. taxa bruta de 5,40% de hoje até dia 18/01. Proteção de 5,31%.

    Show de bola…

    O seu dólar eu vejo com qual código? é contrato futuro ou é a vista? to monitorando dolar por WDLF10.

    Responda a este comentário

    Bender

    Não é o MEU dólar.
    O dólar do mercado à vista, spot, câmbio pronto, BRL.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Eu quis dizer com vencimento qdo.

    Só opero dolar no contrato futuro.

    Responda a este comentário

    Bender

    ok
    Deixa pra lá…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Eu realmente nao vejo a cotação a vista. no spot.

    vc trabalha onde?

    Responda a este comentário

    Bender

    Pois é, eu to falando do dólar no mercado à vista. Não tem vencimento.
    Depois vc vê a queda dele no intraday (tem na página do BACEN).

    Onde eu trabalho é segredo.

    Responda a este comentário

    André Bona

    Vou olhar lá…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Ah, rapaz.

    Nao vejo no profit chart, mas vejo no gráfico.

    Show de bola… porra que pancada!

    vendeu forte hein?

    Responda a este comentário

    Bender

    Hehe… dá pra ver aqui

    Seleciona “Boletins intermediários de taxas de câmbio em uma data” e clica em “pesquisar”

    Eu e meu chefe pertubamos o mercado. Hahaha

    A empresa que eu trabalho é a Hope Consultoria.

    Responda a este comentário

    Matheus

    Já sei, Bender.

    Você trabalha na área de terceirização dos serviços…de…CAFÉ?

    Responda a este comentário

    Victor

    Galera,
    quando desvirtuar muito o assunto, levem para o Open-Bar.
    Ou abram em outros blogues, como por sinal faz o Gaburah.

    Responda a este comentário

    Bender

    Hahaha… o café é um dos setores mais importantes. Não trabalho nesse, mas na Hope eu trabalho sim.

    Responda a este comentário

    Matheus

    “Empresas que apresetam lucro de 500 milhoes com sua atividade principal, por exemplo, e 2 bi com mercado financeiro, pra mim, é risco. Pois se o mercado financeiro der um revés, quebra a empresa.”

    Li na Exame que teve uma empresa forte aí que quase quebrou nessa brincadeira. Só não lembro o nome.

    É bem arriscado mermo.

    Responda a este comentário

    André Bona

    O objetivo do mercado financeiro para empresas é proteção, hedge… nego viaja, quer especular e dá essa merda…

    Aracruz Celulose é um exemplo…

    Responda a este comentário

    Victor

    O SPFC nao vende jogador pra pagar conta. Vende jogador pra reinvestir.

    Vai nessa…

    Responda a este comentário

    André Bona

    Admito que foi um chute…

    Mas pelo volume de receitas do SPFC, 190 mi/ano, creio que eles vendem com lucro, mas podem esperar pelas melhores ofertas… ou não?

    Responda a este comentário

    Matheus

    E ainda contrata o Léo Lima.

    Responda a este comentário

  6. André Bona
    21/12/09 - 23:32

    Aliás Victor, eu estava me lembrando outro dia enquanto um cliente cantarolou o hino do seu fluminense…

    Muitos dizem de Botafogo e Fluminense… E eu pensando: porque sinto que Fluminense e Botafogo são maiores que todos os demais times de fora do Rio de Janeiro? Que possuem maior apelo (maiores nesse sentido)?

    Então observei:

    O hino do fluminense diz: “sou tricolor de coração…”
    E o hino do SPFC diz: “salve o tricolor paulista…”

    Quer dizer: o FFC diz: “sou tricolor fluminense/carioca, etc”?

    Não. Ele diz: Sou tricolor

    E o do SPFC diz: salve o tricolor paulista…

    A pergunta: será que se o hino do SPFC fosse “salve o tricolor…” na época de suas composições, pensariam tratar-se do tricolor? Pra que precisou especificar paulista?

    Desde menino, se alguém diz: sou tricolor… tenho certeza que é tricolor. Nao precisa falar mais nada. É o tricolor. Ponto final. Não precisa dizer de onde. O tricolor é único. Os demais, tem que se identificar.

    Responda a este comentário

    Victor

    Frase apócrifa atribuida a Nelson Rodrigues:

    O Fluminense é o único time tricolor do mundo. O resto são só times de três cores

    Responda a este comentário

    André Bona

    Meu sentimento empírico aponta para o acerto da frase.

    Responda a este comentário

    Victor

    O meu também.
    Mas a minha opinião nesse caso não conta muito, não hahahaha

    Responda a este comentário

    Rodrigo "Gabão"

    Isso, meus caros, também vemos em outros aspectos, como na imprensa paulista. Por que eles têm de especificar que a Folha é de SP? Ou o Estado é de SP? No Rio é O Globo, Jornal do Brasil, Jornal do Commércio, etc.

    Responda a este comentário

  7. Matheus
    21/12/09 - 23:48

    Meu!

    QUE VIAGEM!

    Responda a este comentário

    André Bona

    Matheus, vai sobrar pra vc nessa viagem hein?

    “existe um grande clube na cidade…” ou seja, local…

    “nos gramados de MG” local e uniesportivo…

    “pois na realidade ele é um grande campeão”… por que? alguém disse que não era? complexo de inferioridade…

    kkkkk

    Responda a este comentário

    Matheus

    Não comento o hino do Cruzeiro. É bonitinho e tudo mais, mas sempre achei que não faz jus ao tamanho do clube.

    Responda a este comentário

    rafael botafoguense

    não leve a mal,mas o hino do cruzeiro é o mais feio dos grandes junto com o do inter e do santos.

    só que tem mais cruzeirense que atleticano em minas,pelo menos é minha sensação.

    Responda a este comentário

    Matheus

    Cara, tem muito mais cruzeirense. Acho que é coisa de 2, 3 milhões a mais. Em BH é igual, mas no interior é muita diferença.

    ****

    Acho o do Santos e o do Inter, principalmente, muito doidos. Do Cruzeiro é meia-boca mesmo.

    Responda a este comentário

  8. André Bona
    21/12/09 - 23:54

    Mudando de assunto, mas mantendo a tradição vascaína de ser tradicional… tradição de ser tradicional…

    Esse hino aqui é maravilhoso. América-RJ: http://www.youtube.com/watch?v=EqCkqLZdv78

    O do América-MG, o maior de MG, único decacampeão mineiro tb é bacana: http://www.youtube.com/watch?v=8nCRSy_-pTs&feature=related

    Agora, eu vou contar uma coisa pra vcs que vcs nem vao acreditar. Esse hino aqui, é do Vitoria Futebol Clube do ES, exibido na ESPN…

    A história é a seguinte: vejam o nome do autor… e depois me perguntem… É incrível…
    http://www.youtube.com/watch?v=liacr3wA0sw

    O pior é que eu sou Rio Branco aqui no ES, clube que ganhou seu ultimo Estadual em 1985 sob o comando de Wanderley Luxemburgo… E tiraram o Brancão do nacional de 87 com aquela putaria e nunca mais voltou…

    Responda a este comentário

  9. André Bona
    22/12/09 - 0:14

    Victor, vc apagou meu post sobre o hino do Vitoria Futebol Clube do ES, de autoria do meu Pai? vc é um tricolor safado mesmo!

    Porra!

    Agora quero postar sobre o Rio Branco. Me diz aí, vc vai criar um post pro Rio Branco-ES e pro Vitória ou vai me deixar usar esse espaço aqui, porra!

    Link 1: hino do Vitoria Futebol Clube-ES na ESPN Brasil. Autoria do meu pai.
    http://www.youtube.com/watch?v=liacr3wA0sw

    Link 2: história do Rio Branco no brasileiro de 86. Venceu: Vasco, Cruzeiro, Internacional, etc…

    Responda a este comentário

    Victor

    Não.
    Como tem 3 links, acabou entrando automaticamente na moderação.
    É para inibir SPAM.

    Responda a este comentário

    Victor

    Rio Branco manda aqui no Blá blá Gol.
    Aí Matheus, já empatou com o Cruzeiro em número de torcedores.

    Responda a este comentário

    Matheus

    Inháááááááááááááá.

    Pior que é capaz de ser maior que do Flu, hein? Hahahaha.

    Responda a este comentário

    Bender

    HAUHuhauHAHhaUHUAHhuAUhAUHUAHa…

    Responda a este comentário

  10. jr10
    16/11/10 - 17:10

    o vasco tem q fazer do seu estadio umz laboboneira, aumentar a capacidade e mandar os jogos de finais sempre!!!!la o vasco ja sai na frente de qualquer um!!!

    Responda a este comentário

Deixe seu comentário