Home   Open-Bar   Trollagem   Bolão   Mercado da Bola   Copa do Brasil   Seleção   NFL   Contato  

Artigos sobre ‘América-MG’

O Campeonato Gaúcho é o mais tradicional do Brasil

February 12th, 2017 | 2 Comments | Filed in América, América-MG, Atlético-GO, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Botafogo-SP, Chapecoense, Clubes, CO, Corinthians, Coritiba, Criciúma, Criciúma, Cruzeiro, Estaduais, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Friburguense, Futebol, Goiás, Grêmio, INTERIOR, Internacional, Ituano, Ituano, Linense, MG, Náutico, Números, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, PR, PR, RJ, RJ, RS, RS, Santa Cruz, Santo André, Santos, São Paulo, SC, SC, SP, SP, Sport, Tupi, Vasco, Vitória

Os campeonatos estaduais começaram e uma pergunta não saía do cabeça do uma pessoa do Brasil: qual estadual é o mais tradicional do Brasil?
Pelo sistema de datas, fica fácil demais: o Campeonato Paulista é o mais antigo, de 1902. Mas o que seria dos campeonatos se fossem considerados os times ATUAIS que o disputam, considerando a fundação de cada um, qual seria o campeonato mais tradicional do Brasil, a saber, o que possui os TIMES mais tradicionais? Daí foi ir às contas. Como critério, usei estaduais que tenham, em 2017, que é o ano que nos interessa, um time a menos na Série A do Brasileirão.

Rio de Janeiro:

Bangu 1904
Boavista 2004
Bonsucesso 1913
Botafogo 1904 *
Cabofriense 1997
Campos 1912
Flamengo 1895/1912
Fluminense 1902
Macaé 1990
Madureira 1914
Nova Iguaçu 1990
Portuguesa-RJ 1924
Resende 1909
Tigres do Brasil 2004
Vasco da Gama 1898/1915
Volta Redonda 1976

O Carioca é um dos campeonatos mais tradicionais e um dos mais complexos de fazer a conta. Devido à fundação dos clubes no remo diferir (e estar bem documentada) da do futebol, podemos usar datas de fundação do futebol, como 1911 para o Flamengo, 1918 para o Vasco, etc. Porém, muitos outros clubes no Brasil apresentam datas de fundação controversas, anos no amadorismo, de desfiliação, etc. Portanto, resolvi usar as daas oficiais, menos para o Botafogo, que diferentemente dos co-irmãos cariocas, não apenas introduziu o futebol mais tarde como o fez a partir de um clube associado e posterior fusão.

Média de idade de fundação: 1939,75

São Paulo

Audax 2013*
Botafogo 1918
Corinthians 1910
Ferroviária 1950
Ituano 1947
Linense 1927
Mirassol 1925
Grêmio Novorizontino 2010
Palmeiras 1914
Ponte Preta 1900
Red Bull Brasil 2007
Santos 1912
São Bento 1913
São Bernardo 2004
São Paulo 1935
Santo André 1967

*Foi usado o mesmo critério que com o Botafogo carioca. O Audax foi comprado e passou a mandar os jogos na cidade de Osasco, usando um escudo parecido com o “irmão de fusão” Grêmio Osasco. Creio que foram muitas mudanças para se considerar a continuidade do clube.

Média da idade de fundação: 1949,5

Minas Gerais

América-MG 1912
América-TO 1936
Atlético-MG 1908
Caldense 1925
Cruzeiro 1921
Democrata-GV 1932
Tombense 1914
Tricordiano 2007
Tupi 1912
Uberlândia 1922
URT 1939
Villa Nova 1908

Média: 1928

O tradicionalismo dos times do campeonato mineiro é impressionante. Apenas o Tricordiano destoa, sendo todos os clubes que não ele fundados antes de 1940!

Pernambuco

Afogados 2013
América-PE 1914
Atlético-PE 2006
Belo Jardim 2005
Central 1919
Flamengo de Arcoverde 1959
Náutico 1901
Salgueiro 1972
Santa Cruz 1914
serra Talhada 2011
Sport 1905
Vitória de Santo Antão 2008

Média 1960,583

O Náutico, como o próprio nome indica, entra na mesma situação dos cariocas. A diferença é pouca, já que o Timbu introduziu o futebol em 1905. No entanto, foi considerado o ano de sua fundação global como com seus pares do remo pelo Brasil.

Goiás

Anápolis 1946
Aparecidense 1985
Atlético-GO 1937
CRAC 1931
Goianésia 1955
Goiás 1943
Iporá 2000
Itumbiara 1970
Rio Verde 1963
Villa Nova 1943

Média da idade de fundação: 1957,3

Santa Catarina

Atlético Tubarão 2005
Almirante Barroso 1919*
Avaí 1923
Brusque 1987
Chapecoense 1973
Criciúma 1947
Figueirense 1921
Inter de Lages 1949
Joinville 1976
Metropolitano 2002

Média da idade de fundação: 1960,2

*O Almirante Barroso recebeu o mesmo tratamento dos demais clubes náuticos do Brasil.

Bahia

Atlântico 2000
Bahia 1931
Bahia de Feira 1937
Flamengo de Guanambi 2009
Fluminense de Feira 1941
Galícia 1933
Jacobina 1993
Jacuipense 1965
Juazeirense 2006
Vitória 1899*
Vitória da Conquista 2005

Média: 1965,364

*Vitória com o mesmo tratamento dos clubes de remo cariocas, catarinenses, pernambucanos, etc.

***
Rio Grande do Sul

Brasil 1911
Caxias 1935
Cruzeiro 1913
Grêmio 1903
Internacional 1909
Juventude 1913
Novo Hamburgo 1911
Passo Fundo 1986
São José 1913
São Paulo-RS 1908
Veranópolis 1992
Ypiranga 1924

Média: 1926,5

Por muito pouco, a média de idade de fundação dos clubes gaúchos supera a dos mineiros em pioneirismo e assim sendo, o Gauchão é o campeonato com os times mais tradicionais do Brasil em 2017. MG e RS se destacam nesta conta, podendo variar a “liderança” a depender dos clubes que sobem ou descem. Vemos que este ano apenas Passo Fundo e o incaível Veranópolis destoam da grande tradição dos outros clubes do Rio Grande do Sul.

E o menos tradicional?

Analisando as médias dos campeonatos segundo o critério de possuir um representante ao menos na Série A, vemos que o campeonato “menos tradicional” é o Paranaense, com uma média de 1974,67, apesar da grande tradição de clubes como o Coritiba, o primeiro verdão do Brasil, a grande quantidade de clubes montados no século XXI, que costumam muitas vezes ser taxados de “clubes-empresa”, acaba subindo a média paranaense. Dos participantes de 2017, mais de 50% foram fundados após 1990.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Independência, ainda que tardia

June 29th, 2012 | 42 Comments | Filed in América-MG, Atlético-MG, Cruzeiro, Estrutura, Futebol

Tardiamente venho apresentar o relato sobre a ida à nova joia* futebolera de Belo Horizonte. Em razão do jogo Cruzeiro x Figueirense, com uma bela história de perrengues, compareci ao novo Independência e explano minhas primeiras impressões do estádio que tem capacidade para 23.018 almas.

Fui sem ingresso pro bairro do Horto e resolvi tentar presenciar in loco de última hora. Erro meu. Deveria ter mantido o meu Sócio Torcedor que desativei quando venceu meu segundo ano de contrato, em meados de 2011. Eu odiava ir pra Sete Lagoas e meu orçamento andava comprometido, acabou que perdi a boquinha. Agora é batalha pra conseguir ingresso toda semana e confesso que, se ganhei a primeira, mediante módicos R$ 70,00 pra área que valia R$ 30,00 (inteira), acho que vou perder a segunda.

Pois bem, fala-se muito da visibilidade. Engenheiros podem até me ajudar com opinião especializada quanto às cadeiras superiores. Assisti o jogo, como vocês podem ver pela foto, atrás do gol. Não tive maiores problemas, exceto quando os animais das torcidas organizadas tremulavam suas bandeiras no meio da peleja, por motivo nenhum. Bandeira grande tem que ser usada na entrada do time, no intervalo, no gol e após o jogo. Durante o jogo, é bonito? Sim, mas fode a visão de quem tá atrás.

Independência – Atrás do gol

Outra reclamação que tenho escutado bastante é que não se pode sentar. Ou você senta, ou você vê o jogo. Quanto a isso, eu sempre acompanhei em pé. É uma coisa minha, eu simplesmente não consigo assistir ao jogo como se estivesse em casa,  meu estado de nervos não permite. Entendo quem goste de ver assim, mas acho complicado no Independência, por enquanto. Acredito que, com o tempo, cada torcedor saberá onde tem a melhor experiência. Por exemplo, pessoal que gosta de sentar, vai buscar os lugares mais caros e vai se juntar ali. Quem assiste em pé, vai buscar a região das organizadas que sempre foi assim.

Quanto a oferta de ingressos, acredito que o torcedor que não é sócio sofrerá bastante. O Cruzeiro, nos 3 últimos anos de Mineirão, tinha média de público superior a 20.000 pagantes. Anos de baixa, a média caía pra 15.000. A média geral gira em torno dos 19.000 pagantes. No Mineirão, é uma média tranquila, mas no Independência é casa cheia todo jogo. Com a carga posta nas bilheterias de 8.600, será uma eterna luta. Associe-se ou ficará de fora.

Minha experiência com o estádio, em si, foi ótima. Achei muito bonito, consegui ter uma boa visão do jogo, as cadeiras retráteis ajudam quem quer ficar em pé, dando-lhe espaço, além do cidadão não ter que ficar destruindo as mesmas. Fui de ônibus tranquilamente, o metrô te deixa na boca do estádio (mas nesse dia estava em greve), consegui entrar e sair do estádio sem maiores problemas. Não vi tropeiro, alguém me falou que não tinha, mas havia duas lanchonetes na área em que fiquei, atendendo bem a demanda. Não tive problemas com o banheiro também, coisa que muitos já reclamaram.

Lindo, por sinal

Lindo, por sinal

Quanto ao aspecto da segurança, a PM-MG adora procurar pelo em ovo e já não permite os torcedores permanecerem perto do vidro que separa a arquibancada do gramado. Seria um belo fator de pressão, mas como brasileiro tem um sério problema com limites, talvez seja melhor evitar eventuais problemas. A BWA já quer proibir bandeiras grandes e faixas. Sinalizador não pode há muito tempo.

Enfim, como estádio principal pra uma cidade com dois times de grande porte como Belo Horizonte, o Independência seria deficitário. Mas será uma bela alternativa quando o Gigante acordar novamente. Para jogos menores, sempre se terá a impressão de lotação máxima. Interessante. Não há chance de agradar a todos. Ainda mais aos filiados do PT. Mas eles podem preferir assistir em Sete Lagoas. Por mim, está muito bom.

*Tem gente que não gostou de NADA no Estádio. Pra mim, foi um belo presente dos belorizontinos para a cidade.

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Fluminense 1×2 Coelhão do Mal

November 12th, 2011 | 15 Comments | Filed in América-MG, Campeonato Brasileiro 2011, Fluminense

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

12.11.11: Dia de comemorar a liderança do Fluminense

November 11th, 2011 | 44 Comments | Filed in América-MG, Campeonato Brasileiro 2011, Fluminense

Sábado, 12.11.11, o Fluminense ao vencer o América-MG assumirá a liderança do Campeonato Brasileiro onde deverá permanecer até o final da 38ª rodada sagrando-se Dicampeão Brasileiro 2010/11 ou Tetra 1970/1984/2010/2011 para os menos exigentes.

Como a data coincidentemente celebra o dia em que nasci uma pá de anos atrás, comemorarei os dois eventos em uma só tacada em minha praiana casa de Piratininga.

Os festejos começarão por volta de 17:00h permitindo acompanhar em tempo real a peleja do Tricolor contra o Maior de Minas.

Presenteie-me com 3 pontos sobre seu Time do Coração

Paradigmas existem para serem quebrados. Não haverá feijoada e sim cachorro-quente.

Cerveja haverá também, mas com grandes possibilidades de acabar. Não se acanhem em levar. Presentes sempre são bem-vindos.

Refrigerantes não iriam ter, mas terão pois não quero ouvir nenhum: “Inhááááááá! Nãoú têéêm cóca-cóólla?

Saudações Tricolores
Victor

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Campeonato Nojento

October 31st, 2011 | 158 Comments | Filed in América-MG, Campeonato Brasileiro 2011, Corinthians, Estrutura

Todo ano é a mesma coisa. Na hora decisiva, o campeonato vira um lixo. Parabéns ao América-MG que cumpre seu papel ao escancarar o quanto é ridículo o Campeonato Brasileiro de pontos corridos (ou Corrimentão).

Alguns entregam jogos por baixo dos panos, para prejudicar rivais, ou para ganhar dinheiro. O América não tem nada a perder, não tem porque entregar por baixo dos panos. Logo, vende seu mando de campo pro Corinthians, na cara de todo mundo, e embolsa uma grana pro ano que vem, que será menos “proveitoso” para o seu negócio. Burro foi quem não comprou…Parabéns para o Timão.

É inaceitável, mas não inacreditável. É recorrente. É o Brasil.

 

 

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.

Botafogo 4X2 América-MG – Bicando a mufa pra Nottingham

August 14th, 2011 | 33 Comments | Filed in América-MG, Botafogo, Campeonato Brasileiro 2011, Futebol

Respeito a tradição

O Botafogo, que completou 107 anos de fodeza futebolera na última sexta, presenteou seus adeptos com uma vitória muito louca no jogo da balada (argh!) desta 16ª fecha e, até o término da mesma, adentrou o clubinho da Copa Libertadores 2012.

Tudo começou triste e frio nesta noite. Logo com 10 minutos o CUEI já havia colocado duas bolas no arco em três chances cristalinas de gol. Acho bacana as subidas do MARINHO CHAGAS NEGRO CANHOTO (Sim, o Bruxa era destro), mas elas deixam aquela esquerda aberta, e foi ali o local dos crimes, todos com Marcelo Mattos de cúmplice. A partir daí o Botafogo foi buscar o gol cheio de saliência mas a bola não entrava… parecia que a tradição iria se cumprir: time bem, vindo de goleada, vitória na Suda, festejos tal e pans é igual a tragédia, caos e morte.

Mas não foi o que ocorreu. O time do América Maneiro é fraco demais e a virada foi se construindo sem maiores sustos. Primeiro no morteiro SANGUENUZÓI do Elkeson, ainda na 1ª etapa, depois com Tonhão de cabeça e por fim com dois tentos do jovem Alex, que vem sempre dando conta do recado, todos na 2ª parte do prélio. Uma vitória agônica que alimenta a esperança de que podemos vencer os imprevistos que atormentam nossas jornadas.

SIGAMOS!

Público: 10.290 pagantes (13.101 presentes).
Renda: R$ 182.925,00

Você pode receber nossos artigos de graça pelo seu e-mail. Apenas inscreva-se pela caixa abaixo.